Brigadistas são indiciados por incêndios em Alter do Chão

Uma quinta pessoa, cujo nome não foi informado, também foi indiciada

Publicado em 20/12/2019 – 19:58

Por Alex Rodrigues – Repórter da Agência Brasil Brasília

Fotos aéreas , incêndio Alter do Chão

A Polícia Civil do Pará indiciou quatro membros da Brigada de Incêndios Florestal de Alter do Chão no inquérito que apura dano ambiental praticado em uma área de proteção ambiental (APA) próxima a Santarém, em meados de setembro. A corporação confirmou ainda o indiciamento de uma quinta pessoa, cujo nome não foi divulgado.

O documento foi protocolado na tarde desta quinta-feira (19) no Fórum Criminal de Santarém pelo delegado que preside o inquérito.

“Todas as provas testemunhais, técnicas e perícias indispensáveis para caracterização do indícios de autoria e materialidade foram devidamente anexadas ao inquérito policial. Portanto, a Polícia Civil encerrou os trabalhos relacionados à investigação em questão, cabendo agora ao Poder Judiciário e ao Ministério Público avaliar e deliberar sobre as providências legais a serem adotadas”, informou a corporação.

Defesa

Em nota, o grupo de advogados que defende os brigadistas voluntariamente classifica a investigação como tendenciosa e o indiciamento de Daniel Gutierrez Govino, João Victor Pereira Romano, Marcelo Aron Cwerner e Gustavo de Almeida Fernandes como uma “enorme injustiça”.

“O indiciamento é fruto de ilegalidades e, infelizmente, indica direcionamento da investigação. Encerraram-se as investigações de maneira atropelada, sem a realização de perícia técnica, atualmente em curso na Policia Federal, para apurar em que circunstâncias efetivamente ocorreu o incêndio”, afirmam os defensores do grupo.

“O indiciamento foi baseado em ilações extraídas de depoimentos meramente especulativos, sem nenhuma prova, atacando aqueles que dedicaram as suas vidas a combater incêndios voluntariamente na região amazônica”, acrescentam os advogados ao afirmarem aguardar “uma manifestação serena e responsável” do Ministério Público estadual.

Fotos aéreas , incêndio Alter do Chão

Fotos aéreas , incêndio Alter do Chão, por Divulgação Brigada de Alter do Chão (PA)

Entenda

Daniel Gutierrez Govino, João Victor Pereira Romano, Marcelo Aron Cwerner e Gustavo de Almeida Fernandes foram presos em caráter preventivo em 26 de novembro e passaram sete dias detidos sob a suspeita de terem provocado os incêndios que, entre 14 e 15 de setembro, atingiram a APA Alter do Chão.

Após dois meses de investigação, a Polícia Civil concluiu que os brigadistas ateavam fogo à unidade de conservação ambiental para se autopromoverem combatendo as chamas e, assim, obter donativos em dinheiro de outras organizações não governamentais.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, eles também obtiveram dinheiro vendendo imagens da floresta em chamas enquanto o grupo atuava.

Dois dias após a prisão preventiva dos quatro, o governador Helder Barbalho determinou que o delegado responsável pelo inquérito policial, Fábio Amaral Barbosa, fosse substituído pelo diretor da Delegacia Especializada em Meio Ambiente, Waldir Freire Cardoso.

Este mês, o Ministério Público Federal no Pará (MPF-PA) enviou à 1ª Vara da Comarca Criminal de Santarém um pedido para que a competência pelo processo que trata das queimadas e das prisões fosse transferida da alçada estadual para a Justiça Federal. Os procuradores sustentam que os incêndios ocorreram em terras públicas federais e que, portanto, a competência para atuar no processo é dos órgãos federais. Ainda não houve decisão sobre o pedido.

Saiba mais

Edição: Paula LaboissièreTags: Alter do Chãoincêndios florestaisbrigada de incêndioincêndio na Amazônia

Justiça liberta os 4 brigadistas acusados de queimadas na Amazônia

Decisão foi proferida pelo mesmo juiz que decidiu prender os alvos na última terça-feira

Por Eduardo Gonçalves 28 nov 2019, 18h26 – Publicado em 28 nov 2019, 18h09 – Veja

A Justiça do Estado do Pará decidiu nesta quinta-feira revogar a prisão preventiva dos quatro brigadistas acusados de terem incendiado áreas da Amazônia em Alter do Chão, no Pará. A decisão foi proferida pelo juiz Alexandre Rizzi, da 1ª Vara Criminal de Santarém, o mesmo que deferiu os mandados de prisão e os manteve sob o pretexto da “garantia da ordem pública”.

