Jacques Chirac, ex-presidente da França, morre aos 86 anos

Causa da morte não foi especificada. Chirac serviu como presidente por dois mandatos e também ocupou a Prefeitura de Paris

Por Da Redação 26 set 2019, 08h30 – Publicado em 26 set 2019, 08h15

Ex-presidente da França, Jacques Chirac, em uma cerimônia no Palácio do Eliseu em Paris em 2007 (Charles Platiau/Reuters)

O ex-presidente da França entre 1995 e 2007, o conservador Jacques Chirac, morreu nesta quinta-feira, 26, aos 86 anos, de acordo com anúncio feito pela sua família.

O genro de Chirac, Frédéric Salat-Baroux, marido de Claude Chirac, comunicou a morte. “Ele morreu cercado por entes queridos. Pacificamente”, declarou, sem especificar a causa do falecimento.

Jacques Chirac sofreu um derrame, em setembro de 2005, quando ainda era presidente da França. Desde então, os problemas de saúde se sucederam e o francês foi hospitalizado diversas vezes.

O ex-presidente foi visto em público pela última vez no final de 2014, em um evento da Fundação Chirac ao Serviço da Paz, que fundou em 2008. Ele estava debilitado e chegou à cerimônia apoiado em um segurança.

Em setembro de 2016, ele teve que retornar à França com urgência deixando o Marrocos, onde estava de férias, para ser hospitalizado por conta de uma infecção pulmonar.

Nesta quinta, após o anúncio de sua morte, a Assembleia Nacional francesa fez um minuto de silêncio em sua homenagem. O presidente do Legislativo, Richard Ferrand, disse que Chirac “faz parte da história da França”.

História

Jacques Chirac nasceu em Paris, em novembro de 1932. Ele estudou no Instituto de Estudos Políticos da capital francesa (Sciences Po) e em sua juventude esteve ligado a socialistas e comunistas, mas logo rumou para a direita e, durante décadas, foi um dos seus principais líderes.

Ele foi eleito presidente pela primeira vez em 1995 e reeleito em 2002, em um votação que marcou a história recente francesa.

Seguindo os passos do ex-líder francês Charles de Gaulle, Chirac tentou elevar o status da França perante o cenário internacional. Ele despertou orgulho nacional com sua oposição à invasão do Iraque liderada pelos Estados Unidos em 2003.

Antes de ocupar o cargo de presidente, serviu em importantes em ministérios, foi eleito deputado e nomeado primeiro-ministro de Valéry Giscard d’Estaing em 1974. Também foi prefeito de Paris de 1977 até ser eleito presidente.

O ex-presidente também tem uma mancha em seu histórico político. Chirac foi o primeiro chefe de Estado francês a ter sido condenado pela Justiça por desviar fundos públicos durante seu período no comando da Prefeitura de Paris. Ele foi sentenciado a dois anos de prisão em 2011, mas foi posteriormente dispensado da pena.

Aos 67 anos, morre o cantor português Roberto Leal

Artista, que estava internado em São Paulo desde quarta-feira, lutava contra um câncer de pele

O cantor Roberto Leal DIVULGAÇÃO

POR O GLOBO – 15/09/19 – 09h29 | Atualizado: 15/09/19 – 10h07

RIO — Morreu na madrugada deste domingo, no Hospital Samaritano, em São Paulo, o cantor português Roberto Leal, vítima de câncer de pele. A informação, veiculada pelo jornal lusitano “O Público”, foi confirmada pelo político patrício José Cesário, amigo do artista, que publicou a notícia em sua página do Facebook: “Hoje acordamos com um enorme choque. O nosso amigo, grande Português no Brasil e no Mundo, António Joaquim Fernandes, o grande Roberto Leal, acabou de falecer. A tristeza é enorme! Portugal e o Brasil estão de luto.”

Leal nasceu em 1951, na aldeia de Vale da Porca, no norte de Portugal. Ele emigrou para São Paulo aos 11 anos, acompanhado pelos nove irmãos e pelos pais. Na maior cidade do Brasil, o português trabalhou como sapateiro e vendedor, antes de se lançar na vida artística, nos anos 1970.

Durante quase meio século de carreira, o cantor, marcado por um repertório romântico e popular, acumulou sucessos como “Arrebita” e “Bate pé” — ambas parodiadas pelos Mamonas Assassinas em “O vira” —, vendendo mais de 15 milhões de discos. No total, foram dois álbuns de diamante, cinco de platina e 30 de ouro.Clipe oficial ‘Na casa de um português’

Famoso tanto no Brasil quanto em seu país natal, Leal havia anunciado em janeiro que lutava contra melanoma, um tipo de câncer de pele. Segundo o G1, a assessoria do cantor informou que Leal estava internado no hospital desde terça-feira, após ter uma reação alérgica a um medicamento que tomou.

O cantor deixa mulher e três filhos. Entre eles, o músico e produtor Rodrigo Leal.

Loading video

Faleceu em Natal o médico e ex-deputado Neto Correia

Faleceu na noite desta quarta-feira (21), no Hospital Rio Grande, em Natal, o médico e ex-deputado estadual Manoel Correia Neto, mais conhecido por Neto Correia, 70 anos, em decorrência de problemas cardíacos.

Na política, Neto ainda foi prefeito de Santana do Matos, cidade onde nasceu. Na medicina, por muitos anos, fez parte da equipe dirigente do antigo Hospital ITORN, ao lado do irmão, também médico, o ex-deputado federal Cipriano Correia.

O velório de Neto Correia acontece no Cemitério Morada da Paz, em Emaús, onde às 16h será celebrada uma Missa e em seguida o sepultamento.