Secretaria de Saúde confirma segunda morte por coronavírus no RN

Vítima é um jovem de 23 anos que morava em Natal.

Por G1 RN 31 de março 2020

Matheus Aciole é a segunda morte por coronavírus no RN

A Secretaria de Estado da Saúde Pública e a Secretaria Municipal de Saúde de Natal confirmaram na noite desta terça (31) a segunda morte por coronavírus no Rio Grande do Norte. A vítima é Matheus Aciole, de 23 anos.

De acordo com a Sesap, o paciente, com quadro de obesidade, deu entrada em hospital privado, no dia 24 de março, foi examinado e retornou para a residência para continuidade de medicações prescritas.

Manteve-se isolado por dois dias, não apresentando melhora procurou o serviço público de saúde no dia 27 de março onde foi atendido e realizou o teste para a doença, sendo regulado para o serviço privado em seguida. O resultado do exame foi liberado na noite desta terça-feira (31), positivo para Covid-19. ⠀

Três bairros concentram 66% dos casos de coronavírus em Natal, aponta laboratório da UFRN

Dois terços dos pacientes confirmados na capital são dos bairros Tirol, Petrópolis e Ponta Negra.

Por G1 RN

31/03/2020 11h45  Atualizado há 3 horas


Dois terços (66%) dos casos de coronavírus em Natal estão concentrados em três bairros das Zonas Leste e Sul da cidade: Tirol, Petrópolis e Ponta Negra. As informações são de um mapa montado pelo Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (LAIS/UFRN). Até esta segunda-feira (30), a capital potiguar tinha 37 casos confirmados pela Secretaria Estadual de Saúde. Em todo o estado, são 77 pacientes confirmados.

Mapa mostra casos de coronavírus na capital potiguar. Áreas cinzas são bairros sem casos. Àreas em azul são bairros com casos confirmados. — Foto: LAIS/UFRN

Até a manhã desta terça-feira (28), o mapa registrava 36 pacientes na capital potiguar. A porcentagem dos três bairros, portanto, representa 24 pacientes nestes bairros.

Tirol lidera com 28,57% dos casos, ou seja, 10 pacientes. Petrópolis e Ponta Negra contam com 19,05%, representando cerca de 7 pacientes confirmados, cada.

Os outros bairros afetados são Capim Macio, Lagoa Nova, Nova Descoberta, Candelária, na Zona Sul, e Pajuçara e Potengi, na Zona Norte da capital.

De acordo com os pesquisadores organizadores da ferramenta, o serviço reúne dados disponibilizados pela Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap/RN) e pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Rio Grande do Norte.

O grupo montou ainda uma sala de situação localizada no laboratório, que faz a análise dos dados e alimenta a plataforma com informações.

Feirantes fazem protesto e fecham avenida contra restrições na quarentena do coronavírus em Natal

Manifestação aconteceu na manhã desta quinta-feira (26) e fechou a Avenida João Medeiros Filho, na Zona Norte da capital.

Por G1 RN

26/03/2020 11h44  Atualizado há uma hora


Feirantes fazem protesto contra restrições a feiras livres durante quarentena do coronavírus no RN — Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi

Impedidos de trabalhar desde o último domingo (22) por causa da medidas sanitárias de isolamento social para evitar contágio do novo coronavírus – Covid-19 – feirantes que atuam em feiras livres de Natal fizeram um protesto na manhã desta quinta-feira (26). Durante o ato, os manifestantes bloquearam a Avenida João Medeiros Filho, na Zona Norte da capital.

O ato só acabou após intervenção policial. Um dos manifestantes, Alisson Santos pedia que sejam tomadas medidas para garantir o trabalho de quem precisa das feiras livres para manter o sustento da família e sugeriu que haja fiscalização para impedir apenas feirantes em situação de risco, além de cobrar medidas de higiene.

Apesar de toda a situação, o feirante Josinaldo de Melo, seguia trabalhando. “Trabalho porque preciso. A mercadoria está se estragando”, argumentou.

