Pedro Velho: Vereador de partido cristão saca pistola para marido de prefeita, após denúncia de má gestão

29 de fevereiro de 2020 às 08:33

VEREADOR CASSIANO JOSÉ (PSC) PUXOU A ARMA ALEGANDO ESTAR SENDO AMEAÇADO. FOTO: REPRODUÇÃO/REDES SOCIAIS

O porte de arma de fogo sempre existiu, mas será que as pessoas estão realmente prontas para usá-la? Um caso típico de quem não está habilitado ocorreu nessa sexta-feira, no município de Pedro Velho, distante 85 quilômetros de Natal.

Durante uma discussão sobre o mau emprego do dinheiro público na Prefeitura, o vereador Cassiano José (PSC) sacou uma pistola para intimidar o marido da atual prefeita da cidade, Gilberto Chaves.

Gilberto vem denunciando a atual gestão pela suposta contratação de bandas a preços superfaturados, durante o carnaval deste ano.

No bate-boca com o marido da prefeita Derjelane Macedo (MDB), Cassiano se disse ameaçado por ele, mas fez o mesmo ao sacar uma pistola da cintura.

O clima ficou tenso e, entre xingamentos dos dois lados, por pouco não aconteceu o pior. Felizmente, o vereador guardou a arma e foi embora do local em uma motocicleta.

Por sua vez, Gilberto promete levar o caso à justiça e prestou um Boletim de Ocorrência contra o vereador, alegando ameaça de morte.

Fonte: Blog do FM

Morre aos 59 anos, com problemas cardíacos, a prefeita de Pedro Velho Patrícia Targino

Faleceu na madrugada desta sexta-feira, aos 59 anos, no Hospital do Coração, em Natal, a prefeita de Pedro VelhoPatrícia Targino (MDB), que vinha enfrentando problemas cardiovasculares. Patrícia venceu em 2016 com 58,52% dos votos e estava na sua primeira gestão. O corpo da prefeita será velado no Ginásio de Esportes de Pedro Velho, onde uma missa será celebrada às 16 horas e em seguida será sepultado.

11 de outubro de 2019 às 08h42

Foi vice-prefeita também do município do Agreste Potiguar. Patrícia era filha dos ex-prefeitos Gilberto e Lilita Targino. Assumirá a prefeitura de Pedro Velho, a vice Dejerlane Macedo (PSDB).

No ano passado, Patrícia foi vítima de bandidos. Ao entrar em casa, após participar de um comício, ela foi rendida e feita refém, juntamente a sete familiares, por cerca de 30 minutos durante o arrastão.