LAIS recomenda que decreto de isolamento social rígido seja prorrogado com toque de recolher integral no fim de semana no RN

Imagem mostra uma das entradas de Natal, pela BR-101, vazia durante pandemia do coronavírus — Foto: Sandro Menezes

Os cientistas do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS/UFRN) – alguns integram também o comitê científico do RN – recomendaram nesta segunda-feira (29) que o governo do Rio Grande do Norte prorrogue até o próximo domingo (4) o atual decreto de isolamento social rígido que tem validade até o dia 2 de abril.

A intenção dos especialistas com as medidas é evitar aglomerações durante o feriadão da Semana Santa em todo o Rio Grande do Norte.

No relatório, os cientistas indicam que março tem sido um dos piores meses desde o início da pandemia e que isso exigiu medidas mais duras, já que houve recorde de internações e o terceiro maior número de mortes e também o terceiro maior número de casos confirmados durante o mês (veja o relatório na íntegra).

Os especialistas apontam, no entanto, que após a implantação de medidas mais duras no estado e especialmente em Natal e Região Metropolitana, houve uma melhora da situação, ainda que a situação siga sendo considerada crítica.

“Com base nas análises realizadas, é possível afirmar que a situação de saúde do estado, em virtude da pandemia, ainda é considerada grave. Todavia, já é possível observar, em todo o RN, uma redução dos pedidos por internação em leitos covid-19. Isso, provavelmente, já pode ser fruto dos primeiros impactos positivos do último decreto publicado“, conclui o documento, que reforça, no entanto, que ainda não é momento de relaxar as medidas.

“Como os resultados, neste momento, ainda são lentos, não é possível falar, agora, em relaxar as medidas sanitárias, ao menos até a Páscoa. É necessário ter uma maior clareza quanto à sustentabilidade na redução das solicitações de internações por Covid-19 por um prazo maior de dias, com o propósito de poder orientar de maneira mais segura as autoridades públicas do estado no que diz respeito ao relaxamento das medidas impostas no último decreto”.

A intenção do LAIS é de que com esse prazo estendido, além de se evitar aglomerações durante o fim de semana, também seja possível entender melhor o impacto das medidas restritivas no combate a pandemia no estado.

“Que o decreto seja estendido pelo menos até o fim da Páscoa. Vai estender mais alguns dias, que é tempo suficiente pra se fazer novas análises e observar como se está essa atenuação, ocupação de leitos, como também redução de pedidos por internação”, explicou Ricardo Valentim.

O médico epidemiologista Ion de Andrade, que também assina a recomendação, é outro que reforça que as medidas já tem impactado na redução da pressão por leitos. Apesar disso, ele reforça que isso também só aconteceu por conta da abertura de novos leitos críticos no estado neste período.

“Influência há do decreto porque a gente tem sempre visto que medidas restritivas diminuem a velocidade do contágio. Outro componente dessa equação é a quantidade de leitos disponíveis, que teve um aumento”, afirmou.

Nesta segunda-feira (29), o estado tinha cerca de 100 pacientes na fila por um leito crítico de UTI – o número na semana passada variava entre 130 e 140. Mesmo com a diminuição, o cenário segue delicado.

