Empreiteira revela propina em obras do Aeroporto de São Gonçalo do Amarante

Dono da empreiteira Engevix, José Antunes Sobrinho revelou, em acordo de delação premiada assinado com a Polícia Federal, que pagou propina em obras superfaturadas nos aeroportos de Brasília e de São Gonçalo do Amarante. A notícia é destaque no jornal O Globo deste domingo (10).

Em depoimento inédito colhido pelo delegado da PF Cleyber Malta Lopes, obtido pelo veículo de circulação nacional, “Antunes afirma ter assinado contratos fictícios para desviar recursos das obras. O material da delação de Antunes, homologada pelo Supremo Tribunal Federal, foi compartilhado para investigações na primeira instância. Trata-se do segundo acordo proposto pelo empreiteiro. O primeiro, negociado em 2015, não foi aceito pela Procuradoria-Geral da República”.

O empresário relatou que houve cobrança de propina na construção da área de tanques de combustível nos aeroportos de Brasília e de Natal. Segundo ele, essas obras foram pagas por um contrato firmado pela Engevix com um grupo de empresas do setor de combustíveis, capitaneado pela BR Distribuidora, subsidiária da Petrobras.

“Os contratos firmados pela Engevix foram de R$ 34 milhões para o aeroporto de Brasília e R$ 7 milhões para o de Natal. Cerca de R$ 2 milhões foram desviados para o pagamento de propina, tendo sido transferidos por meio de contratos fictícios com empresas indicadas pelas operadoras”, diz a reportagem.

Fonte: Grande Ponto