Municípios têm de prestar atenção às receitas especiais, alerta Boletim das Finanças

Por dentro de três fontes de receita é o tema de capa da sétima edição do Boletim das Finanças Municipais da Confederação Nacional de Municípios (CNM), que fecha o ano de 2019. Disponível para download, a publicação destaca: há formas de fortalecer as finanças municipais que vão além da arrecadação de impostos como o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), o Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN) e o Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI). 

As prefeituras, em sintonia com a vocação do Município, têm a possibilidade de gerar caixa com atividades em três setores: são as receitas Agropecuária, Industrial e de Serviços. A partir de entrevistas e conteúdos produzidos por gestores de Municípios com perfis de atividade predominante diferente, a reportagem especial de quatro páginas traz indicações de como busca melhorar a receita, ao aproveitar as oportunidades alinhadas a cada perfil econômico.

O boletim, com 16 páginas, também mostra a evolução da arrecadação nos quatro primeiros bimestres de 2019 de quatro tipos de tributo: o IPTU, o ISSQN, o ITBI e o Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF). A seção de boas práticas retrata que, em sete anos, a prefeitura de São Francisco do Guaporé (RO) garantiu melhorias em educação, saúde, infraestrutura e até construção da sede própria, deixando de gastar com aluguel.

Também é possível conferir as principais questões de interesse dos Municípios no Congresso Nacional, colunas dos consultores Eduardo Stranz e Eudes Missio, uma seção sobre o Projeto Realidade Municipal e, para completar, a apresentação de um conteúdo exclusivo para os Municípios contribuintes da CNM: nesta edição, explica como aproveitar oportunidades, com a Plataforma Êxitos.

Baixe o Monitor na Biblioteca do Portal da CNM, neste link: http://www.li.cnm.org.br/r/R3rcUA

Da Agência CNM de Notícias