Maria da Conceição e a filha dela, Maria dos Navegantes, viajaram da zona rural de Extremoz, na região metropolitana, para vender mangabas na feira. Cada uma pagou R$ 15 na passagem para chegar à Zona Norte de Natal. Elas estavam preocupadas de não conseguir dinheiro para voltar para casa. “Vou tentar vender até conseguir o dinheiro”, disse Conceição.

Durante o protesto, os feirantes ficaram aglomerados, contrariando as recomendações contra a Covid-19.

Secretaria de Saúde de Parnamirim, RN, investiga se morte de mulher de 47 anos está relacionada com coronavírus

Paciente não havia sido sequer identificada como suspeita do Covid-19.

Por Rafael Barbosa e Fernanda Zauli, G1 RN 19/03/2020 17h12  Atualizado há 5 minutos

Hospital Giselda Trigueiro, na Zona Oeste de Natal, é referência em infectologia — Foto: Julianne Barreto/Inter TV Cabugi
Hospital Giselda Trigueiro, na Zona Oeste de Natal, é referência em infectologia — Foto: Julianne Barreto/Inter TV Cabugi

As secretarias de Saúde do Estado e da cidade de Parnamirim, na Grande Natal, vão investigar se a uma mulher que morreu nesta quinta-feira (19) na UPA Nova Esperança foi vítima do novo coronavírus. Maria Robervânia de Carvalho Gomes tinha 47 anos de idade e trabalhava como faxineira em uma loja de venda de carros seminovos. Ela não havia sido sequer identificada como paciente suspeita do Covid-19.

De acordo com o filho de mulher, João Paulo Gomes, os sintomas começaram a aparecer no fim de semana passado. “Todos nós gripamos aqui em casa e ficamos bem depois. Ela não melhorou”, relata. Maria Robervânia morava com o marido, o filho, a nora e uma neta de quatro anos de idade em Nova Parnamirim, na Região Metropolitana da capital.

Segundo João Paulo, na segunda-feira (16), a mãe dele se sentiu melhor e viajou a Mossoró, na região Oeste, para resolver questões pessoais da família. Voltou pior da viagem. Ainda segundo o filho, ela não trabalhou nesta semana. Na terça (17), procurou atendimento em uma clínica privada na Zona Sul de Natal.

João Paulo Gomes conta que o médico que a atendeu identificou que ela estava com sintomas do novo coronavírus: falta de ar, tosse e febre. Foi aí que orientou que Maria Robervânia procurasse a rede pública de saúde, para realizar os testes e confirmar ou não a suspeita.

Ainda segundo João Paulo Gomes, a mãe dele seguiu direto para a Unidade de Ponto Atendimento (UPA) Nova Esperança, em Parnamirim. Ao chegar lá, descobriu que não seria submetida ao teste, por causa do protocolo do Ministério da Saúde. Apesar de apresentar os sintomas, ao ser questionada se havia tido contato com algum estrangeiro e responder que não, Maria Robervânia não se enquadrou como caso suspeito do Covid-19.

João Paulo Gomes diz que ela foi medicada e liberada. A faxineira voltou para casa, mas o quadro de saúde não apresentou evolução. Já na manhã desta quinta-feira (19), com muita falta de ar, foi levada novamente à UPA, desta vez pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

“Lá eles não fizeram o teste de novo, pelo mesmo motivo”, afirma João Paulo. Ele conta que a mãe foi entubada, com dificuldades respiratórias e, às 11h desta quinta, morreu. “Uma negligência em não fazer o exame logo no primeiro dia, um descaso”, desabafou o filho.

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde de Parnamirim alegou que “todos os procedimentos de classificação de risco e de atendimento foram devidamente cumpridos neste caso”.

O corpo de Maria Robervânia de Carvalho Gomes foi levado para o Hospital Giselda Trigueiro, referência local em infectologia, para que sejam realizados os exames que vão precisar se ela morreu com Covid-19.

