Prefeito leva briga política para luta de MMA e apanha de ex-vereador

Políticos do AM subiram no ringue na madrugada deste domingo (12/12). O prefeito de Borba, Simão Peixoto, apanhou, mas foi apontado vencedor

O prefeito de Borba, no Amazonas, Simão Peixoto (PP), subiu no ringue para enfrentar o desafeto político e ex-vereador Erineu Alves Da Silva, conhecido como Mirico, em uma luta de MMA na madrugada deste domingo (12/12).

Os políticos já protagonizaram diversos conflitos, após Mirico ter feito críticas à gestão do prefeito da cidade, localizada a 150 km de Manaus. No entanto, a diferença entre eles parece ter sido resolvida em uma luta sem técnica, que ocorreu em uma quadra de esportes na cidade. As informações são do portal BNC.

Logo no início do embate de três rounds, Mirico deixou o prefeito atordoado com uma sequência de chutes, que o levou uma vez para o tatame. Apesar da ofensiva, Peixoto se levantou e continuou. No fim, foi apontado como o vencedor do embate.

A luta teve plateia animada, que vibrou pelo lutador favorito. No fim do combate, o prefeito disse que aceitou o “desafio” de seu principal opositor para incentivar o esporte no município.

Veja o vídeo:

Duelo no octógono

Ainda em setembro, Mirico publicou um vídeo criticando o prefeito pela má conservação do balneário da cidade. Após as denúncias, o ex-vereador chamou Peixoto para “a porrada”. A ofensiva desagradou o chefe do Executivo municipal, que reagiu às críticas e desafiou o opositor para uma sessão no estilo UFC.

Amazonas abre enfermaria de campanha para aliviar lotação hospitalar

Espaço vai atender pacientes com covid-19

Publicado em 27/01/2021 – 14:31 Por Alex Rodrigues – Repórter da Agência Brasil – Brasília

O governo do Amazonas inaugurou, hoje (27), uma enfermaria de campanha montada na área externa do Hospital e Pronto Socorro Delphina Aziz, em Manaus. Equipada com 50 leitos clínicos e equipamentos, o espaço atenderá a pacientes com quadros leves e moderados da covid-19, encaminhados pela equipe médica do hospital, unidade de referência no tratamento da doença na capital amazonense.

“São aqueles pacientes que já passaram pelo momento mais difícil [do tratamento hospitalar da doença] e que, então, virão para o Hospital de Campanha”, explicou o governador Wilson Lima durante a abertura da enfermaria de campanha, esta manhã.

Catorze pessoas já estão sendo tratadas na enfermaria. Segundo Lima, a expectativa dos profissionais de saúde é que cada paciente encaminhado para a unidade possa ter alta, em média, entre 48 horas e 72 horas após a entrada no local.

“Isto é importante porque no momento em que eles ocupam um leito de campanha, desocupam uma vaga do hospital, permitindo que mais pessoas sejam enviadas para o hospital [Delphina Aziz]”, acrescentou o governador.

Nova etapa

Montada pelo Exército e por uma organização contratada por meio de Parceria Público-Privada (PPP), a enfermaria é, nas palavras de Lima, “mais uma etapa na abertura de novos leitos para atendimento aos pacientes” com a covid-19.

“No início da pandemia, aqui [no hospital Delphina Aziz] funcionavam 132 leitos. Hoje, são 384. Dos quais 150 de UTI”, destacou o governador, revelando que o governo estadual estuda abrir outras enfermarias semelhantes, além de uma nova ala clínica para atendimento a pacientes com a covid-19 no hospital.

Ontem (26), o governo estadual reiniciou o atendimento no Hospital Nilton Lins com uma cerimônia que contou com a presença do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que elogiou a montagem da enfermaria de campanha inaugurada hoje.

“Esse modelo é o que nós preconizamos pelo SUS [Sistema Único de Saúde] como hospital de campanha. Uma enfermaria que está anexada, ligada ao hospital, e que, numa velocidade que realmente impressiona, vai fazer com que possamos receber os pacientes, dar um melhor atendimento e salvar mais vidas”, disse Pazuello.

Justiça Federal suspende entrega de todas as doses de vacinas AstraZeneca no Amazonas

Justiça Federal determinou nesta terça-feira, 26, que o governo do Amazonas suspensa a entrega das 132.500 doses da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com a AstraZeneca. O estado recebeu as doses do imunizante no domingo, 24. O mandado de intimação, assinado pela juíza federal Jaiza Fraxe, foi entregue à Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM). De acordo com o documento, as vacinas só poderão ser entregues depois que a Prefeitura de Manaus cumprir as determinações impostas pela Justiça, “especialmente de total transparência no que se refere a programação e critérios para vacinação”.

A prefeitura deve divulgar todos os dias, até as 22 horas, a lista completa de vacinados contra o novo coronavírus até as 19 horas do mesmo dia, contendo nome, CPF, local onde a imunização foi feita, função exercida pela pessoa e local onde a exerce. A relação com os dados de quem recebeu o imunizante deve ser publicada no site oficial da prefeitura sob pena de multa de R$ 100 mil por dia. A determinação ocorreu após denúncias de fraudes na vacinação.

Por Jovem Pan