Em Macaíba/RN a PRF realiza mais uma apreensão de cigarros contrabandeados

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu, no início da manhã desta segunda-feira (23), no km 294 da BR 304, em Macaíba/RN, uma carga com nove mil maços de cigarros contrabandeados, e prendeu um homem de 26 anos.

Uma equipe PRF realizava fiscalização quando abordou o veículo Jumper, de cor branca, e ao vistoriar a carga transportada, foi constatado que se tratava de cigarros de origem estrangeira. O motorista do veículo informou que comprou a carga por dez mil reais e iria distribuí-la em Natal/RN.

A ocorrência foi encaminhada à Polícia Federal.

Somente em 2020, mais de 2.600.000 maços de cigarros contrabandeados foram apreendidos pela PRF no Rio Grande do Norte, gerando prejuízos às organizações criminosas da ordem de mais de 13 milhões de reais.

Foto: PRF RN

Mascarado de ‘Homem-Aranha’, assaltante é espancado pela população na Grande Natal

Caso aconteceu na manhã desta terça-feira (14) em Macaíba. Segundo delegado, homem recebeu voz de prisão e foi levado à delegacia após passar por atendimento médico.

Por G1 RN

14/01/2020 10h40  Atualizado há 7 minutos

Máscara do Homem-Aranha e arma foram apreendidos com suspeito de assaltos em Macaíba, no RN — Foto: Polícia Civil/Divulgação
Máscara do Homem-Aranha e arma foram apreendidos com suspeito de assaltos em Macaíba, no RN — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Um homem que usava máscara do Homem-Aranha para realizar assaltos no município de Macaíba, região metropolitana de Natal, acabou sendo pego e surrado pela população, segundo informou a Polícia Civil. O caso aconteceu na manhã desta terça-feira (14). Após a chegada da Polícia Militar, o homem socorrido ao hospital e recebeu voz de prisão.

Pelo menos duas pessoas foram vítimas do criminoso. Ainda de acordo com o delegado Cidórgeton Pinheiro, uma das vítima também precisou de atendimento na Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) do município e, após atendimento, foi levada à delegacia prestar depoimento.

O caso aconteceu durante um arrastão de uma casa no loteamento Santa Rosa, no distrito de Mangabeira. As vítimas teriam reagido e entrado em luta corporal com os criminosos. Além da máscara, a Polícia Militar apreendeu uma arma de fabricação caseira com o suspeito.

Até a publicação desta matéria, o delegado ainda estava ouvindo o suspeito e outros envolvidos.

Receita Federal fecha fábrica de cigarros irregular na Grande Natal

Foi constatada a falta de pagamento de tributos, em valores estimados em R$ 1 bilhão, incluindo multa e juros, além da existência de sócios laranjas na administração da empresa.

Por G1 RN

10/06/2019 14h20  Atualizado há 19 horas


Receita Federal fecha fábrica de cigarros irregular em Macaíba — Foto: Julianne Barreto/Inter TV Cabugi
Receita Federal fecha fábrica de cigarros irregular em Macaíba — Foto: Julianne Barreto/Inter TV Cabugi

Uma fábrica de cigarros irregular que funcionava em Macaíba, na Grande Natal, foi fechada nesta segunda-feira (10), em uma operação da Receita Federal. De acordo com a Receita, foi constatada a falta de pagamento de tributos federais, em valores estimados em R$ 1 bilhão, incluindo multa e juros, além da existência de sócios laranjas na administração da empresa.

A ação foi denominada de Operação Grandes Rios. De acordo com a Receita Federal, a fábrica operava com mais de 300 funcionários. Uma outra operação já havia fechado a fábrica de cigarros, no entanto ela voltou a funcionar.

A Operação Grandes Rios, iniciada em abril pela Receita Federal em conjunto com a Polícia Federal e com o Ministério Público Federal, investigou a ocorrência de crimes contra a ordem tributária no setor de fabricação de cigarros.

Na ocasião foram cumpridos mandados de busca e apreensão nos estados do Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Pernambuco e São Paulo. A Receita Federal diz que, na ocasião, foram obtidas provas para identificar o grupo econômico oculto responsável pela gestão das empresas constituídas por sócios “laranjas”.

Ainda segundo a Receita, a operação realizada nesta segunda (10) também houve a constatação de sócios sem capacidade financeira e operacional para a gestão da empresa. A ação teve participação de 17 auditores-fiscais, apoio da PF e apoio logístico da Marinha do Brasil e do Exército Brasileiro.