Natal entra em estado de emergência por causa das chuvas e prefeito anuncia série de medidas

O prefeito Álvaro Dias instalou o gabinete de crise e decretou estado de emergência no Município de Natal, em função das fortes chuvas que castigam a capital potiguar desde a última quarta-feira (11). Segundo a Defesa Civil da cidade, já choveu cerca de 170 mm no período, o que provocou o transbordamento de lagoas e desabrigou famílias na Zona Norte natalense. Ficou determinado ainda um local para abrigo e o gestor agendou uma reunião para a tarde desta sexta-feira (13), no Palácio Felipe Camarão, com os prefeitos da Grande Natal.

“Determinei que o Centro de Convivência Ivone Alves, que fica no bairro de Nova Natal, seja preparado para receber os desabrigados. Uma equipe da Semtas (Secretaria Municipal de Trabalho e da Assistência Social) estará acolhendo essas pessoas. Muitas delas vêm do bairro de Nossa Senhora da Apresentação, que foi muito atingido”, explicou o prefeito. A equipe da Semtas ainda está realizando um levantamento para saber o número real de desabrigados no local.

Preocupado com a situação em toda a Grande Natal, onde as chuvas foram sentidas com mais força, o prefeito Álvaro Dias convidou os prefeitos da região. “A intenção é que tomemos medidas em conjunto. São Gonçalo sofreu muito, inclusive com uma criança como vítima fatal, Macaíba teve problemas e de Parnamirim temos informações de muitos estragos. Vamos trabalhar juntos para resolver tudo”, propõe Álvaro Dias.

Em relação aos trabalhos de escoamento das águas das quatro lagoas que transbordaram (Cidade da Esperança, Preá, Santarém e São Conrado), a Defesa Civil e a Secretaria de Obras de Natal (Semov) estão realizando, de forma emergencial, a compra de seis bombas de drenagem, sendo quatro fixas e duas móveis. A expectativa é para que, em 72 horas, as fixas já estejam instaladas e bombeando as águas excedentes, diminuindo os alagamentos.

A Prefeitura de Natal recomenda a utilização do aplicativo Natal Digital para que as pessoas possam registrar, em tempo real, ocorrências sobre problemas no tráfego ou outros danos que tenham sido causados pela precipitação pluviométrica. O aplicativo pode ser baixado pelas plataformas Apple e Android. Também está disponível o serviço telefônico 190 para a mesma finalidade.

Suspeito de atropelar e matar pedreiro após discussão no trânsito se apresenta à polícia em Natal e é preso

Homem foi até à Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), na manhã desta terça-feira (10).

Por Inter TV Cabugi

Pedreiro foi morto por motorista no bairro de Neópolis. — Foto: Inter TV Cabugi/Reprodução

10/03/2020 11h56  Atualizado há 8 minutos

O promotor de eventos Bruno Luís Duarte da Costa Pereira, de 33 anos, suspeito de ter atropelado e matado o pedreiro Cícero dos Santos, de 53 anos, foi preso na manhã desta terça-feira (10). Ele compareceu à sede da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) três dias após o crime.

O caso foi registrado no sábado (7), no bairro de Neópolis, Zona Sul de Natal. A vítima foi atropelada após uma discussão de trânsito com o motorista, que estava dirigindo um carro branco. Cícero dos Santos deixou cinco filhos. O pedreiro, de 53 anos, morreu depois de ter sido atingido por um carro.

vídeo abaixo mostra o momento em que o motociclista entra em uma rua após a confusão e é violentamente atropelado pelo carro, que acelera na direção da vítima. Cícero cai da moto e chega a ser socorrido ao Hospital Walfredo Gurgel pelos moradores da região, mas não resiste e morre ao chegar na unidade.

Motorista persegue, atropela e mata motociclista em Natal

Após discussão no trânsito, motorista persegue, atropela e mata motociclista em Natal; veja vídeo

Crime ocorreu no bairro de Neópolis, Zona Sul de Natal, no sábado (7). Suspeito ainda não foi identificado.

