Considerado maior revéillon do Brasil é cancelado pela Prefeitura

O prefeito Eduardo Paes anunciou na manhã deste sábado (4) em suas redes sociais que decidiu cancelar a celebração oficial do réveillon no Rio.

Reprodução/Globo

“Respeitamos a ciência. Como são opiniões divergentes entre comitês científicos, vamos sempre ficar com a mais restritiva. O Comitê da prefeitura diz que pode. O do Estado diz que não. Então não pode. Vamos cancelar dessa forma a celebração oficial do réveillon do Rio”, disse Paes.

O prefeito disse que toma a decisão com tristeza, mas que não tem como organizar a celebração sem a garantia de todas as autoridades sanitárias. “Infelizmente não temos como organizar uma festa dessa dimensão, em que temos muitos gastos e logística envolvidos, sem o mínimo de tempo para preparação”, garantiu.

Uma pessoa morre e outras três ficam feridas em desabamento no Rio de Janeiro; família é do RN

Uma pessoa morreu e outras três ficaram feridas durante o desabamento de uma casa de três andares no Morro do Salgueiro, na Tijuca, Zona Norte do Rio, na noite de quarta-feira (17). Segundo o Corpo de Bombeiros, os quartéis da Tijuca, Vila Isabel e do 1º e 2º Grupamento de Socorro Florestal e Meio Ambiente foram acionados por volta das 20h e atuaram no resgate das vítimas. Segundo informações de moradores, o imóvel de três pavimentos era ocupado por oito pessoas da mesma família.

Tragédia

Segundo moradores, a família que morava no imóvel é oriunda do Rio Grande do Norte, e chegou há poucos meses no Morro do Salgueiro em busca de emprego e estabilidade no Rio. Um homem identificado como Carlos Eduardo, de 22 anos, morreu logo após a queda do imóvel. O corpo do jovem foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) e aguarda a liberação.

Tragédia

Dentre as três pessoas resgatadas com vida, duas delas foram encaminhadas ao Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier: Alessandra Silva, de 19 anos, recebeu alta durante a madrugada desta quinta-feira (19). Já a menina de quatro anos segue em observação e tem quadro de saúde estável. A outra vítima, Alexandra Silva, 25, foi para o Souza Aguiar, no Centro do Rio, e também tem quadro de saúde estável.

Jornal O Dia

Justiça determina leilão de bens de Romário para pagar dívida de R$ 40 milhões

O caso, que se arrasta há 16 anos, é sobre o projeto do Café do Gol, na Barra, que o ex-jogador foi sócio

Por Julinho Bittencourt15 maio 2021 – 09:46

A 4ª Vara Cível do Rio determinou o leilão dos bens do senador Romário (PL-RJ) para pagar uma dívida de mais de R$ 40 milhões.

O caso, que se arrasta há 16 anos, é sobre o projeto do Café do Gol, na Barra (boate que teve Romário como sócio), de acordo com a coluna de Ancelmo Gois.

A dona do espaço do Café Gol, Cândida Virgínia Ribeiro – ingressou com uma ação de execução de dívida de IPTU após o baixinho entregar o imóvel. Naquela época a cobrança montava a importância de R$ 1,2 milhão. 

Romário não pagou a dívida – que já era reconhecida pela Justiça – e agora, mais uma vez, a dona do espaço ingressou com uma nova ação de execução de dívida.

Além disse, Romário é acusado nessa nova ação de fraudar o processo de execução.

Polícia vai à OAB e ao MP contra advogado de Jairinho, acusando-o de crimes de coação e obstrução de Justiça

A Polícia Civil vai enviar para o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) e para a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) uma representação contra o advogado André França Barreto, advogado do vereador Dr. Jairinho (sem partido), padrasto do menino Henry Borel, e de Monique Medeiros, mãe da criança.

Reprodução

A polícia acusa o advogado pelos crimes de coação de testemunha e obstrução de Justiça.

