MPF recorre e pleno dp TRE autoriza paródias do candidato ao senado Garibaldi

O candidato a senador Garibaldi Alves (MDB), entrou na justiça contra o perfil Natal Zuera, para ser retirado imediatamente o vídeo de uma paródia que foi colocado no Instagram e Facebook.

Na primeira decisão do TRE, o juiz determinou a exclusão imediata, após a defesa do senador alegar fake News, ainda foi feita uma queixa-crime na polícia federal devido a publicação do vídeo.

O procurador federal Fernando Rocha, do MPF, alegou que as paródias não extrapolam a liberdade de expressão, e alegou: a “lei eleitoral regulamentou e restringiu com muito mais rigor a propaganda na televisão e rádio do que aquelas publicadas na rede mundial de computadores”.

O recurso foi acatado, pelo pleno do TRE por cinco votos a um, e permitiu a liberação da paródia e do funcionamento dos perfis em que elas foram veiculadas.

No vídeo a dublagem diz: “Olá, seus otário. Preciso do seu voto pra manter a corrupção. Vou enganar os mais pobre, os sem noção, e principalmente você que é burro. Então saia de casa, pegue aquele busão lotado para participar da nossa enganação, para que eu não perca essa mamada mais uma vez. Contamos com a sua burrice”.

No recurso do procurador, diz “que a paródia é a forma cômica legítima de se expressar uma ideia, a liberdade de expressão é o “pendão da democracia” e que, por mais sem graça ou de mau gosto que a paródia possa ser, essa avaliação não cabe ao Judiciário”.

Os candidatos do estado, estão perdendo mais tempo alegando fake News em tudo que é postado, do que indo para as ruas pedir votos. Tudo alegam fake News, não se pode mais fazer paródia, colocar uma notícia verdadeira, ou fazer uma piada, que já procedam e denunciam como fake News para intimidar quem publica, é um absurdo é uma falta de respeito sem tamanho com a mídia.

Facebook – Wesli Natal Zuera