Veja as recomendações do LAIS

  • O atual decreto do estado deve ser mantido até o final da semana da Páscoa (04/04/2021).
  • Implantar, no sábado e no domingo de Páscoa, toque de recolher de 48 horas, iniciando-se às 5h da manhã do sábado (03/04/2021) até às 05h da segunda-feira (05/04/2021).
  • Após a Páscoa, deve ser iniciado o retorno às aulas em formato híbrido com 50% da capacidade para as atividades presenciais.
  • O Governo do Estado e os municípios devem apresentar um plano de retomada gradual das atividades econômicas.
  • Os educadores físicos, por serem profissionais de saúde, devem ser incluídos na lista de vacinação já nas fases prioritárias, pois esses têm um papel social importante e muitos deles estão expostos em academias e também porque trabalham com a população considerada de risco.
  • As Pessoas com Síndrome de Down devem ser priorizadas na vacinação, pois há comprovação científica de que estes fazem parte do grupo de risco, logo não é possível negligenciar essa população.
  • Os gestores públicos não devem investir recursos públicos em fármacos sem autorização da Anvisa, cuja bula do medicamento não conste explicitamente a indicação clínica para covid-19. Ao contrário, todos devem unir esforços em prol da
  • É altamente recomendado que as autoridades públicas do estado e dos municípios invistam em pesquisas clínicas para o enfrentamento a covid-19.
  • As autoridades sanitárias do estado devem alertar a população que a prescrição off-label de medicamentos sem autorização da ANVISA para a covid-19 é algo desaconselhado pela Associação Médica Brasileira. Caso a indicação clínica não conste na bula do medicamento, o paciente deve ser informado de que se trata de um método terapêutico experimental, uma vez que não há evidências científicas de que o mesmo tenha ação profilática e/ou terapêutica contra a covid-19. Além disso, o paciente deverá ser informado de que é preciso manter o distanciamento social adequado, usar máscaras, fazer higienização frequente das mãos com água e sabão ou álcool 70%.
  • Diante dos resultados apresentados em estudos científicos amplamente divulgados e revisados por pares sobre o uso indiscriminado e da automedicação utilizando Ivermectina, Cloroquina e Hidroxicloroquina, é fundamental que o Governo do Estado e demais municípios elaborem um plano de comunicação voltado para população em geral alertando sobre os riscos do uso desses medicamentos.
  • O Estado e todos os municípios precisam, urgentemente, discutir o retorno às aulas das escolas públicas, pois essas são as mais afetadas durante todo o curso da pandemia. As crianças e os adolescentes mais pobres do estado já foram bastante impactados pela falta das aulas presenciais, aspecto esse que poderá ampliar ainda mais a desigualdade social no RN.

Fonte: G1RN

Prefeitura de Pedro Avelino/RN, decreta toque de recolher das 22h às 5h

Bares e restaurantes só poderão funcionar até 22 horas, o delivery de comidas vai até 00h. Medidas valem até o dia 01 de abril.

O prefeito de Pedro Avelino, Alexandre Sobrinho (MDB), decretou “toque de recolher” no município das 22h às 5h, a partir desta sexta-feira (5), para tentar conter o avanço do contágio pelo novo coronavírus. A medida vale até o dia 01 de abril.

Segundo o boletim epidemiológico da última terça-feira (02), o município tem 124 casos confirmados e 02 mortes por Covid-19. Há também 09 casos suspeitos.

O descumprimento ás normas deste decreto implica em crime de desobediência previsto no artigo. 330 do CP., assim como pagamento de multas, as quais serão fixadas por lei.

BOLETIM INFORMATIVO _BI_9°_2021.SMSPA Pedro Avelino/RN. atualizado às 19:53 em 02/03/2021

Veja abaixo medidas que passam a valer em Pedro Avelino

D E C R E T A:

Art. 1º – Fica estabelecido medidas de “toque de recolher”, com a proibição de circulação de pessoas em todo Município de Pedro Avelino, entre as 22hs de um dia e as 05hs do dia seguinte até 01 de abril de 2021, como medida para diminuição da circulação de pessoas em ruas e espaços públicos, objetivando evitar aglomeração de pessoas.

§ 1º – Ás medidas fixadas no caput deste artigo não se aplica as seguintes atividades:
I – Serviços Públicos Essenciais;
II – Farmácias;
III – Indústrias;
IV – Postos de Combustíveis;
V– Hospitais e demais unidades de saúde publicas e privadas, odontológicos e veterinários;
VI – Laboratório de Análise;
VII – Segurança Privada;
VIII – Imprensa, meios de comunicação e telecomunicação em geral;
IX – Funerárias;
X- Serviços Advocatícios;
XI – Venda de Alimentos em Geral.

