Curtis Blaydes aproveita falha e vence Junior Cigano por nocaute no segundo round no UFC Raleigh

Brasileiro tenta aplicar um uppercut e é surpreendido com um direto de direita que abriu o caminho para que o americano conquistasse a vitória por nocaute técnico

Por Combate.com — Raleigh, EUA

26/01/2020 00h43  Atualizado há 7 horas


Não foi a noite de Junior Cigano. O peso-pesado brasileiro foi surpreendido na trocação pelo wrestler americano Curtis Blaydes e acabou nocauteado com uma série de golpes junto à grade a 1m06s do segundo round. Ex-campeão da categoria, Cigano sofreu a segunda derrota consecutiva, enquanto Blaydes chegou à terceira vitória consecutiva. Mais rápido e ágil durante todo o combate, Blaydes levou vantagem na trocação diante de um Cigano menos ágil do que nas suas últimas apresentações.

Curtis Blaydes Junior Cigano UFC Raleigh — Foto: Getty Images

A luta

O duelo começou com Cigano mantendo a distância curta para Blaydes e tentando desferir golpes rápidos. O americano buscou as pernas do brasileiro por duas vezes, sem sucesso. Cigano controlava a disputa mesmo no clinche junto à grade, e mostrou boa velocidade de esquiva quando Blaydes tentou se aproximar jogando golpes. O americano conseguiu acertar dois bons golpes no brasileiro nos segundos finais, e Cigano lançou um uppercut fortíssimo, que passou raspando à cabeça do rival.

Na volta para o segundo round, na primeira aproximação de Cigano, Curtis Blaydes conectou uma boa combinação de jab de esquerda e direto de direita que acertou em cheio o rosto do brasileiro. Na sequência, o americano aproveitou uma aproximação de Cigano, que preparava um uppercut, para conectar um direto devastador de direita que explodiu na cabeça do brasileiro. Abalado, Cigano se afastou e Blaydes aproveitou para desferir três joelhadas seguidas de uma sequência de socos que obrigaram o árbitro a encerrar a luta, declarando o nocaute técnico.

Confira os resultados de todas as lutas do evento:

CARD PRINCIPAL
Curtis Blaydes venceu Junior Cigano por nocaute técnico a 1m06s do R2
Michael Chiesa venceu Rafael dos Anjos por decisão unânime (30-27, 29-28 e 29-28)
Alex Perez venceu Jordan Espinosa por finalização aos 2m33s do R1
Angela Hill venceu Hannah Cifers por nocaute técnico aos 4m26s do R2
Jamahal Hill venceu Darko Stosic por decisão unânime (triplo 29-27)
CARD PRELIMINAR
Bevon Lewis venceu Dequan Townsend por decisão unânime (triplo 30-27)
Arnold Allen venceu Nik Lentz por decisão unânime (29-28, 29-28 e 30-27)
Justine Kish venceu Lucie Pudilova por decisão unânime (triplo 30-27)
Montel Jackson venceu Felipe Cabocão por decisão unânime (30-26, 30-26 e 30-25)
Sara McMann venceu Lina Lansberg por decisão unânime (30-27, 30-26 e 30-25)
Brett Johns venceu Tony Gravely por finalização aos 2m53s do R3
Herbert Burns venceu Nate Landwehr por nocaute aos 2m43s do R1

Weidman revela pressão do UFC para fazer “trash talk” antes de luta contra Anderson Silva

Americano lembra quando Dana White pediu para que se iniciassem as provocações contra o Spider e, assim, impulsionassem as vendas de pacotes de TV para a disputa do cinturão

Por Combate.com — Rio de Janeiro

19/12/2019 15h01  Atualizado há 8 horas


Atualmente na categoria dos meio-pesados do Ultimate, Chris Weidman chocou o mundo do MMA em 2013 quando nocauteou a lenda Anderson Silva, no UFC 162, e sagrou-se campeão peso-médio da organização. Após mais de seis anos, o americano revelou um pouco dos bastidores daquela luta, que ficaria eternizada na história do esporte.

