Ministério confirma contaminação da água na produção de cervejas

Sete lotes da cerveja Belorizontina foram contaminados

Publicado em 15/01/2020 – 19:58

Por Marcelo Brandão Brasília

cerveja

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) encontrou as substâncias monoetilenoglicol e dietilenoglicol na água usada para fabricação das cervejas Belorizontina, da cervejaria mineira Backer. Segundo integrantes do ministério, a água é utilizada para resfriamento do mosto – mistura de ingredientes que vão compor a cerveja após sua fermentação.

Essa água resfria o mosto sem entrar em contato direto com ele. Mas por ser uma água limpa e filtrada, ela também é incluída, posteriormente, no processo produtivo. Agora, o ministério investiga como essa substância foi parar na água.

“Conseguimos evidenciar que a água contaminada com glicol está sendo utilizada no processo cervejeiro. A gente não consegue afirmar ainda de que forma ocorre essa contaminação nesse tanque de água gelada, se é nesse tanque de água gelada ou se é numa etapa anterior”, disse Carlos Vitor Muller, coordenador-geral de vinhos e bebidas do Mapa, em entrevista coletiva realizada na tarde de hoje (15).

A executiva da Backer, Paula Lebbos, havia explicado ontem (14), em entrevista à imprensa, que o uso do monoetilenoglicol é normal no processo de fabricação, uma vez que é usado para resfriamento, mas ressaltou que a cervejaria não utiliza o dietilenoglicol em seu processo produtivo. Em todo caso, o coordenador do Mapa explicou que nenhuma das duas substâncias devem entrar em contato direto com uma água que será incluída na cerveja posteriormente.

Segundo Muller, o ministério trabalha com várias hipóteses de contaminação, como o uso incorreto da substância para acelerar o resfriamento e até mesmo sabotagem. “Nenhuma hipótese pode ser descartada no momento. Sabotagem pode ocorrer ou a utilização incorreta do etilenoglicol como agente de resfriamento para melhorar a performance de resfriamento desse mosto, ou você pode ter um vazamento de uma solução refrigerante para dentro dessa água”.

Tanques contaminados

O ministério também afirmou que sete lotes da Belorizontina foram contaminados, incluindo um lote da cerveja Capixaba, que é o nome que a Belorizontina recebe para comercialização no Espírito Santo. Segundo o coordenador do ministério, esses lotes estão distribuídos em diferentes tanques, mas não soube precisar em quantos.

De qualquer forma, a versão do Mapa é diferente da versão da empresa. Paula Lebbos havia dito ontem que a Belorizontina era produzida apenas em um tanque, o tanque nº 10. Glauco Bertoldo, diretor de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal do Mapa, confirmou que outros tanques também sofreram contaminação. “A empresa não forneceu todos os mapeamentos de tanques dos lotes para a gente. Estão fornecendo aos poucos e estamos tabulando isso. [Mas o problema] não é restrito ao tanque nº 10”.

Os representantes do Mapa mostram cautela ao atribuir responsabilidades. Durante a entrevista coletiva, disseram que o caso ainda está sendo investigado e que ainda é cedo para dizer se houve erro, uma ação deliberada e quem teria sido o responsável. Caso a Backer seja apontada como responsável pela contaminação, ela pode ser multada, ter seu registro suspenso ou até mesmo cassado. Atualmente, a cervejaria está fechada por determinação do próprio ministério. O Mapa também já determinou a retirada do mercado de todas as cervejas produzidas pela Backer.

Segunda morte confirmada

A Polícia Civil de Minas Gerais confirmou hoje a segunda morte por intoxicação após consumo da Belorizontina. O homem, cuja idade e nome não foram divulgados, morreu devido a complicações decorrentes do quadro de insuficiência renal e alterações neurológicas causado pela intoxicação.

Já a primeira morte foi registrada na noite de 7 de janeiro, em Juiz de Fora. Exames a que a vítima foi submetida antes de morrer confirmaram a presença de dietilenoglicol no sangue. Vestígios do dietilenoglicol já foram encontrados no sangue de vários pacientes internados após apresentarem sintomas de síndrome nefroneural, causada pela intoxicação por dietilenoglicol.