§ 2º – O comercio em geral, incluindo academias, mercadinhos, salões de beleza, escritórios em geral, lanchonetes, farmácias, oficinas, transportes taxi, moto-taxi, bares e restaurantes deverão manter as atividades normais, devendo observar o horário fixado no caput e as regras de proteção de seus funcionários e clientes, evitando a aglomeração em seu interior, distância mínima de 1,5 m entre as pessoas e o uso de mascaras, assim como disponibilizar a seus clientes álcool com 70% INPM.

§ 3º – As academias deverão manter funcionário para realizar a higienização dos aparelhos a cada troca de pessoas, estando limitado a 10 (dez) clientes em atividade no seu interior.

§ 4º – Estão liberadas as atividades religiosas junto aos templos e igrejas, desde que mantenham o distanciamento de 1,5 m entre elas, observadas as normas de proteção como uso de máscaras e limpeza das mãos.

§ 5º – Será obrigatório o uso de máscaras de proteção do rosto em todo o território deste município, devendo os estabelecimentos comerciais, órgãos públicos e os templos religiosos impedir o acesso de quem dela não faça uso.

§ 6º – Os bares e restaurantes poderão funcionar, desde que mantenham as mesas numa distância mínima de 1,5 metros, estando ainda obrigado á higienização com álcool 70% na estrada e saída, observando o horário do caput.

§ 7º – Os serviços de saúde nas Unidades de Atenção Básica – UBS funcionarão normalmente, especialmente os serviços de urgência e emergência, devendo os profissionais terem acesso aos equipamentos de proteção e observarem as regras de segurança, mesmo que já tenham sido vacinados.

§ 8º – Os agendes de saúde, endemias e demais profissionais das Equipes Saúde da Família – ESF, permanecem em suas atividades para o atendimento dos seus serviços regulares, incluindo as atividades em barreiras sanitárias em dias e horários determinados pela Secretaria Municipal de Saúde e desinfecção de prédios e espaços públicos de uso comum do povo.

§ 9º – Fiscalização das medidas deste decreto ficará á cargo dos órgãos da vigilância sanitária do Município, podendo este requisitar a força policial para o exercício da atividade e o cumprimento dos deveres que lhes inerente.

§ 10 – Os profissionais envolvidos na fiscalização poderão executar tarefas para debelar, evitar ou restringir a aglomeração de pessoas, orientando-os a manter a distância mínima de 1,5 m entre elas, podendo até mesmo promover o fechamento do estabelecimento que não cumprir as determinações deste Decreto, assim como os bens de uso comum do povo se necessário for.

§ 11 – As atividades da feira livre estão liberadas apenas para os comerciante locais, devidamente autorizados pelo órgão municipal da vigilância sanitária, devendo fazerem uso de mascaras e coordenarem o acesso ás suas bancas de modo a manter a distância de 1,5 m.

§ 12 – Havendo descumprimento das determinações constantes deste Decreto, deverão as autoridades consignadas no § 9º deste artigo, comunicar ao setor competente da Prefeitura Municipal responsável pela emissão de Alvará de Funcionamento para fins de seu cancelamento e aplicação das demais penalidades, sem prejuízo do Poder de Polícia para fazer cessar, imediatamente, a violação a esta normas.

Art. 2º – Está o Poder Publico Municipal vedado de conceder alvará para o licenciamento de qualquer atividade festiva, ou que importe em aglomeração de pessoas, no prazo do art. 1º deste Decreto.

Art. 3º – As atividades escolares estão vedadas na sua forma presencial, assim como as atividades no âmbito da Secretaria Municipal do Trabalho, da Habitação e da Assistência Social no prazo deste
Decreto, sendo permitida as atividades esportivas de treinamento, com vedação á realização de atividades com a presença de público.

Art. 4º – O descumprimento ás normas deste decreto implica em crime de desobediência previsto no art. 330 do CP., assim como pagamento de multas, as quais serão fixadas por lei.

Art. 5º – Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação, ficando revogadas as disposições em contrário.