Por Inter TV Cabugi

09/03/2020 08h22  Atualizado há uma hora

Motorista persegue, atropela e mata motociclista em Natal

O pedreiro Cícero dos Santos, de 53 anos, morreu depois de ter sido atingido por um carro, na tarde de sábado (7). Ele foi atropelado após uma discussão de trânsito com um motorista no bairro de Neópolis, Zona Sul de Natal.

Minutos antes do crime, imagens de câmeras de segurança mostram uma discussão motivada por uma leve batida de Cícero na traseira do carro branco. Em seguida, a vítima sobe na moto e vai embora.

O vídeo acima mostra o momento em que o motociclista entra em uma rua após a confusão e é violentamente atropelado pelo carro, que acelera na direção da vítima. Cícero cai da moto e chega a ser socorrido ao Hospital Walfredo Gurgel pelos moradores da região, mas não resiste e morre ao chegar na unidade.

“Era uma pessoa trabalhadora, que ajudava todo mundo. A gente fica com o coração apertado. Era uma coisa simples, era para o motorista ter conversado e resolvido com Cícero, mas ele foi para matar mesmo. Nós queremos justiça.”, diz Edionaldo Silva, que era servente e amigo do pedreiro.

Cícero dos Santos deixa cinco filhos. Ele será sepultado na cidade de Senador Georgino Avelino, distante 50 quilômetros de Natal. A polícia investiga o caso para identificar e prender o motorista.

Moto do pedreiro atingido pelo carro. — Foto: Ayrton Freire/Inter TV Cabugi
Moto do pedreiro atingido pelo carro. — Foto: Ayrton Freire/Inter TV Cabugi

Secretaria de Saúde diz que está investigando três possíveis casos de coronavírus no RN

De acordo com a Sesap, exames foram realizados nas pacientes para confirmar as suspeitas.

Por G1 RN

26/02/2020 16h11  Atualizado2020-02-26

Pacientes investigadas pela Sesap fizeram exames no Hospital Giselda Trigueiro — Foto: Quézia Oliveira/Inter TV Cabugi
Pacientes investigadas pela Sesap fizeram exames no Hospital Giselda Trigueiro — Foto: Quézia Oliveira/Inter TV Cabugi

A Secretaria de Saúde Pública do Rio Grande do Norte confirmou nesta quarta-feira (26) que está investigando três possíveis casos de coronavírus no estado. De acordo com a Sesap, exames foram realizados nas pacientes para confirmar as suspeitas. Elas fizeram os procedimentos no Hospital Giselda Trigueiro e estão em quarentena domiciliar.

A Sesap informou que a investigação é para confirmar se os casos atendem, ou não os critérios para serem considerados suspeitos. As pacientes são uma menina de 10 anos, que estava em um cruzeiro que ia pra Xangai e foi desviado pra Hong Kong, e duas mulheres, uma de 28 e outra de 35 anos, que viajaram para o norte da Itália. Não há grau de parentesco entre as três.

De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria, após os resultados desses procedimentos médicos a pasta convocará uma entrevista coletiva para divulgar mais informações.

O Ministério da Saúde afirmou também nesta quarta (26) que está comprovado o caso positivo de coronavírus na capital paulista. Este é o primeiro caso da doença no país e em toda a América Latina.

Confira as principais informações:

  • Brasil confirmou o primeiro caso de coronavírus no país
  • Trata-se de um homem que mora em SP, tem 61 anos, e veio da Itália
  • Ele está em quarentena domiciliar
  • 30 pessoas da família estão sob observação
  • Além destes casos, há pacientes em investigação em todo o país
  • Outros 59 casos foram descartados
  • 16 passageiros que estiveram no mesmo voo devem ser postos em observação – alguns podem ter pego conexão e ido para outros destinos

Caso confirmado em São Paulo

De acordo com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, o paciente com Doença pelo Coronavírus 2019 (Covid-19) chegou ao país vindo da Itália. Ele estava assintomático e, depois de alguns dias, procurou um serviço de saúde com sintomas respiratórios. Antes, ele havia participado de uma reunião familiar, o que levou o Ministério da Saúde a colocar 30 pessoas que tiveram contato com ele em observação.

O secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Kleber de Oliveira, afirmou que ele é hipertenso e que por ter mais de 60 anos está entre os pacientes que apresentam maior risco, mas no caso dele específico, os sintomas são leves e a doença não evoluiu para um quadro mais grave.

O hospital Albert Einstein registrou a suspeita, fez um teste, que deu positivo. O caso foi para o Instituto Adolfo Lutz para contraprova, que foi concluído em três horas, comprovando a infecção por coronavírus. A média de conclusão do exame é de três dias, segundo Mandetta.

Imagem de microscópico mostra o novo coronavírus, responsável pela doença chamada Covid-19 — Foto: NIAID-RML/AP
Imagem de microscópico mostra o novo coronavírus, responsável pela doença chamada Covid-19 — Foto: NIAID-RML/AP

Passageiros não ficarão em quarentena

De acordo com o ministro Luiz Henrique Mandetta, os passageiros que estavam no avião com o paciente detectado com Covid-19 não serão postos em quarentena.

Entretanto, 16 passageiros devem ficar em observação: a partir da poltrona onde o paciente viajava, serão monitorados os passageiros dos lados e das duas fileiras à frente e atrás.

“Não existe quarentena porque não existe eficácia nesse tipo de situação”, afirmou.

A recomendação é que os passageiros entrem em contato com a companhia aérea e informem o quadro respiratório e o local em que viajaram para que se verifique a proximidade que estavam a este paciente.

Repatriados de Wuhan X caso confirmado em SP

O ministro da Saúde esclareceu as diferenças entre os casos dos repatriados de Wuhan, que ficaram em quarentena em uma base militar em Goiás após chegarem da China, e o caso confirmado de Covid-19 em São Paulo, que está em quarentena familiar.

Sobre os repatriados, Mandetta disse que eles vieram de uma região epidêmica e iriam para diversas partes do país, o que poderia espalhar o vírus caso estivessem infectados.

“É de bom senso que você traga [ao Brasil] e aguarde 14 dias [para checar os sintomas]”, afirmou Mandetta. Ele relembrou que foram feitos testes antes do embarque e durante a quarentena – todos deram negativo para a doença.

Já o paciente de SP esteve em trânsito quando estava assintomático e já estava em casa quando apresentou os sintomas.

“Você levar este paciente para dentro de um ambiente hospitalar só aumenta as chances de outros pacientes, em estado debilitado, serem acometidos”, afirmou.

“O isolamento domiciliar é o mais recomendado [para casos leves]. Temos que levar pessoas com quadro respiratório grave para o ambiente hospitalar, mas não pessoas que estão com resfriado, em bom estado geral, se alimentando, com febre baixa e que usam qualquer um desses antitérmicos [para aliviar os sintomas]”, afirmou Mandetta.

Infográfico - Entenda a Mers — Foto: Infográfico/G1
Infográfico – Entenda a Mers — Foto: Infográfico/G1

Centro de monitoramento

As autoridades sanitárias orientam que os pacientes com os sintomas da doença procurem o serviço de saúde mais próximo, caso apresentem febre, dificuldade para respirar, tosse ou coriza, associados a aspectos epidemiológicos como histórico de viagem em área com circulação do vírus ou contato próximo a algum caso suspeito ou confirmado laboratorialmente para coronavírus.

Para acompanhar esses casos suspeitos, o governo de São Paulo anunciou a criação de um centro de operações de emergência, que funcionará 24 horas por dia, controlando os registros do coronavírus em todo o estado.

O plano de ação, lançado em parceria com a Prefeitura de São Paulo, integrará profissionais de todos os municípios e inclui a compra de equipamentos de proteção para funcionários de saúde.