A informação foi antecipada pelo colunista do jornal O Globo Lauro Jardim.

Em nota, o advogado diz que a “defesa técnica sempre pautou a sua atuação sob a égide da ética, da técnica e do profissionalismo”.

O vereador Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho, e a professora Monique Almeida tiveram a prisão temporária decretada por 30 dias pela morte do menino Henry Borel, de 4 anos, em 8 de março.

O escritório que defende o casal entrou com um pedido de habeas corpus na sexta (9). O advogado endereçou o pedido de soltura ao presidente do Tribunal de Justiça do RJ, desembargador Henrique Carlos de Andrade Figueira. O caso será sorteado para definir qual magistrado avaliará o pedido.

No documento, França Barreto alega que os clientes “se encontram submetidos a manifesto constrangimento ilegal” e afirma que não havia necessidade de prendê-los.

G1

Crivella deixa prisão domiciliar para acompanhar enterro da mãe

Ministro Humberto Martins atendeu a um pedido da defesa do prefeito afastado. Eris Bezerra Crivella tinha 85 anos e morreu nesta segunda.

Por G1 Rio

30/12/2020 09h36  Atualizado há 3 horas


Crivella deixou na manhã desta quarta-feira (30) o condomínio onde está em prisão domiciliar para acompanhar o sepultamento do corpo da mãe — Foto: Carlito Chagas/ TV Globo

Prefeito afastado do Rio, Marcelo Crivella deixou a prisão domiciliar nesta quarta-feira (30) para participar do enterro da mãe, Eris Bezerra Crivella.

Ela morreu na madrugada desta segunda-feira (28), aos 85 anos, em sua casa no bairro de Copacabana, Zona Sul do Rio. A causa da morte não foi divulgada.

Crivella saiu de casa, no Condomínio Península, na Barra da Tijuca, às 9h30, de onde seguirá para Simão Pereira, no interior de Minas Gerais.

A saída foi autorizada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) nesta segunda-feira (28). O presidente do STJ, ministro Humberto Martins, determinou que Crivella seja acompanhado por escolta, como estabelece a Lei de Execuções Penais.

“Defiro o pedido a fim de que o paciente, Marcelo Bezerra Crivella, compareça ao velório e sepultamento de sua genitora, Dona Eris Bezerra Crivella, no dia 30, das 6h às 18h, mediante escolta. Após as 18h, o paciente retornará imediatamente à prisão domiciliar, comunicando-se a esta Presidência o seu recolhimento”, ordenou o ministro.

Mãe do prefeito afastado do Rio, Marcelo Crivella, morreu nesta segunda (28) no apartamento onde morava, em Copacabana — Foto: Reprodução/ Redes sociais

Prisão domiciliar

A determinação do ministro atende a um pedido da defesa de Crivella, que está em prisão domiciliar desde a última quarta-feira (23), também por decisão do presidente do STJ.

Um dia antes, o prefeito afastado tinha sido preso em uma ação conjunta entre a Polícia Civil e o Ministério Público do RJ.

A investigação apontou a existência de um “QG da Propina” na Prefeitura do Rio. No esquema, de acordo com as apurações do MP, empresários pagavam para ter acesso a contratos e para receber valores que eram devidos pela gestão municipal.

A prisão foi inicialmente determinada pela desembargadora Rosa Helena Penna Macedo Guita, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Posteriormente, a defesa de Crivella recorreu ao STJ e obteve a conversão em prisão domiciliar.

Marcelo Crivella foi preso na terça-feira passada — Foto: Daniel Silveira / G1

Presidente do STJ concede prisão domiciliar ao prefeito do Rio

Marcelo Crivella será monitorado por tornozeleira eletrônica

Publicado em 22/12/2020 – 22:55 Por André Richter – Repórter da Agência Brasil – Brasília

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Humberto Martins, concedeu hoje (22) prisão domiciliar ao prefeito afastado do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella. Pela decisão, Crivella será monitorado por tornozeleira eletrônica e está proibido de manter contato com terceiros e de falar ao telefone. Ele também deverá entregar aparelhos telefônicos, computadores e tablets às autoridades.