Os sintomas apresentados foram insuficiência renal aguda de evolução rápida (ou seja, que levou a pessoa a ser internada em até 72 horas após o surgimento dos primeiros sintomas) e alterações neurológicas centrais e periféricas que podem ter provocado paralisia facial, embaçamento ou perda da visão, alteração sensório, paralisia, entre outros sintomas.

Edição: Liliane FariasTags: Síndrome nefroneuralcerveja contaminadaBacker

Aeronave de pequeno porte cai em Belo Horizonte e mata uma pessoa

Aeronave de pequeno porte cai em Belo Horizonte

UOL, em São Paulo 13/04/2019 16h11

Uma aeronave de pequeno porte caiu na tarde de hoje no bairro de Caiçara, em Belo Horizonte. De acordo com o Corpo de Bombeiros, uma pessoa morreu carbonizada.

Ainda segundo a corporação, a queda ocorreu na Rua Minerva próximo ao cruzamento com a Rua Anadir.

Equipes da corporação foram mobilizadas para atuar no local. A aeronave foi destruída no fogo.

Mãe de Alexandre Pires é detida suspeita de fazer ‘gato’ de energia

Abadia Pires prestou depoimento, pagou fiança de R$ 1.500 e foi liberada; técnicos perceberam adulteração em instalação na casa da mulher

Pablo Nascimento, do R7
Mãe do cantor foi detida em Uberlândia (MG)

Reprodução / Record TV Minas

Mãe do cantor foi detida em Uberlândia (MG)

A mãe do cantor Alexandre Pires foi detida, nesta segunda-feira (25), após uma ligação de energia clandestina ter sido encontrada na casa dela, em Uberlândia, a 537 km de Belo Horizonte.

A PM (Polícia Militar) foi acionada por um funcionário da Cemig (Companhia Energética de Minas Gerais) que estava no local para religar o sistema. Segundo a corporação, o servidor percebeu uma adulteração no padrão, que se caracterizaria como furto de energia, conhecido como “gato”.

Rodrigo Faro mostra nova piscina com ilha e cascata artificial

Abadia Pires do Nascimento foi encaminhada para a delegacia, onde prestou esclarecimentos. Aos policiais, ela disse que a confusão aconteceu após ela chamar um técnico para desinstalar aparelhos de ar-condicionado do imóvel, uma vez que ela está de mudança.

A mulher prestou depoimento e foi liberada após pagar uma fiança de R$ 1.500. A reportagem tentou contato com a defesa de Abadia, mas não localizou os advogados dela.

Procurado pelo R7, Aldo Braghetto, empresário de Alexandre Pires, informou que o cantor está viajando e não sabia do ocorrido. Segundo Braghetto, a equipe não vai se manifestar, uma vez que se trata de um assunto “da vida pessoal”.

130 militares de israel chegam hoje para reforçar buscas em Brumadinho

Por G1

 

Militares israelenses embarcam para o Brasil para ajudar em Brumadinho
Militares israelenses embarcam para o Brasil para ajudar em Brumadinho

Militares israelenses embarcam para o Brasil para ajudar em Brumadinho

Um avião com 130 soldados saiu de Jerusalém, Israel, em direção ao Brasil às 6h da manhã deste domingo (27), no horário de Brasília, para ajudar nas buscas em Brumadinho (MG). A delegação chega à noite.

Soldados da Forças de Defesa de Israel — Foto: Reprodução/Twitter/Forças de Defesa de IsraelSoldados da Forças de Defesa de Israel — Foto: Reprodução/Twitter/Forças de Defesa de Israel

Soldados da Forças de Defesa de Israel — Foto: Reprodução/Twitter/Forças de Defesa de Israel

De acordo com a embaixada de Israel no Brasil, o avião chegará às 21h30 deste domingo. Já o aeroporto de Confins, em Belo Horizonte, diz que a chegada está prevista para às 23h.