Dicas de Prevenção

  • Cobrir a boca e nariz ao tossir ou espirrar;
  • Utilizar lenço descartável para higiene nasal;
  • Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal;
  • Limpar regularmente o ambiente e mantê-lo ventilado;
  • Lavar as mãos por pelo menos 20 segundos com água e sabão ou usar antisséptico de mãos à base de álcool;
  • Deslocamentos não devem ser realizados enquanto a pessoa estiver doente;
  • Quem for viajar aos locais com circulação do vírus deve evitar contato com pessoas doentes, animais (vivos ou mortos), e a circulação em mercados de animais e seus produtos.
Casos de novo coronavírus pelo mundo, incluindo o Kuwait, nesta segunda-feira (24) — Foto: Arte/G1
Casos de novo coronavírus pelo mundo, incluindo o Kuwait, nesta segunda-feira (24) — Foto: Arte/G1

Decreto prevê taxa anual de R$ 50 mil para empresas de aplicativos de transporte atuarem em Natal

Determinação foi publicada no Diário Oficial do Município desta segunda-feira (17) e que entra em vigor em 15 dias. Empresa que não pagar taxa poderá ser multada em R$ 1 milhão.

Por Julianne Barreto e Rafael Barbosa, Inter TV Cabugi e G1 RN

17/02/2020 17h11  Atualizado há 5 horas


Decreto prevê pagamento anual de R$ 50 mil para empresas de transporte de aplicativo continuarem atuando em Natal — Foto: Celso Tavares/G1

As empresas que operam transporte privado por aplicativo em Natal vão precisar pagar uma taxa anual de credenciamento de R$ 50 mil para continuar a prestar o serviço na capital. A determinação está no decreto da prefeitura que vai reger esse tipo de atividade na cidade, publicado no Diário Oficial do Município desta segunda-feira (17) e que entra em vigor em 15 dias.

Caso as operadoras não pagem a taxa, a Prefeitura de Natal prevê uma multa de R$ 1 milhão, considerando que essas empresas estão atuando de maneira clandestina. Segundo a Secretaria de Mobilidade Urbana (STTU), o credenciamento deve ser cobrado além do imposto de 1% sobre cada corrida.

De acordo com Evandro Henrique, presidente da Associação de Motoristas Autônomos de Aplicativos (Amapp-RN), a cobrança inviabilizaria a prática no município. Segundo a Amapp, atualmente Natal tem 8 mil motoristas de aplicativos cadastrados e aptos a rodar.

G1 procurou a Uber e a 99 POP, principais empresas prestadoras desse serviço de transporte no estado, para saber do posicionamento delas sobre a determinação.

Através da assessoria de imprensa, a Uber afirmou que ainda está analisando o decreto, para que possa se posicionar. A 99, por outro lado, encaminhou nota em que alega que a norma municipal é inconstitucional.

“A 99 está aberta ao diálogo com a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana de Natal para construir uma solução que seja benéfica para a cidade, motoristas parceiros e cidadãos. Tentativas de regulamentar o transporte por aplicativos que vão contra a Legislação Federal e o entendimento do Supremo Tribunal Federal sobre esta atividade são inconstitucionais e apenas ferem o direito das pessoas de gerar renda e escolher como desejam se locomover pela cidade. A empresa acredita que o entendimento da administração municipal será revisto com base no diálogo e na jurisprudência sobre o tema”, diz o comunicado.

A Prefeitura de Natal também foi procurada pela reportagem, porém não respondeu até a publicação desta matéria.

O decreto assinado pelo prefeito Álvaro Dias (MDB) serve para regulamentar a lei nº 6.913, de 19 de junho de 2019, aprovada na Câmara Municipal para ser a norma que rege a atividade. A vereadora Nina Souza (PDT), propositora da lei, diz que o decreto inviabiliza o transporte particular de aplicativo em Natal e “inventa coisas” que não estavam previstas no projeto.