Segundo Chris Weidman, antes do primeiro confronto contra o Spider, em julho de 2013, o presidente do UFC, Dana White, fez bastante pressão para que o americano promovesse o evento em Las Vegas com “trash talk” contra Anderson Silva e, assim, impulsionasse as vendas de pacotes de pay-per-view.

– (O Dana disse) “Você não está promovendo a luta. A venda de ingressos não está boa, os números de pay-per-view não estão bem”. Eu me senti ansioso porque estava me tornando alguém que não estou acostumado a ser. Tenho que usar o “trash talk” agora. Odiava essa sensação. “Por que eu não posso ir lá e lutar e vencer? É o que eu vou fazer. Eu vou vencer esse cara. Isso não é suficiente?” Não foi – disse Weidman no programa “Grange TV”, antes de completar.

– Eu escrevi um tweet, não lembro exatamente o que era, mas basicamente era um pouco de m*** sobre como vou vencer o Anderson Silva. Mandei mensagem para o Dana falando “espero que você esteja feliz porque vem mais por aí”. Ele me respondeu rindo e dizendo que nunca tinha feito isso, mas que era porque as vendas do pay-per-view estavam realmente muito ruins. Mas me senti muito mal com isso porque, obviamente, Anderson Silva era o cara e agora toda a pressão estava em mim.

Depois de nocautear Anderson Silva, Chris Weidman deu a revanche imediata ao brasileiro, em dezembro de 2013, e saiu novamente vitorioso, dessa vez por causa da fratura na perna do Spider. O americano defendeu o cinturão mais duas vezes (contra Lyoto Machida e Vitor Belfort), mas acabou sendo derrotado por em 2015.

Kamaru Usman derrota e quebra mandíbula de lutador racista e fã de Trump

Campeão dos meio-médios do UFC, o nigeriano-americano dedicou a vitória sob Colby Covington, que já chamou os brasileiros de “animais imundos”, ao Brasil; assista

Por Redação‌‌‌

15 DE DEZEMBRO DE 2019, 10H50

Ganhou destaque nas redes sociais, não só nas norte-americanas, como também nas brasileiras, uma luta de UFC realizada na noite deste sábado (14) em Las Vegas (EUA). Isso porque não foi qualquer luta: o nigeriano-americano Kamaru Usman enfrentou o estadunidenste Colby Covington, que é conhecido por suas declarações racistas e pelo seu apoio ao presidente Donald Trump.

No combate entre o negro de família imigrante e o norte-americano preconceituoso, venceu o negro. Antes da luta, Usman disse que representaria a fúria de todos os imigrantes dos EUA. E assim o fez.  No quarto assalto, nocauteou Covington e o árbitro teve que interromper a luta para impedir um massacre. Covington teve a mandíbula quebrada por Usman.

Ao final, o nigeriano-americano dedicou sua vitória ao Brasil. “Brasil, essa é para vocês. É para o mundo todo”, disse. Isso porque em 2017, em um combate do UFC em São Paulo, Covington se referiu ao Brasil como um “chiqueiro” e classificou os brasileiros como “animais imundos”.

Assista ao momento do nocaute e às palavras de Usman dedicando a vitória ao Brasil.

Marlon e Aldo surpreendem com encarada intensa; Covington é vaiado na pesagem do UFC 245

Brasileiros mantêm o respeito, mas se olham com vontade e eletricidade. Colby leva bola ao palco para demonstrar o que quer fazer com Usman, que promete fechar o caixão do desafiante

Por Combate.com — Las Vegas (EUA)

13/12/2019 21h47  Atualizado há 15 horas


Já se esperava que a encarada entre Kamaru Usman e Colby Covington, protagonistas do UFC 245, seria intensa – e ambos elevaram o nível do show na pesagem cerimonial desta sexta-feira com adereços e declarações bombásticas. O que surpreendeu foi como os brasileiros Marlon Moraes e José Aldo, ex-companheiros de treino e sempre amistosos, entregaram uma encarada elétrica no evento.