Comunique-se
Publique-se

JOSÉ ALEXANDRE SOBRINHO
Prefeito Municipal 

Publicado por:
Meireane Alves Miranda
Código Identificador:52C27F63

Matéria publicada no Diário Oficial dos Municípios do Estado do Rio Grande do Norte no dia 05/03/2021. Edição 2476
A verificação de autenticidade da matéria pode ser feita informando o código identificador no site:
http://www.diariomunicipal.com.br/femurn/

Fátima confirma toque de recolher a partir das 20h deste sábado

Governadora atendeu recomendação do comitê científico e anunciou novo decreto nesta sexta-feira (5).

Governadora Fátima Bezerra, anuncia toque de recolher integral no domingo e das 20h às 6h nos outros dias da semana no RN

governadora Fátima Bezerra confirmou que o Governo do Rio Grande do Norte vai acatar as recomendações do Comitê Científico do estado, nesta sexta-feira (5). Entre as restrições, Fátima confirmou o toque de recolher das 20h às 6h, de segunda a sábado, e integralmente aos domingos. A medida começa já neste sábado (6). O decreto com o detalhamento das restrições será publicado ainda nesta sexta-feira.

Emocionada em alguns momentos da entrevista coletiva, Fátima disse que as medidas são necessárias e, apesar de saber do impacto financeiro que trará ao setor empresarial, é obrigação do Governo do Estado cuidar da saúde da população.

“Sei do impacto que essas medidas tem para o setor empresarial, especialmente de entretenimento, mas a vida se impõe a qualquer condição. Nós temos o dever, o Poder Público e sociedade, em primeiro lugar, de cuidar da saúde do nosso povo”, afirmou a governadora.

No domingo, somente serviços essenciais, como farmácias, feiras e supermercados, serão autorizados a funcionar. Porém, é possível que a população circule pelas ruas somente em caso de emergências. “Nossas forças de segurança vão atuar para o cumprimento dos decretos, em parceria com as guardas municipais”.

De acordo com a governadora, a situação da saúde pública, com ocupação de mais de quase 94%, demanda uma medida drástica. Fátima falou sobre a dificuldade em se conseguir insumos para operacionalizar as UTIs, mas afirmou que somente os leitos não são suficientes para passar pela pandemia.

“O Rio Grande do Norte vive pré-colapso no sistema de saúde. Todos os esforços têm sido feitos para disponibilizar mais leitos, mas, como temos alertados, isso tem limites. A começar pela exaustão dos nossos profissionais e a crise de desabastecimento, sobre a aquisição de insumos, que já se verifica em todo o país. Não vou iludir a população dizendo que basta abrir leitos para resolver a situação. Nesse momento, se faz imperativo aumentar o isolamento social”, disse, garantindo que não há risco de se faltar oxigênio.

De acordo com Fátima, o Executivo estadual está fazendo sua parte. “E conclamamos a sociedade a fazer sua parte também. Exige atitudes, gestos, ações concretas como essas. É preciso muito rigor nas medidas protetivas e é preciso seguir rigorosamente os decretos, especialmente o toque de recolher”, apelou.

As medidas que serão seguidas pelo Governo do Estado foram apresentadas pelo Comitê Científico e, segundo eles, “são frutos de uma avaliação criteriosa de reavaliação dos riscos epidemiológicos e da alta taxa de ocupação dos leitos críticos em todo o estado do Rio grande do Norte, levando em consideração ao aumento do número de internações e circulação de novas variantes do SARS-CoV2 no estado”.

aumento do número de internações e circulação de novas variantes do SARS-CoV2 no estado”.