Na manhã de hoje, Crivella foi preso por determinação da desembargadora Rosa Helena Penna Macedo Guita, da 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. A prisão do prefeito e de outros investigados foi realizada em ação do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) e da Polícia Civil, como desdobramento da Operação Hades, que apura corrupção na prefeitura da cidade e tem como base a delação do doleiro Sergio Mizrahy.

Na decisão, o presidente do STJ entendeu que Crivella pode cumprir medidas cautelares diversas da prisão. “Não obstante o juízo tenha apontado elementos que, em tese, justifiquem a prisão preventiva, entendo que não ficou caracterizada a impossibilidade de adoção de medida cautelar substitutiva menos gravosa”, afirmou o presidente da corte.

No habeas corpus, a defesa de Crivella afirmou que a prisão é ilegal e uma demonstração de criminalização da política. “A prisão foi decretada com base em presunções genéricas e abstratas, desamparadas de qualquer base legal, sendo certo que o prefeito terá sua inocência demonstrada no curso do processo.”, declararam os advogados.

Ao chegar à Cidade da Polícia após ser preso, o prefeito atribuiu a sua prisão a uma perseguição política. “Perseguição política. Lutei contra o pedágio ilegal e injusto, tirei recursos do carnaval, negociei com o VLT. Foi o governo que mais atuou contra a corrupção no Rio de Janeiro”, afirmou.

Perícia revela que voz que liberou entrada de Élcio de Queiroz em condomínio não é de porteiro que citou Bolsonaro

Laudo obtido pelo GLOBO atesta que áudio não sofreu qualquer edição, e que Ronnie Lessa autorizou a entrada do outro acusado no condomínio

Vera Araújo 11/02/2020 – 04:30 / Atualizado em 11/02/2020 – 08:39

Aentrada do Condomínio Vivendas da Barra, onde morava o PM reformado Ronnie Lessa, que está preso sob acusação de ter atirado em Marielle Foto: Pablo Jacob / Agência O GLOBO
Aentrada do Condomínio Vivendas da Barra, onde morava o PM reformado Ronnie Lessa, que está preso sob acusação de ter atirado em Marielle Foto: Pablo Jacob / Agência O GLOBO

RIO — Laudo da Polícia Civil obtido pelo GLOBO concluiu que a voz do porteiro que efetivamente liberou a entrada do ex-PM Élcio de Queiroz no condomínio Vivendas da Barra, no dia do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes, não é a do funcionário que mencionou o presidente Jair Bolsonaro aos investigadores da Delegacia de Homicídios (DH). O documento, assinado por seis peritos, também atesta que o áudio da portaria não sofreu qualquer tipo de edição e que a pessoa que autorizou a entrada de Élcio no condomínio foi o policial reformado Ronnie Lessa. Tanto Élcio quanto Lessa estão presos sob a acusação de terem cometido o crime.

Em depoimento, no ano passado, um dos porteiros disse que Bolsonaro havia liberado a entrada de Élcio no condomínio. Depois, ele voltou atrás. Agora, a perícia no áudio da portaria, iniciada em 13 de janeiro deste ano, confirmou que foi um outro funcionário que interfonou para Lessa, morador do condomínio e vizinho de Bolsonaro. O crime aconteceu em 14 de março de 2018, por volta das 21h15. A gravação foi feita no mesmo dia, às 17h07m42s, portanto, quatro horas antes da execução.

Foto: Editoria de Arte

Nos depoimentos que prestou nos dias 7 e 9 de outubro do ano passado, o porteiro pivô do caso relatou que “Seu Jair”, referindo-se a Bolsonaro, havia autorizado a entrada de Élcio no dia do assassinato. Ele também contou à polícia que o ex-PM havia pedido para ir à casa número 58, onde vivia o então deputado federal e atual presidente da República. Bolsonaro, no entanto, se encontrava em Brasília no dia, como mostrou a TV Globo.