Não foi preciso troca de empurrões ou provocações, mas os dois mostraram que estão dispostos a lutar com tudo no sábado. Na hora de se encarar para as câmeras, a troca de olhares dos dois pesos-galos foi intensa. Marlon veio de guarda armada, com testa franzida e esboçando um sorriso irônico. Aldo respondeu com guarda baixa, mas se inclinando e se mexendo de um lado para outro, à la Wanderlei Silva. Tudo com muito respeito, e com direito a um cumprimento ao final.

Peso-galo: Marlon Moraes x José Aldo

Não houve cumprimento entre Colby Covington e Kamaru Usman, mas também não houve princípio de tumulto. Como esperado, Colby chegou ao palco sob vaias. Ele gesticulou com a mão no ouvido como sem entender as vaias, e depois botou o dedo na boca pedindo silêncio. Usman surgiu com o rosto pintado com as cores da bandeira da Nigéria. Na encarada, o americano falou bastante, como de costume, mas o nigeriano se mostrou calmo e controlado, quase rindo da inanidades do adversário.

Após o olho no olho, Covington reclamou das vaias recebidas da plateia, e puxou uma bola de basquete com uma foto do adversário para demonstrar o que pretende fazer no sábado.

– Las Vegas, é assim que vocês tratam um campeão? Kamaru “Fakenewsman”, é isso que vai acontecer amanhã: veem o rosto dele aqui nessa bola de basquete? Vou quicar sua cabeça na lona e chutar para a galera! – disse o americano, enquanto quicava a bola e a bicava para longe.

Peso-meio-médio: Kamaru Usman x Colby Covington

Usman apenas prometeu cumprir as expectativas de seus fãs e de quem não suporta Covington.

– Por muito tempo, o mundo quer o assassinato desse homem. E amanhã, serei eu que colocarei o último prego no caixão! – afirmou o campeão dos meio-médios.

O que teve de intensidade entre Marlon e Aldo não esteve presente na encarada entre Amanda Nunes e Germaine de Randamie. Elas até ficaram bem próximas, de guarda baixa, e esbanjavam confiança em seus olhares, mas não houve muita tensão no ar. Elas inclusive se abraçaram após a pose, e a holandesa classificou a campeã peso-galo como “a melhor de todas”. A brasileira prometeu que permanecerá com o cinturão em mãos após a luta de sábado.

Peso-galo: Amanda Nunes x Germaine de Randamie

Houve mais eletricidade entre o campeão peso-pena, Max Holloway, e o desafiante Alexander Volkanovski. O havaiano chegou com uma bandana na testa, com seu apelido, “Blessed”, escrito na peça, e olhou o australiano de cima a baixo. Volkanovski não se intimidou e o fitou intensamente. Os dois se cumprimentaram em seguida.

Peso-pena: Max Holloway x Alexander Volkanovski

O “figuraça” Mike Perry entrou sob muitos aplausos, vibrou ao ter seu peso anunciado e pediu para seu companheiro de equipe socar seu “tanquinho”. Seu adversário, Geoff Neal, gostou da brincadeira e pediu para repeti-la na encarada. Perry permitiu e quis revidar, mas Dana White rapidamente entrou no meio antes que a graça virasse algo sério.

Peso-meio-médio: Geoff Neal x Mike Perry

A peso-galo Ketlen Vieira parecia estar segurando a emoção ao subir no palco da pesagem pela primeira vez desde março de 2018. Ao posar na balança, a brasileira apontou para a tatuagem em seu bíceps direito, que diz “Fé inabalável”. Ela cumprimentou a mexicana Irene Aldana, sua adversária, mas a encarou de bem perto.

Peso-galo: Ketlen Vieira x Irene Aldana

Em sua primeira luta em Las Vegas, Vivi Araújo apareceu muito animada. Ela nem pareceu ligar para o fato que sua adversária, Jessica Eye, ficou mais de dois quilos acima do peso da categoria, e a cumprimentou com um sorriso no rosto. A americana pareceu dizer alguma coisa após a encarada, como uma desculpa, e Vivi bateu os ombros como se não ligasse para isso.

