Contra o Palmeiras, Flamengo tem volta da dupla de 43 gols para tentar quebrar outra marca

Rubro-Negro tenta a primeira vitória na Arena Palmeiras. Gabigol retorna após cumprir suspensão contra o Ceará e se junta a Bruno Henrique

Por Fred Huber — Rio de Janeiro

01/12/2019 07h30  Atualizado há 2 horas


Campeão do Brasileiro por antecipação, invicto há 27 jogos… o Flamengo tenta nas últimas três rodadas da competição ampliar recordes e alcançar outras marcas. Neste domingo, às 16h, a equipe rubro-negra vai até São Paulo enfrentar o Palmeiras e tentará sua primeira vitória na Arena do principal concorrente pelo título. Para isso, conta com a volta da dupla Gabigol-Bruno Henrique, que, juntos, marcaram 43 gols na competição.

+ STJD mantém torcida única para o Palmeiras e dá direito de reciprocidade ao Fla

Somados, eles têm mais gols, por exemplo, que Internacional e Corinthians, equipes que estaria classificadas para a fase preliminar da Libertadores. Gabigol, artilheiro do Brasileiro com 22 gols, está de volta após cumprir suspensão. Ausente contra o Ceará, ele viu Bruno Henrique marar três na vitória por 4 a 1 e encostar. Agora, o camisa 27 tem 21 gols. Um ingrediente a mais para as últimas rodadas.

Flamengo e Palmeiras já se enfrentaram quatro vezes na Arena. Foram duas vitórias dos donos da casa e dois empates. Recentemente o time comandado por Jorge Jesus também quebrou uma barreira parecida, ao vencer pela primeira vez o Grêmio em sua arena.

+ Sem Everton Ribeiro, Flamengo divulga relacionados para o jogo

A missão rubro-negra promete ser dura, porque os números do Palmeiras em sua casa são altamente positivos. Este ano, o time disputou 25 jogos na Arena, venceu 18, empatou cinco e perdeu apenas duas vezes – para o Corinthians, no Paulista, e para o Grêmio, no Brasileiro.

– Apesar de sermos campeões, queremos terminar bem e se possível ganhando até o fim. Não sei porque, mas não só o Palmeiras, mas todas as equipes vão 100% contra o Flamengo. Todas querem apresentar um bom futebol contra a gente. Vai ser um grande jogo, vamos lá para fazer o que sempre fazemos, buscar a vitória e continuar em um ritmo importante até o Mundial – disse o lateral Rafinha.

O duelo ganhou outros ingredientes, como as provocações de Gabigol ao cantar “O Palmeiras não tem Mundial” durante as comemorações do Flamengo. A disputa sobre torcida única ou não também colocou os clubes em lados opostos.