Carla Zambelli sofre processo de expulsão do partido e de perda do mandato

A deputada Carla Zambelli (PSL-SP) foi notificada nessa quarta-feira (06) sobre um pedido de expulsão do partido. O documento afirma que, devido às críticas publicadas em redes sociais e em entrevistas, a deputada foi infiel à legenda. Outro argumento que embasa o pedido contra a bolsonarista são as declarações que a deputada tem feito pedindo a abertura das contas do partido. Além desse processo, a deputada também sofre uma representação apresentada pela deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), que pode resultar na cassação do seu mandato por quebra de decoro parlamentar.

Congresso em Foco, em 6 de novembro de 2019

> Carla Zambelli prefere ser expulsa do que continuar em guerra no PSL

Carla se posicionou ao lado do presidente Jair Bolsonaro na crise que dividiu a sigla e resultou, entre outros pontos, na destituição do líder do PSL na Câmara e na ascensão de Eduardo Bolsonaro (SP), filho do presidente, em seu lugar. Eduardo também sofre representação no Conselho de Ética da Câmara por ter defendido a volta do AI-5.

Desde que Eduardo iniciou a articulação para assumir a liderança na Câmara, muitas trocas de acusações aconteceram dentro do partido. O Congresso em Foco, além de adiantar em primeira mão a crise na legenda em setembro, também noticiou o isolamento que a ala bolsonarista sofreu dentro da legenda. Deputados dessa ala denunciaram ao site que não estavam sendo informados de reuniões da agremiação.

Por outro lado, Jair Bolsonaro retirou a liderança do governo no Congresso Nacional das mãos de Joice Hasselmann, que se posicionou contrária ao “golpe branco” – nas palavras de Joice – que a ala bolsonarista aplicou no ex-líder da bancada na Câmara, Delegado Waldir (PSL-GO).

Carla Zambelli, por mais de uma vez, se envolveu em discussões acaloradas com deputados que ficaram do lado do presidente do PSL, Luciano Bivar.

“Acabo de saber que, por articulação interna de Joice, o Bi-var pede a CASSAÇÃO DO MEU MANDATO, por “quebra de decoro”, publicou Carla Zambelli em sua conta no Twitter.

Acabo de saber que, por articulação interna de Joice, o Bi-var pede a CASSAÇÃO DO MEU MANDATO, por “quebra de decoro”.

Será falta de trabalho? Depois eu que sou invejosa? Depois nós é que somos autoritários?

Falta do que fazer, viu.

O que acham de mais esta?

— Carla Zambelli (@CarlaZambelli17) November 6, 2019

Joice, por sua vez, afirma que representou contra Zambelli no Conselho de Ética, mas nega ter articulado sua expulsão do PSL. “O que eu fiz foi levar a Carla Zambelli ao Conselho de Ética para que ela venha a responder pelos crimes virtuais que ela cometeu”, declarou Joice.

Carla Zambelli já imaginava que o clima na legenda não se acalmaria. Em entrevista exclusiva ao Congresso em Foco no último dia 22, a deputada afirmou que, apesar de torcer para que tudo se resolvesse, não acreditava que o clima iria se apaziguar. Na ocasião, diante de um cenário hipotético de eterno racha partidário, Carla afirmou que prefere a expulsão a continuar vivendo diante de um clima bélico.

“Eu, particularmente, preferia ser expulsa. Eu, Carla Zambelli. Porque é muito ruim estar em um lugar em que você não é bem-vindo, não é benquisto, sabe que as pessoas têm raiva de você, tem uns contra a gente”, desabafou a deputada.

Ainda no dia 22, Carla Zambelli afirmou que, apesar da vitória da ala bolsonarista pela liderança do partido, deputados contrários ao presidente da sigla, Luciano Bivar (PE), seguem receosos dos ataques que podem vir dos bivaristas.

“A gente ganhou essa batalha de ter o Eduardo líder. A gente já tem maioria, mas infelizmente não é só uma batalha, vão ter outras. É uma guerra grande. A gente está querendo pacificar, tanto é que a gente já chamou todo mundo do lado de lá para poder ter espaço, ver quais comissões eles precisam, ver que tipo de espaço eles querem. Para tentar pacificar essa briga”, disse Carla Zambelli.

A deputada afirmou à reportagem na ocasião que previa uma expulsão. “Eu acho que no final das contas a ideia vai ser expulsar a gente”, disse.