Confira restrições que serão impostas pelo novo decreto do RN:

1 •Não utilizar medicamentos como prevenção ou tratamento precoce para a COVID-19, uma vez que não  existem  evidências  científicas  que embasam esta conduta;

2 •Ampliar as medidas restritivas em todo o território estadual, aumentado as estratégias de mitigação por um período de 21 dias, sendo passível de nova avaliação, devendo permanecer abertos apenas os  serviços essenciais  balizadas  na  Lei 13.979/2020  e  nos  Decretos  Estaduais 29.583/2020, 29.600/2020 e 29.634/2020;

3 •As medidas de supressão adotadas devem ser realizadas  de  forma simultânea pelos municípios  de  uma mesma  região de  saúde, assim  é necessária a divulgação efetiva de datas para início e nova avaliação do cenário, de modo que permita que a população se prepare para seguir as normativas;

4 •Normatizar a circulação nos espaços coletivos, ou seja, nos  serviços essenciais  estabelecidos  no  Decreto  Estadual conforme  orientações abaixo:

▪Definir horários prioritários para idosos, quando aplicável;

▪Definir horários de funcionamento para cada setor;

▪Restringir o quantitativo de pessoas por família;

▪Obedecer ao percentual de ocupação desses espaços de modo que seja possível  respeitar  o  distanciamento  social  dentro  do estabelecimento, evitando a ocupação máxima;

▪Reforçar o uso obrigatório e  correto  da  máscara  em  ambientes coletivos,  a  qual  deve  preferencialmente  ser  trocada  a  cada  3 horas;

▪Intensificar as fiscalizações, pelos municípios  em  cooperação com o Estado, para que se tenha o cumprimento das normativas estabelecidas,  de  modo  a  viabilizar  a  efetivação  das  medidas restritivas;

▪Adotar medidas relacionadas  ao  funcionamento  do  transporte  público visando à redução do risco sanitário:

▪Aumentar a frota de transporte coletivo em horários de pico, para reduzir as aglomerações que ocorrem nas  paradas  de ônibus  e dentro dos transportes;

▪Respeitar as medidas  de   distanciamento   social dentro   dos ônibus,   de   modo que não seja permitida a   circulação   de passageiros em pé;

▪Reforçar o uso  obrigatório  e  correto  da  máscara  dentro  do transporte coletivo;
Aumentar a frequência de higienização dos veículos;

▪Realizar fiscalizações para verificar  o cumprimento  das  normas nas paradas de ônibus e nos veículos, com aplicação de sanções caso se identifique o não cumprimento das recomendações;

6 •Aquisição de testes rápidos de antígeno por municípios e pelo Estado, de modo a facilitar e ampliar o diagnóstico para COVID-19;

7 •Todos os serviços essenciais devem cumprir com as normas sanitárias estabelecidas, de modo a:

▪Intensificar a triagem dos trabalhadores sintomáticos;

▪Realizar o teste de diagnóstico em todos os trabalhadores sintomáticos;

▪Realizar rastreio de contatos;

▪Proceder com a notificação  nos  sistemas  de  notificação  recomendados e acionar a Secretaria  Municipal de Saúde local para auxiliar na realização da investigação do caso e rastreio de contatos;

▪Afastar o trabalhador  sintomático  e  seus  contatos  pelo  período recomendado de isolamento domiciliar;

8. Intensificar    a    realização    das    notificações    de    casos    suspeitos, confirmados   ou   descartados  para  COVID-19,   assim   como   óbitos, independentemente do método de diagnóstico utilizado, no prazo de 24 horas, nos sistemas de notificação indicados;

9. Adotar toque  de  recolhera  partir  das 20  às  06  horas  de  segunda  a sábado em  todo  o  território  estadual;  aos domingos  o  toque  de recolher aplica-se em horário integral em todo o território estadual, de modo que  só  será permitido o  funcionamento  dos  estabelecimentos  na modalidade delivery e take away;

10. Restringir  a  venda  de  bebidas  alcoólicas  nos  finais  de  semana, assim como  consumo  em  locais  públicos  (como  por  exemplo  em  bares, restaurantes, conveniências, praças, praias) como estratégia de auxiliar na redução de aglomerações;

11. Perseguir  junto  ao  governo  federal  o  aumento  da  oferta  de  vacinas COVID-19, e efetivar as estratégias de vacinação de forma mais célere a nível municipal evitando aglomerações nos locais de vacinação;

12. Melhorar  a  qualidade  da  informação  e  da  comunicação  sobre  o  risco sanitário atual e as medidas implementadas.