Além do grupo de soldados, Israel enviou ao Brasil cães farejadores e sonares usados em submarinos para localizar pessoas em grandes profundidades, com alta qualidade de recepção de imagem e detectores de vozes e ecos. São cerca de 16 toneladas de equipamentos.

Delegação de Israel reunida momentos antes do embarque em direção a Brumadinho, MG — Foto: Reprodução/Twitter/Forças de Defesa de IsraelDelegação de Israel reunida momentos antes do embarque em direção a Brumadinho, MG — Foto: Reprodução/Twitter/Forças de Defesa de Israel

Delegação de Israel reunida momentos antes do embarque em direção a Brumadinho, MG — Foto: Reprodução/Twitter/Forças de Defesa de Israel

O governo israelense deverá enviar também uma equipe médica, especialistas e engenheiros.

A missão é chefiada pelo embaixador de Israel no Brasil, Yossi Shelley. Ele estava acompanhando a visita a Israel do ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, mas foi encarregado pelo premiê Benjamin Netanyahu para comandar a delegação.

Yossi Shelley, embaixador de Israel no Brasil, e soldados das Forças de Defesa de Israel posam antes de voo para ajudar nas buscas em Brumadinho, MG — Foto: Divulgação/Ministérios das relações exteriores de IsraelYossi Shelley, embaixador de Israel no Brasil, e soldados das Forças de Defesa de Israel posam antes de voo para ajudar nas buscas em Brumadinho, MG — Foto: Divulgação/Ministérios das relações exteriores de Israel

Yossi Shelley, embaixador de Israel no Brasil, e soldados das Forças de Defesa de Israel posam antes de voo para ajudar nas buscas em Brumadinho, MG — Foto: Divulgação/Ministérios das relações exteriores de Israel

Funcionários da embaixada israelense em Brasília também estão a caminho de Minas Gerais para apoio logístico ao grupo que chegará durante a noite no aeroporto de Confins, em Belo Horizonte. A comunidade judaica de São Paulo e do Rio de Janeiro se mobilizam para enviar ajuda às vítimas da tragédia.

Em uma publicação feita no Twitter, as Forças de Defesa de Israel disseram que “a distância não importa quando há vidas para serem salvas, mas sim o quanto se está disposto a ir salvá-las”.

Militares de Israel embarcam para ajudar em Brumadinho
Jornal GloboNews
Militares de Israel embarcam para ajudar em Brumadinho

Militares de Israel embarcam para ajudar em Brumadinho

Yossi Shelley, embaixador de Israel no Brasil, e parte da delegação israelense enviada a Brumadinho, MG — Foto: Divulgação/Ministério das Relações Exteriores de IsraelYossi Shelley, embaixador de Israel no Brasil, e parte da delegação israelense enviada a Brumadinho, MG — Foto: Divulgação/Ministério das Relações Exteriores de Israel

Yossi Shelley, embaixador de Israel no Brasil, e parte da delegação israelense enviada a Brumadinho, MG — Foto: Divulgação/Ministério das Relações Exteriores de Israel

Telão mostra destino e número do vôo que traz os 130 soldados de Israel ao Brasil para ajudarem nas buscas em Brumadinho, MG — Foto: Divulgação/Ministério das Relações Exteriores de IsraelTelão mostra destino e número do vôo que traz os 130 soldados de Israel ao Brasil para ajudarem nas buscas em Brumadinho, MG — Foto: Divulgação/Ministério das Relações Exteriores de Israel

Telão mostra destino e número do vôo que traz os 130 soldados de Israel ao Brasil para ajudarem nas buscas em Brumadinho, MG — Foto: Divulgação/Ministério das Relações Exteriores de Israel

Rompimento da barragem em Brumadinho

O rompimento da barragem 1 da Mina Córrego do Feijão, da Vale, ocorreu no início da tarde da última sexta-feira. Um mar de rejeitos destruiu casas da região e a área administrativa da empresa.