Peso-mosca: Jessica Eye x Vivi Araújo

Confira os pesos de todos os atletas:

CARD PRINCIPAL
* Peso-meio-médio (até 77,1kg): Kamaru Usman (77,1kg) x Colby Covington (77,1kg)
* Peso-pena (até 65,8kg): Max Holloway (65,8kg) x Alexander Volkanovski (65,6kg)
* Peso-galo (até 61,2kg): Amanda Nunes (61kg) x Germaine de Randamie (61kg)
Peso-galo (até 61,7kg): Marlon Moraes (61,5kg) x José Aldo (61,7kg)
Peso-galo (até 61,7kg): Petr Yan (61,5kg) x Urijah Faber (61,5kg)
CARD PRELIMINAR
Peso-meio-médio (até 77,6kg): Geoff Neal (77,1kg) x Mike Perry (77,3kg)
Peso-galo (até 61,7kg): Ketlen Vieira (61,7kg) x Irene Aldana (61,5kg)
Peso-médio (até 84,4kg): Ian Heinisch (84,1kg) x Omari Akhmedov (84,1kg)
Peso-meio-médio (até 77,6kg): Matt Brown (77,6kg) x Ben Saunders (77,1kg)
Peso-pena (até 66,2kg): Chase Hooper (65,5kg) x Daniel Teymur (66kg)
Peso-mosca (até 57,2kg): Brandon Moreno (56,9kg) x Kai-Kara France (56,9kg)
Peso-mosca (até 57,2kg): Jessica Eye (59,4kg)** x Vivi Araújo (57,2kg)
Peso-médio (até 84,4kg): Punahele Soriano (84,1kg) x Oskar Piechota (84,4kg)

* Esses atletas não tiveram direito a uma libra (0,454kg) de tolerância em seus pesos, porque estão envolvidos em disputas de cinturão. Todos os demais puderam contar com o limite excedente de peso.

** A lutadora estourou o limite de peso em 2,2kg e foi multada em 30% do valor da sua bolsa, que foi revertido para sua adversária.

Combate e o Combate Play transmitem o UFC 245 ao vivo, na íntegra e com exclusividade neste sábado, dia 14 de dezembro. O Sportv e o Combate.com transmitem as duas primeiras lutas do card preliminar e o Aquecimento Combate. O Combate.com acompanha todo o evento em Tempo Real.

Vídeos: UFC Washington tem astro com lábio dilacerado, finalização raríssima e golpe baixo

Jairzinho corta o rosto de Overeem ao nocautear no quinto round, Bryce Mitchell aplica twister – posição feita somente pelo “Zumbi Coreano”, e Struve sofre com chute nas partes íntimas

Por Combate.com — Washington, DC, EUA

08/12/2019 14h00  Atualizado há 6 horas


O UFC Washington, realizado no sábado, nos Estados Unidos, ficará marcado por uma imagem, eternizada na luta principal, entre Jairzinho Rozenstruik e Alistair Overeem, pelo peso-pesado. O “Furacão do Octógono” nocauteou o ex-campeão do Strikeforce aos 4m56s do round final, porém, o que parecia ser mais uma vitória pela via rápida, se tornou algo impressionante quando as câmeras flagraram o lábio superior do holandês lacerado (imagem forte).

O card – que contou com quatro vitórias por finalização, incluindo a da brasileira Virna Jandiroba sobre Mallory Martin – ficou gravado na história por uma raríssima submissão via twister. O responsável pela posição, aplicada pela primeira vez pelo “Zumbi Coreano”, atende pelo nome de Bryce Mitchell, algoz de Matt Sayles.

O UFC Washington ainda teve os golpes baixos de Ben Rothwell em Stefan Struve, a derrota de Thiago Pitbull, o empate entre Marina Rodriguez e Cynthia Calvillo, Thiago Marreta no córner da namorada russa Yana Kunitskaya e o protetor bucal voador de Trevor Smith.

