PF apreende cocaína em carga de mangas no Porto de Natal

Operação aconteceu entre a tarde e a noite desta segunda-feira (13), no terminal. Destino do carregamento era a Europa.

Por G1 RN

 


PF faz apreensão de cocaína no Porto de Natal — Foto: PF/divulgaçãoPF faz apreensão de cocaína no Porto de Natal — Foto: PF/divulgação

Uma carga de cocaína estimada em uma tonelada foi apreendida em meio a um carregamento de mangas no Porto de Natal, na tarde desta segunda-feira (13). A operação só foi confirmada pela assessoria da Polícia Federal durante a noite.Essa é a terceira apreensão registrada em 2019, no terminal marítimo. As primeiras aconteceram em fevereiro, quando, em dois dias, 3,3 toneladas do entorpecente foram encontradas junto a frutas que seguiam para a Europa.

Por causa das apreensões, a única empresa que faz o transporte de cargas de Natal para Roterdã, na Holanda, suspendeu as atividades locais em março, até que o porto tomasse medidas de segurança. As operações, porém, foram retomadas no início de abril.

Em nota, o Companhia Docas do Rio Grande do Norte (Codern), afirmou que “o entorpecente foi detectado acondicionado no contêiner, levando a crer que não foi inserido dentro da área portuária”.

Além disso, afirmou que realiza uma “série de aprimoramentos” na segurança do porto, de forma a recuperar a certificação do Código Internacional para Proteção de Navios e Instalações Portuárias (ISPS CODE) e obtenção de um escâner.

Drogas foram encontradas em carga de manga no porto de Natal — Foto: PF/divulgação
Drogas foram encontradas em carga de manga no porto de Natal — Foto: PF/divulgação

Rota do tráfico internacional

Somadas, as apreensões de fevereiro e outras realizadas pela polícia holandesa desde outubro do ano passado chegaram a 10 toneladas de cocaína

No Porto de Roterdã, conforme a Receita Federal, a primeira apreensão de drogas que se tem notícia – feita em meio a um carregamento de frutas que partiu de Natal – aconteceu em outubro de 2018. Na ocasião, foram encontrados 2,3 toneladas de cocaína. Depois, em janeiro, foram descobertos mais 408 quilos. E ainda houve, no dia 13 de fevereiro, a apreensão de 1.850 quilos.

Na ocasião das primeiras apreensões, o delegado federal Agostinho Cascardo, da Delegacia Regional de Investigação e Combate ao Crime Organizado da PF no Rio Grande do Norte, revelou que, pelo DNA da coca, foi possível descobrir que a cocaína que chega ao Rio Grande do Norte para depois ser consumida na Europa é produzida na Colômbia, Peru e Bolívia. Porém, o delegado preferiu não traçar um percurso específico percorrido pela droga antes de chegar a Natal.

Barco potiguar atacado por chineses chega ao Porto de Natal; veja as fotos

Após angústia e pânico, já se encontra atracado no Porto de Natal o barco Oceano Pesca I que sofreu ataque da embarcação chinesa Chang Rong 4 em alto-mar na última quinta-feira (22). A embarcação de uma empresa de pesca de atum que atua no Rio Grande do Norte chegou por volta das 3h deste domingo (25). Os 10 integrantes da tripulação conseguiram sobreviver e não afundaram pelo fato do barco ser feito de aço. O empresário e proprietário do Oceano Pesca I, Everton Padilha, foi esperar a tripulação chegar e já afirmou desde sexta-feira que a assessoria jurídica da empresa está tomando as providências para fazer boletim de ocorrência na Polícia Federal na segunda-feira. O barco foi atacado a 600 quilômetros da costa potiguar. O local fica a cerca de 100 milhas ao sul de Fernando de Noronha, já em águas internacionais.

Foto: Everton Padilha

O barco potiguar deve passar por uma perícia da Marinha do Brasil, através da Capitania dos Portos do Rio Grande do Norte, que já se pronunciou afirmando que tomou conhecimento do incidente de navegação. A Marinha também informou que foi instaurado um inquérito pela Capitania dos Portos para apurar causas, circunstâncias e responsabilidades do incidente, bem como instruir ações nas instâncias adequadas.

Everton Padilha

A disputa pela área de pesca de atum é o que tem gerado esses ataques. Segundo o empresário da Oceano Pesca I, Everton Padilha, é uma verdadeira guerra pelo controle da área. “São barcos de muitos países disputando o território. São chineses, japoneses, tailandeses e em barcos enormes e por isso acham que chegando nessas grandes embarcações têm o controle”, ressaltou. O barco brasileiro atacado possui 22 metros de comprimento e o prejuízo que o proprietário teve foi de cerca de R$ 500 mil. “A nossa assessoria jurídica vai fazer boletim de ocorrência na Polícia Federal, vamos acionar o Ministério de Relações Exteriores”, destacou o empresário.

Foto: Everton Padilha


OP9

Maré Cheia: Porto de Natal bate recorde mundial no embarque de contêineres refrigerados

O Porto de Natal alcançou, no dia 8 de outubro de 2018, o recorde mundial no embarque de contêineres refrigerados. Naquela segunda-feira, o navio CMA-CGM Saint Laurent deixou o Porto de Natal com destino a Europa, levando 479 contêineres com melão, melancia, manga e pescados.

O recorde anterior, que também pertencia à empresa francesa CMA-CGM, era de 474 contêineres. O grupo opera em todos os mares do mundo através de mais de 200 linhas e está presente em cerca de 420 dos 521 portos comerciais do planeta.

Fernando Dinoá, diretor-presidente da Companhia Docas do Rio Grande do Norte (Codern), que administra o Porto de Natal, comemorou a conquista. “Temos conseguido atender a demanda dos nossos clientes, superando os desafios e mostrando que é possível crescer na crise, com novas ideias, dinamismo e uma boa equipe”, ressaltou.

 Portal no Ar