Polícia prende novamente ex-governadores Rosinha e Garotinho

A Polícia Civil cumpriu hoje (30) mandados de prisão contra os ex-governadores do Rio de Janeiro Anthony Garotinho e Rosinha Matheus. A decisão de prender os políticos foi tomada pela 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça, que derrubou a liminar que concedia habeas corpus ao casal.

Publicado em 30/10/2019 – 07:23 Por Vitor Abdala – Repórter da Agência Brasil Rio de Janeiro

Os dois já haviam sido presos no início de setembro, por determinação da 2ª Vara Criminal da Comarca de Campos dos Goytacazes, mas foram soltos no dia seguinte, por um habeas corpus concedido pelo desembargador Siro Darlan, durante plantão judiciário.

Garotinho e Rosinha são acusados de fraudes em contratos celebrados entre a prefeitura de Campos dos Goytacazes, no norte fluminense, e a construtora Odebrecht para a construção de casas populares, durante os dois mandatos de Rosinha como prefeita da  cidade, entre 2009 e 2016.

Em nota divulgada ontem (29), o advogado de defesa do casal, Vanildo da Costa Júnior, informou que vai recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) contra a decisão da 2ª Câmara Criminal.

“Ainda que se respeite a decisão proferida pela Segunda Câmara Criminal do Egrégio Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, não há como concordar com as razões de sua fundamentação. A ordem de prisão é ilegal e arbitrária, pautada apenas em suposições e conjecturas genéricas sobre fatos extemporâneos, que supostamente teriam ocorrido entre os anos 2008 e 2014. Acreditamos em sua modificação pelos tribunais superiores, para onde encaminharemos recurso”, diz a nota.

Garotinho foi governador do estado do Rio de Janeiro entre os anos de 1999 e 2002. Sua esposa, Rosinha, governou o estado de 2003 a 2006.

Mais informações na Radioagência Nacional:

Saiba mais

Edição: Graça AdjutoTags: Anthony GarotinhoRosinha MatheusprisãoJustiçamultimídia

Caso Neymar: Vazamento de conversa complica a vida de Mauro Naves na Globo

DANIEL CASTRO – Publicado em 09/06/2019, às 10h14

REPRODUÇÃO/TV GLOBO

Mauro Naves no Globo Esporte de 28 de maio, dia em que teria encontrado advogado de Najila em Teresópolis

O vazamento de conversas por WhatsApp entre o advogado José Edgard Bueno e a modelo Najila Trindade, que acusa o jogador Neymar Jr. de estupro, complicou ainda mais a vida do jornalista Mauro Naves na Globo. A cúpula da emissora suspeita que o repórter atuou para abafar o escândalo, e por isso o afastou da cobertura esportiva em anúncio em pleno Jornal Nacional, na última quarta-feira (5).

Um trecho dos diálogos vazados fortalece essa suspeita e pode ser o que faltava para a demissão de Naves. No último dia 28, uma semana depois de ter chegado de Paris e de ter feito o primeiro contato com o advogado, Najila recebeu a seguinte mensagem de Bueno, conforme reportagem do Jornal da Record na sexta (7):

“Naj, estou em Teresópolis conversando com a pessoa que, eventualmente, poderá ajudar no encaminhamento do acordo. O laudo médico ficou pronto, está excelente. Preciso que você me mande agora aquela foto de como ficou roxo e bem feio. Mande também a mensagem do babaca mandando a foto pra você. Quero sair daqui com uma solução encaminhada”.

REPRODUÇÃO/TV RECORD

Na direção da Globo, há a convicção de que a pessoa que poderia ajudar o advogado era Mauro Naves. O jornalista, que admitiu à emissora que é amigo de José Edgard Bueno, estava em Teresópolis naquele dia, acompanhando o preparo da Seleção Brasileira para a Copa América. Entrou ao vivo da cidade fluminense no Globo Esporte, com a notícia de que Neymar tinha perdido a braçadeira de capitão.

