PDT prepara ação para anular eleição; PT quer investigação do TSE

 

O presidente do PDT, Carlos Lupi, afirmou nesta quinta-feira (18) que o partido prepara uma ação para pedir à Justiça Eleitoral a anulação das eleições deste ano após as denúncias de práticas ilícitas no uso de redes sociais por parte da campanha do candidato do PSL, Jair Bolsonaro. O mesmo fato motivou uma nota na qual o PT cobra um posicionamento do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sobre o caso.

“É uma ação coordenada para influir no processo eleitoral, que não pode ser ignorada pela Justiça Eleitoral nem ficar impune”, diz a nota assinada pela Executiva do PT.

Fraga: E as fake news do PT no WhatsApp?

Adversário de Bolsonaro no segundo turno da disputa pelo Planalto, Fernando Haddad, acusou o adversário de criar uma “organização criminosa com empresários que, mediante caixa dois, dinheiro sujo, estão patrocinando mensagens mentirosas no WhatsApp”.

O PDT, que teve o candidato Ciro Gomes em terceiro lugar no primeiro turno da disputa pelo Palácio do Planalto, ainda estuda a forma e o conteúdo da peça a ser apresentada ao TSE. “Estamos preparando uma ação. Ainda não está pronta, o jurídico está examinando o termo exato e por isso ainda não soltei”, disse Lupi.

O caso

Uma reportagem do jornal Folha de S.Paulo divulgada nesta quinta-feira apontou práticas ilícitas no uso de redes sociais por parte da campanha de Bolsonaro.

De acordo com a publicação, empresários têm bancado a compra de distribuição de mensagens contra o PT e a favor de Bolsonaro por WhatsApp, em uma prática que se chama pacote de disparos em massa de mensagens, e estariam preparando uma operação para a próxima semana, antes do segundo turno.

RealTime Big Data: Bolsonaro tem 60% dos votos válidos; Haddad, 40%

A campanha de Bolsonaro não se manifestou de imediato sobre as denúncias, mas um dos filhos do presidenciável disse em mensagem no Twitter que o jornal e o PT contam meias-verdades ou mentiras descontextualizadas. “Vão perder a boquinha que o partido mais corrupto do Brasil bancou ao longo de seu tempo no poder!”, escreveu o vereador Carlos Bolsonaro.

Novidade: WhatsApp terá Modo Férias para impedir notificações de mensagens

Com o Modo Férias ativado, uma conversa arquivada vai continuar escondida mesmo que você receba uma nova mensagem, se o chat já tiver sido silenciado antes.

O WhatsApp está desenvolvendo um novo recurso para quem quiser se desligar do aplicativo. Chamada de Modo Férias, a opção permite cancelar as notificações de recebimento de mensagens por um prazo determinado pelo usuário. A novidade funciona de forma um pouco diferente da opção de silenciar conversas. Hoje, quando uma conversa é arquivada, ela sai da sua lista e vai para o arquivo. Mas caso chegue uma nova mensagem na conversa arquivada, ela retorna para a sua lista e você é notificado normalmente.

Segundo informações do site WABetaInfo, com o Modo Férias ativado, a conversa arquivada vai continuar escondida mesmo que você receba uma nova mensagem, se o chat já tiver sido silenciado antes. O recurso pode ser útil para grupos de trabalho e família, normalmente muito movimentados. Entretanto, a novidade ainda deve demorar um pouco para estar disponível. A ferramenta está no estágio inicial de desenvolvimento e não está disponível nem na versão beta do aplicativo.

outubro 18, 2018 às 11:42 – Por: Redação OP9

WhatsApp mexe no limite de tempo do ‘apagar para todos’; entenda o que muda

O WhatsApp mexeu novamente do amado e odiado recurso que permite apagar mensagens “para todos” após o envio. Agora o aplicativo mexeu no limite de tempo para que um aparelho receba o comando para a remoção da mensagem, o que significa que existe uma possibilidade de que seu envio não seja efetivamente apagado para todos.

Primeiro é importante saber como funciona o “apagar para todos”. Atualmente, o usuário que deseja apagar sua mensagem precisa realizar o comando dentro de um período máximo de 1 hora, 8 minutos e 16 segundos. No entanto, para que o comando tenha sucesso, as outras pessoas envolvidas na conversa também precisam receber esse comando. O problema é que existe um limite de tempo para que o comando seja recebido pelos outros celulares, o que pode fazer com que a mensagem não seja deletada dos outros smartphones.

O novo limite de tempo determinado pelo WhatsApp é de 13 horas, 8 minutos e 16 segundos. Isso significa que se você der um comando de “apagar para todos”, mas o outro celular não o receber dentro deste prazo, a mensagem não será apagada de forma efetiva e permanecerá acessível para sempre.

É uma situação pouco comum, mas é possível. Se, por exemplo, o celular da outra pessoa passar 13 horas desligado ou fora da internet, o comando não será recebido e a mensagem permanecerá disponível.

Existe um motivo para o WhatsApp impor essa restrição de tempo. Enquanto esse limite não existia, não havia nada que impedisse o usuário de simplesmente apagar mensagens publicadas semanas ou até meses atrás simplesmente ajustando o relógio do celular. Com isso, fica mais difícil burlar o sistema.