Crédito da Foto: Reprodução
Fonte: TRIBUNA DO NORTE

Primeira noite de toque de recolher no RN tem uma pessoa presa por desobediência

A primeira noite/madrugada de vigência do toque de recolher no Rio Grande do Norte — medida adotada pelo Governo do Estado por meio de decreto — foi considerada tranquila pelas forças de segurança pública. Apenas uma ocorrências policial foi registrada em Natal. No interior, nenhum procedimento foi lavrado em razão do não cumprimento da medida, que proíbe a circulação de pessoas pelas ruas no período de 22h às 05h.

Os dados de ocorrências por descumprimento do decreto foram informados pela Polícia Civil. De acordo com a Delegacia Geral, o único registro de desobediência aconteceu no bairro Potengi, na Zona Norte, por volta das 22h45. Foi preciso intervenção da Polícia Militar, que conduziu  um homem para a plantão após ele se recusar a deixar um bar em que bebia. Ele assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) e em seguida foi liberado para ir diretamente para casa.

No interior do estado, ainda de acordo com a Polícia Civil, nenhum procedimento relativo ao descumprimento do decreto foi lavrado nos plantões das 10 regionais (plantões de Mossoró, São Paulo do Potengi, Caicó, João Câmara, Macau, Nova Cruz, Patu, Pau dos Ferros, Alexandria e Santa Cruz).

O toque de recolher, que teve início na noite deste sábado (26), deve seguir em todo o estado até o dia 10 de março. 

“Para garantir o cumprimento das medidas sanitárias de enfrentamento e prevenção ao novo coronavírus, a professora e governadora Fátima Bezerra determinou que nós disponibilizássemos todas as forças de segurança disponíveis, e é isto o que estamos fazendo, sempre respeitando e cumprindo o programa Pacto Pela Vida”, destacou o coronel Francisco Araújo Silva, titular da Secretaria da Segurança Pública e da Defesa Social (SESED).

Fonte: Portal Grande Ponto

Governadora anuncia ‘toque de recolher’ entre 22h e 5h e suspensão das aulas presenciais no RN

Decreto será publicado neste sábado (27) no Diário Oficial do Estado (DOE).

Por Sérgio Henrique Santos e Leonardo Erys, Inter TV Cabugi e G1 RN

26/02/2021 19h21  Atualizado há 5 minutos


Fátima Bezerra, governadora do Rio Grande do Norte — Foto:  Elisa Elsie
Fátima Bezerra, governadora do Rio Grande do Norte — Foto: Elisa Elsie

A governadora Fátima Bezerra (PT) anunciou nesta sexta-feira (26) que o Rio Grande do Norte terá “toque de recolher” entre às 22h e 5h. As aulas presenciais nas escolas também serão suspensas.

A medida será publicada em decreto no Diário Oficial do Estado (DOE) neste sábado (27) e terá validade pelos próximos 15 dias.

“A medida central é toque de recolher. O decreto traz o toque de recolher entre 22h e 5h da manhã do dia seguinte. Significa que a partir deste horário fica proibida a circulação de pessoas em todo o Rio Grande do Norte”, disse a governadora em entrevista ao RN 2, da Inter TV Cabugi.

Em relação às escolas, Fátima Bezerra (PT) disse que “naquilo que é de competência estadual estão suspensas as atividades de ensino na rede pública estadual e na rede privada, com exceção apenas para as séries iniciais e para o fundamental 1”.

Além dessas duas medidas, a gestora anunciou a suspensão de atividades religiosas. “Poderão funcionar apenas para orações e atendimentos individuais, mas estarão suspensas as atividades religiosas em templos cultos, entre outros”, disse Fátima Bezerra.

A governadora anunciou também a suspensão de qualquer tipo de festas e eventos de qualquer natureza.

“Infelizmente vivemos hoje um dos momentos mais dramáticos, não só aqui no Rio Grande do Norte, como em todo Brasil. Nós estamos vivendo o colapso a nível nacional”.