Segundo a nota lida por William Bonner no Jornal Nacional de quarta-feira (5), Naves foi afastado da cobertura porque forneceu o telefone de Neymar da Silva Santos, pai de Neymar, ao advogado José Edgard Bueno, em troca de uma posterior entrevista exclusiva. A Globo viu “evidências de que suas atitudes [as de Naves] neste caso contrariaram a expectativa da empresa sobre a conduta de seus jornalistas”.

O afastamento causou espanto e apreensão nos bastidores da Globo. Afinal, é comum jornalistas em busca de furos de reportagem trocarem informações, principalmente agenda, com suas fontes.

Na última sexta, o Notícias da TV revelou que a nota de Bonner no Jornal Nacional não disse tudo, para poupar o jornalista. De acordo com fontes na emissora, Naves foi além de um pacto entre fonte e repórter. O advogado teria ido até Petrópolis para negociar com o staff de Neymar e procurou o amigo Naves. O jornalista teria ouvido o pedido para intermediar um acordo e teria telefonado para o pai de Neymar para que ele aceitasse conversar.

A sua justificativa, de que forneceu o contato de Neymar pai em troca de um furo, não cola, porque, se houvesse acordo entre o jogador e o então advogado de Najila, não haveria denúncia, não haveria escândalo, não haveria notícia.

Além disso, Naves não reportou seus superiores sobre sua participação no caso no dia 1º, quando o UOL trouxe o escândalo à tona, e não contou detalhes que poderiam ajudar na cobertura. Só se manifestou na quarta (5), quando o pai do jogador o denunciou.

De acordo com fontes, a cúpula da Globo está convicta de que Naves soube antes de todo mundo de que o camisa 10 da seleção estava sendo acusado de agressão, mas não divulgou –“abafou”, como se fala no meio jornalístico. Houve uma falha grave, na avaliação interna.

Após acusar marido de agressão, imagens mostram ex-paquita se automutilando

O programa ‘Fofocalizando’, do SBT, exibiu nesta segunda-feira (13) imagens do circuito interno de segurança de um condomínio de casas no Recreio dos Bandeirantes, Rio de Janeiro, em que a ex-paquita Ana Paula Almeida, conhecida como ‘Pituxita’, de 42 anos, aparece se automutilando com um objeto cortante. Ela havia denunciado o marido, José Roberto Barbosa, por agressão no dia 16 de abril.

Crédito: Reprodução/SBT

Questionada pelo ‘Fofocalizando’ sobre as imagens mostradas no programa, a ex-paquita admitiu que não foi agredida e que realmente se cortou sozinha. “Eu comecei a me machucar no meu braço porque estava com raiva do que ele estava fazendo. Ele me disse que nada ia mudar. Ele ia continuar me agredindo e tomaria o meu filho de mim. Eu estava com muito ódio. Mas eu errei, eu admito meu erro.”

Na época da denúncia contra o marido, Pituxita chegou a utilizar as redes sociais para falar sobre o caso. Nas imagens, ela aparecia chorando e com os braços machucados. “Oi, amores, hoje vim aqui falar uma coisa que não é muito legal. Mas eu quero levantar a bandeira da mulher. Porque, às vezes, a gente com filho, sonho, por a pessoa estar no psiquiatra, porque essa foi a minha exigência… Ia mudar, ia fazer diferente, mas infelizmente não vivo aquele sonho de fadas. Agressões verbais eram desde que a gente começou, mas eu quis tornar isso público porque eu preciso que vocês parem de se acuar”, disse Ana.

A Justiça do Rio de Janeiro chegou a emitir uma medida protetiva em que José Roberto deveria manter uma certa distância de Pituxita. Ele, inclusive, precisou sair de casa em que moravam juntos. Ao ‘Fofocalizando’, José contou que usará as imagens do programa em sua defensa perante à lei.

Istoé