Manifestação de petroleiros interdita BR-110 no Oeste potiguar

Protesto aconteceu na manhã desta quarta (12) em Areia Branca, segundo a PRF. Categoria está em greve.

Por G1 RN

12/02/2020 09h03  Atualizado há 5 horas


Manifestação de petroleiros no RN — Foto: PRF/Divulgação
Manifestação de petroleiros no RN — Foto: PRF/Divulgação

Cerca de 100 manifestantes bloquearam a BR-110 por cerca de duas horas, na manhã desta quarta-feira (12), segundo informou a Polícia Rodoviária Federal (PRF). O protesto realizado por funcionários da Petrobras aconteceu no município de Areia Branca, na região Oeste potiguar.

Ainda de acordo com a PRF, a interdição na altura do quilômetro 36 começou por volta das 6h30, com fechamento total das pistas. A liberação da via aconteceu às 8h37.

Os petroleiros começaram uma greve no dia 1º de fevereiro, cobrando suspensão das demissões na Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (Fafen) previstas para ocorrer no próximo dia 14. Segundo a FUP, as demissões devem afetar mais de mil famílias.

Os petroleiros também querem o estabelecimento de negociação com a Petrobras para cumprimento de Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) que, segundo a federação, vem sendo descumpridos.

No último dia 4, o TST determinou que 90% dos petroleiros da Petrobras sigam trabalhando durante greve. Os sindicatos recorreram da decisão.

No Rio Grande do Norte, de acordo com a categoria, há mobilizações no Polo de Guamaré, na Base 34 e em Alto do Rodrigues.

Petrobras bate novo recorde mensal de produção

Com o auxílio do ramp-up de novas plataformas, a Petrobras conseguiu bater novos recordes de produção diários, deixando para trás as dificuldades enfrentadas no trimestre anterior em algumas áreas de produção e reforçando sua perspectiva para 2019.

Mesmo com esses ganhos, a Petrobras registra perdas de mais de 20% desde o início da semana passada, quando começou o  movimento de caminhoneiros contra sua política de preços, que disparou o valor do diesel – AFP

Estadão Conteúdo17/10/19 – 20h06 – Atualizado em 17/10/19 – 21h42

Segundo a estatal, em relatório divulgado nesta quinta, sua produção atingiu novo recorde mensal de 3 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed), além de um novo recorde diário de 3,1 milhões de boed alcançados no mês de agosto. “Já a produção operada atingiu o recorde mensal de 3,7 milhões de boed no mesmo mês”, apontou.

Segundo a empresa, com o resultado, ela mantém sua trajetória “para o cumprimento da meta de produção anual, em 2,7 milhões de boed, com variação de 2,5% para mais ou para menos”.

A empresa destacou o desempenho de FPSOs como a de Campos dos Goytacazes em Tartaruga Verde, no pós-sal, em que conseguiram alcançar 555 mil de bpd, aumento de 48% em relação ao trimestre imediatamente anterior, com a entrada em operação de nove poços produtores. “Vale ainda destacar que as plataformas P-69 e P-76, nos campos de Lula e Búzios, atingiram a capacidade de produção de 150 Mbpd com ramp-up de 10,3 e 7,7 meses (tempo recorde no pré-sal), respectivamente”, apontou a empresa.

No segundo trimestre deste ano, a estatal se viu obrigada a cortar em 3,6% suas projeções de produção para o ano, sobretudo por causa de dificuldades enfrentadas no mês de junho com a estabilização das plantas de gás dos novos sistemas de produção de Búzios, devido a sua maior complexidade, o que elevou o tempo de comissionamento das plantas de gás. As dificuldades, entretanto, foram contornadas desde então, colaborando com o avanço nos números.