Segundo a governadora, a fiscalização será feita pelas forças de segurança. “Mas nós esperamos sobretudo, o engajamento da população. Nós não podemos nesse momento ter qualquer sentimento que não seja o coletivo, sobretudo o da solidariedade. Nós estamos vendo todo dia entes queridos indo embora. Estamos vendo as pessoas em busca de leito de UTI e não tendo leitos suficientes”, disse a governadora.

De acordo com o Regula RN, plataforma que monitora em tempo real as internações no estado, o Rio Grande do Norte tem 86% dos leitos críticos ocupados, sendo a Grande Natal a região que mais preocupa, com 89%. A consulta foi realizada nesta sexta-feira (26) às 18h45.

Na quinta-feira (25), a governadora admitiu que o sistema de saúde da Grande Natal colapsou e pediu aos prefeitos dos municípios medidas mais rígidas para evitar que isso se espalhe pelas demais regiões e se agrave ainda mais na Região Metropolitana.

O boletim da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) desta sexta-feira (26) indica que o RN tem 415 pessoas internadas em leitos críticos no estado, um a menos do que na quinta-feira (25), quando o estado bateu novo recorde de internações desde o início da pandemia. O número mais alto atingido na primeira onda havia sido de 363 pessoas, em 28 de junho.

Somados ao internados em leitos clínicos, atualmente são 761pacientes – o maior número já registrado. O boletim indica ainda que 100% dos leitos críticos da rede privada em todo o estado estão ocupados. Não há mais vagas.

Exemplo disso é que alguns pacientes não têm conseguido sequer ser internados. Na quinta-feira, uma idosa de 93 anos precisou ser intubada dentro da ambulância depois de ficar cinco horas sem receber atendimento em um hospital particular.

particular.

Hospitais particulares estão lotados em Natal e pacientes esperam por atendimento
Hospitais particulares estão lotados em Natal e pacientes esperam por atendimento

Sem vagas na Grande Natal, os pacientes estão sendo transferidos de avião para o interior do estado. Pelo menos sete já foram internados em leitos em Caicó, Mossoró e Pau dos Ferros. Ao todo, somados às transferências por ambulâncias, 31 pessoas foram reguladas nos últimos dias da Grande Natal para o interior pela falta de vagas.

31 pacientes foram transferidos da Grande Natal para o interior do RN
31 pacientes foram transferidos da Grande Natal para o interior do RN

Além disso, há um crescimento de 60% na internação de pessoas abaixo dos 60 anos de idade. Atualmente, quase metade dos internados em leitos críticos não são idosos.

A superlotação dos hospitais na Grande Natal também se reflete nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), que já operam acima dos 100% de ocupação. Pelo cenário, a Secretaria Municipal de Saúde de Natal decidiu tornar todos os 30 leitos clínicos do Hospital dos Pescadores exclusivos para pacientes com Covid-19.

UPAs continuam lotadas em Natal
UPAs continuam lotadas em Natal

O anúncio das restrições no Rio Grande do Norte segue na esteira do que vem ocorrendo em outras regiões do país, como na capital de São Paulo; em Araraquara, no interior paulista; na Bahia; no Paraná; e Rio Grande do Sul.

Na manhã desta sexta-feira (26), o Governo do RN publicou uma portaria recomendando a suspensão do atendimento presencial externo nos órgãos e entidades da administração pública estadual direta e indireta por conta do agravamento da pandemia no estado.

Veja também: ‘Apavorados’, ‘entrando em colapso’, ‘semanas muito difíceis’… No vídeo abaixo, veja as falas de autoridades estaduais e municipais sobre o avanço da pandemia no Brasil:

VÍDEOS: autoridades relatam apreensão com UTIs lotadas e aumento da Covid nos estados
VÍDEOS: autoridades relatam apreensão com UTIs lotadas e aumento da Covid nos estados

No interior do RN, prefeituras determinam toque de recolher e fechamento de estabelecimentos por causa da Covid-19

Pelos menos 7 municípios renovaram decretos ou publicaram novas medidas para conter o avanço da pandemia. Em Riachuelo, a prefeitura instituiu o toque de recolher depois das 21h.