Confira abaixo:

Overeem tem lábio rasgado em nocaute

Alistair Overeem vencia a morna luta contra o surinamês Jairzinho Rozenstruik, a principal do evento. O “Furacão do Octógono”, contudo, despertou no fim do quinto round, acertou um torpedo no rosto do holandês, cujo lábio superior foi rasgado pelo golpe. O holandês deixou o octógono com uma toalha na para estancar o sangramento até receber alguns pontos na boca.

Melhores momentos de Alistair Overeem x Jairzinho Rozenstruik no UFC Washington.

Dor gigantesca

Lutador mais alto do UFC, Stefan Struve foi nocauteado no fim do segundo round por Ben Rothwell. Mas dor, de verdade, o holandês sentiu bem antes – e duas vezes. Isto porque o “Arranha-Céu” levou dois chutes baixos e, no primeiro, inclusive, precisou utilizar os cinco minutos a que tem direito para se recuperar. O detalhe é que a torcida se manifestava a cada vez que ele dava sinais de que voltaria ao combate.

Melhores momentos de Stefan Struve x Ben Rothwell no UFC Washington.

À la Zumbi Coreano, Mitchell vence com finalização espetacular

Chan Sung Jung, o “Zumbi Coreano”, só entra em ação no próximo fim de semana. Mas, uma finalização cinematográfica consagrada pelo asiático, se fez presente no UFC Washington sob a técnica de Bryce Mitchell. “Thug Nasty”, aos 4m20s do primeiro assalto, encaixou um twister, e obrigou Matt Sayles a dar os três tapinhas em sinal de desistência.

Melhores momentos de Bryce Mitchell x Matt Sayles no UFC Washington.

Marina Rodriguez empata pela segunda vez

Uma das esperanças do Brasil no peso-mosca, Marina Rodriguez segue invicta na organização. Apesar disso, a gaúcha soma dois empates na franquia. No sábado, ela superou Cynthia Calvillo nos dois rounds iniciais, mas foi completamente dominada pela americana na última etapa, perdendo por 10-8, fazendo a igualdade prevalecer de forma majoritária.

Melhores momentos de Marina Rodriguez x Cynthia Calvillo no UFC Washington.

Thiago Pitbull é finalizado por Tim Means

Thiago Pitbull amargou mais um resultado negativo – o quarto em cinco combates. O cearense, integrante do peso-meio-médio, foi finalizado por Tim Means aos 2m38s de luta, depois de sofrer um knockdown e, em seguida, cair na guilhotina do americano.

Melhores momentos de Thiago Pitbull x Tim Means no UFC Washington.

Jandiroba encaixa mata-leão e força rival a bater

Virna Jandiroba venceu Mallory Martin por finalização a 1m16s do segundo round. A brasileira, que anotou o 15º triunfo da carreira, utilizou o jiu-jítsu para arrochar o pescoço da adversária e se recuperou do revés em sua estreia na organização, para a americana Carla Esparza.

Melhores momentos de Virna Jandiroba x Mallory Martin no UFC Washington.

Voa, protetor bucal!

Desde 2014, Trevor Smith ou vencia ou perdia por pontos. No entanto, o americano foi duramente nocauteado por Makhmud Muradov. O que chamou a atenção no golpe final foi o voo do protetor bucal do americano, expelido devido à potência do cruzado aplicado pelo russo.

Melhores momentos de Makhmud Muradov x Trevor Smith no UFC Washington.

Apoiada por Thiago Marreta, Kunitskaya perde para Ladd

Yana Kunitskaya contou com o suporte do namorado, o também lutador do UFC Thiago Marreta, em seu córner na luta contra Aspen Ladd. Mas, como reza o ditado: azar no jogo, sorte no amor. A russa foi nocauteada no começo do terceiro round pela americana, que abriu caminho para vitória ao acertar um cruzado fortíssimo de canhota.

Melhores momentos de Aspen Ladd x Yana Kunitskaya no UFC Washington.