Há ao menos 37 mortos, 81 desabrigados e 23 feridos em hospitais, segundo os bombeiros. A Vale divulgou uma lista com mais de 250 nomes de funcionários com os quais não conseguiram contato (veja).

Neste domingo, as sirenes foram acionadas por volta das 5h30 após ser detectado um aumento dos níveis de água nos instrumentos que monitoram a barragem VI, de acordo com a Vale.

Rompimento de barragem da Vale no Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG) — Foto: G1 Rompimento de barragem da Vale no Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG) — Foto: G1

Rompimento de barragem da Vale no Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG) — Foto: G1

Governo de Minas Gerais decreta estado de calamidade pública após desastre

Por G1 Minas — Belo Horizonte

 

Helicóptero sobrevoa área do desastre do rompimento da barragem em Brumadinho, neste sábado (26) — Foto: Douglas Magno/AFPHelicóptero sobrevoa área do desastre do rompimento da barragem em Brumadinho, neste sábado (26) — Foto: Douglas Magno/AFP

Helicóptero sobrevoa área do desastre do rompimento da barragem em Brumadinho, neste sábado (26) — Foto: Douglas Magno/AFP

O governador Romeu Zema (Novo) decretou situação de calamidade pública neste sábado (26) após rompimento de barragem da Vale em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, ocorrido nesta sexta-feira (25).

O decreto autoriza a mobilização de todos os órgãos estaduais para atuarem sob coordenação da Defesa Civil e a convocação de voluntários para reforçar as ações propostas.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, mais de 200 pessoas estão desaparecidas. Nove mortos foram confirmados.

Morre, em Minas Gerais, o Padre Quevedo

Jesuíta espanhol radicado no Brasil faleceu aos 88 anos, vítima de problemas cardíacos.

Publicado em: 09/01/2019 10:25 Atualizado em: 09/01/2019 11:51

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Faleceu na madrugada de hoje, em Belo Horizonte, por problemas cardíacos, aos 88 anos, o Pe. Oscar González Quevedo S.J, jesuíta espanhol radicado no Brasil. Conhecido pelo bordão “Isso non ecziste”, no período entre 2 de janeiro e 5 de maio de 2000, ele apresentava um quadro O Caçador de Enigmas no programa Fantástico, da TV Globo, com apresentação de Cid Moreira. O objetivo era desvendar fenômenos da natureza e desmascarar charlatões investigando casos relacionados a casas mal-assombradas, gravações do além, premonições, dentre outros. O espaço do Padre Quevedo no programa virou sucesso nacional depois de ter surgido como sucessor de Mister M, fenômeno de audiência naquele ano.

O velório do Padre Quevedo acontece amanhã, a partir das 8h, na Capela Santo Inácio situada dentro do Campus da Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia (FAJE), Bairro Planalto, Belo Horizonte (MG). A missa de corpo presente será às 9h, no mesmo local do velório. Já o sepultamento acontece às 11h no Cemitério Bosque da Esperança, Belo Horizonte, MG. As cerimônias serão reservadas para familiares, amigos e religiosos.

Natural de Madri (Espanha), Quevedo nasceu em 15 de dezembro de 1930. Aos 15 anos, ingressou na Companhia de Jesus. Em 1959, aos 29 anos, o jesuíta chegou ao Brasil e, na década de 1960, naturalizou-se brasileiro. No País, ele atuou como professor universitário de parapsicologia no Centro Universitário Salesiano de São Paulo (UNISAL) e no Centro Latino-Americano de Parapsicologia (CLAP), onde também foi diretor. Em 2012, padre Quevedo foi para a casa de repouso dos jesuítas, em Belo Horizonte. Considerado um dos maiores especialistas do mundo na área de Parapsicologia, padre Quevedo é autor de dezenas de livros, muitos dos quais traduzidos para outras línguas. Entre as suas obras estão: O que é parapsicologia, A Face Oculta da Mente e As Forças Físicas da Mente.

Diário de Pernambuco