“Ele vai além da lei. O decreto é para regulamentar a lei, então não é para ele inventar coisas. Ele vem inventando coisas. Há questões como a do seguro, do repasse dos dados dos motoristas para a STTU. Coisas que a forma de fazer deveria vir no decreto. Mas o decreto, infelizmente, só se ateve em meter multa e multa e multa, dificultar a operacionalização dos aplicativos aqui em Natal”, critica a parlamentar.

Multas

Além das multas direcionadas à empresa que opera o serviço, o decreto municipal também prevê punições aos condutores dos veículos cadastrados. Dentre elas, a publicação determina o pagamento de multa, na categoria grave, para o motorista que trabalhar “em condições inadequadas de asseio”, ou seja, sem limpeza. Neste caso, será cobrado R$ 208,70.

Outra penalidade, esta considerada de grau médio, é iniciar a corrida sem que o passageiro esteja no veículo. Para esta, o decreto estabelece multa de R$ 139,14. A publicação diz ainda que a Secretaria de Mobilidade Urbana (STTU) vai criar um portal para atualização de dados dessas empresas e condutores credenciados. É o chamado Portal do Condutor de Transporte por Aplicativo (PCTA).

Deixar de atualizar os dados dos motoristas nessa plataforma, ainda segundo o decreto, pode gerar multa de R$ 10 mil por dia às operadores dos aplicativos de transporte. Não fornecer web service para conexão de seu banco de dados com o PCTA pode acarretar em uma multa diária de R$ 500 mil.

Segundo Nina Souza, foi elaborado um relatório apontando pontos incongruentes entre a lei e o decreto para ser apresentado ao prefeito. A parlamentar afirma que ela e a representação da categoria de motoristas vão se reunir ainda nesta segunda (17) com Álvaro Dias para debater o tema.

Família busca por homem desaparecido na Grande Natal

Carlos Augusto Pereira da Silva, de 50 anos, saiu de Parnamirim, na Grande Natal, para ir ao Alecrim, na capital potiguar, no sábado (25) e não foi mais visto.

Por Inter TV Cabugi

28/01/2020 10h59  Atualizado há um dia


Família procura Carlos Augusto Pereira da Silva, de 50 anos, que desapareceu no último sábado (25) na Grande Natal — Foto: Arquivo Pessoal

A família de Carlos Augusto Pereira da Silva, de 50 anos, procura pelo parente desaparecido desde o sábado (25). Ele saiu da casa da irmã em Parnamirim, na Grande Natal, para ir ao Alecrim, Zona Leste da capital potiguar, e não foi mais visto. Depois de morar 30 anos em São Paulo, Carlos estava desempregado, veio visitar a família e resolveu ficar no Rio Grande do Norte.

Após o desaparecimento, a família tentou contato por telefone mas não conseguiu. Em seguida, parentes registraram um boletim de ocorrência pelo desaparecimento e procuraram por Carlos Augusto em hospitais, delegacias e também no Instituto Técnico-Científico de Perícia do Rio Grande do Norte (Itep-RN).

Segundo a família, uma pessoa encontrou a carteira dele na rua Presidente Quaresma, no bairro Alecrim, no domingo (26), sem dinheiro mas com os documentos do homem desaparecido. Dentro do objeto, um bilhete com o endereço da casa da irmã e um número de telefone, do sobrinho. O homem ligou para o número e informou ter encontrado a carteira.

De acordo com familiares, Carlos Augusto é casado e tem cinco filhos que moram em São Paulo. Ele morou por 30 anos na capital paulista e estava desempregado. Parentes disseram que ele veio ao RN para visitar a família e tentar encontrar um emprego. De acordo com a família, ele não tem nenhum tipo de problema psicológico.

Parentes disseram que Carlos Augusto iria começar a trabalhar com a irmã fabricando cadeiras. Segundo a família, ao sair para comprar materiais, não foi mais visto. Quem tiver informações pode entrar em contato com a família pelo telefone (84) 99679-8000.