Por G1 RN

19/02/2021 13h01  Atualizado há 4 horas


Município de João Câmara, no RN, registrou cinco mortes por Covid-19 em quatro dias — Foto: Kleber Teixeira/Inter TV Cabugi
Município de João Câmara, no RN, registrou cinco mortes por Covid-19 em quatro dias — Foto: Kleber Teixeira/Inter TV Cabugi

Pelo menos 7 municípios do interior do Rio Grande do Norte publicaram novos decretos prorrogando ou endurecendo as medidas no combate a Covid-19, entre esta quinta (18) e sexta-feira (19). Nos documentos, as prefeituras citam o aumento do número de casos confirmados da doença como justificativa para a publicação dos novos decretos.

No município de Riachuelo, o decreto institui o toque de recolher, proibindo a circulação de pessoas após às 21h. Além disso, estão proibidos eventos pelos próximos 30 dias; restaurantes, lanchonetes e até templos religiosos só podem funcionar com 40% da capacidade; bares e academias de ginásticas ficam fechados pelos próximos 15 dias. Riachuelo tem 6 óbitos e 290 casos confirmados da Covid-19.

Em Caiçara do Rio do Vento, na região Central, foram cancelados shows, festas e qualquer tipo de comemoração com aglomerações, sejam públicas ou privadas, pelos próximos 30 dias. No decreto também há restrições na capacidade de pessoas em estabelecimentos como restaurantes, lanchonetes supermercados e farmácias. Nos estabelecimentos comerciais, fica proibida a entrada de mais de duas pessoas da mesma família por vez.

O município também proibiu o uso de som automotivo em vias públicas; restringiu número de pessoas em templos religiosos e suspendeu funcionamento de academias durante 15 dias. O decreto informa que a vigilância sanitária, responsável pela fiscalização, tem autorização para interditar os estabelecimentos. Segundo dados da Sesap, Caiçara do Rio do Vento tem 118 casos confirmados da Covid-19 e 3 óbitos.

Os municípios de Brejinho, e de Boa Saúde, na região Agreste, decidiram prorrogar os decretos vigentes. Em Brejinho as medidas foram prorrogadas até o dia 5 de março. E em Boa Saúde, as determinações continuam válidas até o dia 21 de março. O município de Brejinho tem 5 óbitos confirmados pela Covid-19 e a Boa Saúde tem 3.

A prefeitura de João Câmara publicou um novo decreto nesta quinta-feira (18), depois de registrar 5 mortes pela Covid-19 em menos de 1 semana. O número de óbitos subiu de 20 para 25. Entre as medidas estão o fechamento das escolas particulares que tinham retomados aulas presenciais; fechamento de bares; proibição de venda de bebidas alcoólicas para consumo nos estabelecimentos; cancelamento de eventos públicos e privados que possam provocar aglomerações. O município tem uma população estimada em 35.160 pessoas.

O município de Jardim de Angicos, na região do Mato Grande, apesar de não ter óbitos confirmados pela Covid-19, também adotou medidas mais restritivas. O decreto determina que restaurantes, lanchonetes, praças de alimentação e bares só poderão funcionar através do delivery ou para retirada no local. Casas de eventos e salões de festa, academias e templos religiosos devem permanecer fechados. O documento orienta ainda a limitação no quantitativo para a venda de produtos de higiene e alimentação, para evitar o esvaziamento do estoque. Jardim de Angicos tem 39 casos confirmados da Covid-19, segundo a Sesap.

Em São João do Sabugi, na região Seridó, estão suspensos eventos públicos e privados; vendedores ambulantes de outras cidades não poderão atuar nas feiras livres; bares e restaurantes só poderão funcionar com 50% da capacidade até às 22h. A fiscalização será feita através da vigilância com apoio da Polícia Militar. O descumprimento implica em multas e até no fechamento dos estabelecimentos. São João do Sabugi tem 346 casos confirmados da Covid-19 e 6 óbitos.