PREMIAÇÃO DO EVENTO

Autor da segunda finalização da história do Ultimate via twister, Bryce Mitchell, que utilizou a posição aplicada pela primeira vez por Chan Sung Jung, o “Zumbi Coreano”, para bater Matt Sayles no round inicial, recebeu o prêmio de “Performance da Noite” e faturou US$ 50 mil (cerca de R$ 240 mil). Makhmud Muradov – responsável por abrir o evento com nocaute sobre Trevor Smith no terceiro assalto, ficou com o outro bônus.

O prêmio de “Luta da Noite” ficou com Rob Font e Ricky Simón – cada um faturou US$ 50 mil. Font, porém, teve mais motivos para sorrir por ter deixado o octógono com a vitória na decisão unânime dos jurados.

UFC Washington
7 de dezembro, em DC (EUA)
CARD PRINCIPAL
Jairzinho Rozenstruik venceu Alistair Overeem por nocaute aos 4m56s do R5
Marina Rodriguez e Cynthia Calvillo empataram por decisão majoritária (28-29, 28-28 e 28-28)
Ben Rothwell venceu Stefan Struve por nocaute técnico aos 4m57s do R2
Aspen Ladd venceu Yana Kunitskaya por nocaute técnico aos 33s do R3
Cody Stamann e Song Yadong empataram por decisão majoritária (29-27, 28-28 e 28-28)
Rob Font venceu Ricky Simón por decisão unânime (29-28, 29-28 e 30-27)
CARD PRELIMINAR
Tim Means venceu Thiago Pitbull por finalização aos 2m38s do R1
Billy Quarantillo venceu Jacob Kilburn por finalização aos 3m18s do R2
Bryce Mitchell venceu Matt Sayles por finalização aos 4m20s do R1
Joe Solecki venceu Matt Wiman na decisão unânime (30-26, 30-26 e 30-27)
Virna Jandiroba venceu Mallory Martin por finalização a 1m16s do R2
Makhmud Muradov venceu Trevor Smith por nocaute aos 3m09s do R3

UFC: Dana White descarta ‘Borrachinha’ e Jon Jones para primeira defesa de cinturão de Adesanya

AG. FIGHT 16:52 BTLeitura: 2 min.

Nesta terça-feira (29), Dana White deu um verdadeiro banho de água fria nos amantes de MMA. Isso porque o presidente do Ultimate descartou os dois principais nomes especulados pela mídia especializada como próximos rivais de Israel Adesanya: Paulo ‘Borrachina’ e Jon Jones.

Logo após nocautear Robert Whittaker e conquistar o cinturão linear dos pesos-médios (84 kg), ‘The Last StyleBender’ trocou farpas com ‘Borrachinha’, que estava à beira do octógono. O imbróglio apenas aumentou a expectativa de que os dois se enfrentariam em seguida pelo título da categoria, já que o brasileiro vinha de um grande triunfo contra Yoel Romero.

E além da provável luta diante de Paulo, os fãs também estavam ansiosos para uma superluta entre Israel e o campeão meio-pesado (93 kg) do UFC, Jon Jones. A possibilidade ganhou força depois que os dois trocaram ‘gentilezas’ através de suas redes sociais. No entanto, ao menos de acordo com Dana White, Adesanya não enfrentará nem Borrachinha e muito menos ‘Bones’ em seguida.

“Ele (Borrachinha) teve uma cirurgia no bíceps, e está fora por oito meses. Mas estamos negociando alguém diferente para o Israel no momento. Não (superluta com Jones). Ele (Israel) acabou de ganhar o título. Fazer uma superluta com o Jones agora não faz sentido. Há lutadores na sua própria divisão de peso que podem lutar”, declarou Dana, em entrevista ao canal do Youtube ‘The Schmo’.

Portanto, apesar de Dana não cravar quem será o próximo rival do nigeriano, pode se presumir que se trata de um atleta dos pesos-médios. Dentre os cinco melhores ranqueados da categoria, o único que não vem de derrota – além de Borrachinha – é Jared Cannonier. O estilo de luta do americano, inclusive, foi alvo de elogios de Adesanya recentemente.