No despacho, o magistrado destacou que os investigados já foram ouvidos em depoimento e que “têm residência fixa e ocupação lícita”, “o que significa que, desaparecendo as razões anteriores que levaram a decretação da prisão, a liberdade é a medida que se impõe”.

O juiz, no entanto, frisou que a decisão não significa “qualquer juízo de absolvição”, e ordenou que eles entreguem os passaportes, compareçam ao tribunal mensalmente, e permaneçam em casa entre 21h e 6h.

A decisão ocorre no mesmo dia em que o governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), determinou a troca da chefia da investigação sobre o caso. A defesa dos detidos e entidades nacionais e internacionais acusam a Polícia Civil de falta de provas e arbitrariedade no pedido de prisão preventiva, enquanto os investigadores alegam que grampos telefônicos levantam suspeitas sobre a participação dos brigadistas nas queimadas.

A presidência do inquérito, que estava a cargo da Polícia Civil de Santarém, agora terá o comando do diretor da Delegacia Especializada em Meio Ambiente, Waldir Freire. Segundo Barbalho, a mudança é “para que tudo seja esclarecido da forma mais rápida e transparente possível”. O governador disse ainda que “ninguém está acima da lei, mas também ninguém pode ser condenado antes de esclarecer os fatos”. A corregedoria da Polícia Civil também foi acionada para apurar as investigações.

Incêndio atinge barracões de escola de samba em São Paulo

Fogo começou no galpão da Independente Tricolor e, segundo o Corpo de Bombeiros, não há vítimas; 18 viaturas realizam o atendimento no local

Por Da Redação 14 out 2019, 19h15 – Publicado em 14 out 2019, 19h06

Ocorrência foi registrada por volta das 18h e, segundo o Corpo de Bombeiros, não há vítimas (Reprodução/TV Globo)

Um incêndio atingiu o barracão da escola de samba da Independente Tricolor, em São Paulo, na tarde desta segunda-feira, 14. Segundo informações do Corpo de Bombeiros, não há vítimas.

A ocorrência foi registrada às 18h03 e, a princípio, dez viaturas se dirigiram à Avenida Otto Baumgart, na altura do número 100. Por volta das 18h40, o perfil dos Bombeiros no Twitter afirmou que 18 viaturas foram deslocadas para o atendimento. Equipes da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), da Defesa Civil e do SAMU também estão no local.

Na Avenida Otto Baumgart está localizada a Fábrica do Samba, galpão que abriga metade das escolas de samba do grupo especial do Carnaval de São Paulo.

Mais informações em instantes.

Exército prende garimpeiros em unidades de conservação do Amazonas

Publicado em 20/09/2019 – 14:41 – Por Da Agência Brasil  Brasília

O Exército deteve dez pessoas supostamente envolvidas com a exploração de garimpos ilegais em três da Unidade de Conservação Campos Amazônicos, no sul do Estado do Amazonas. Todos foram conduzidos à sede da Polícia Federal em Rondônia. A ação faz parte da Operação Verde Brasil.

A 17ª Brigada de Infantaria de Selva, com a participação de Órgãos Estaduais e Federais, no contexto da Operação (Op) de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) VERDE BRASIL/17, realizou ação repressiva contra garimpos ilegais na região da Unidade de Conservação (UC) Campos Amazônicos, no sul do Estado do Amazonas.

Conforme nota da 17ª Brigada de Infantaria de Selva, foram apreendidos na ação “nove celulares, um detector de metais, duas motosserras, um rádio amador, uma balança para pesagem e uma espingarda Cal 20 com sete cartuchos”.

Também foram confiscados veículos e maquinários utilizados pelas pessoas sob investigação, como um trator, uma pá carregadeira, uma motocicleta, dois geradores, um caminhão Scania, e 10 mil litros de óleo diesel e dez barracas de acampamento.

Japão

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) recebeu do Governo do Japão a doação de 330 barracas individuais e 998 colchonetes com isolantes térmicos, para apoio nas ações da Operação Verde Brasil, que ao todo mobiliza 7 mil homens e mulheres para o combate ao desmatamento e à ações ilegais como exploração de garimpo em unidades de conservação.

Conforme informações divulgadas pelo Ministério da Defesa, a Operação Verde Brasil, iniciada há menos de um mês, fez combate a mais de 500 focos de incêndio, apreendeu aproximadamente 18 mil metros cúbicos de madeira, e lavrou 107 termos de infração, que totalizam R$ 28 milhões em multas.

A Operação Verde Brasil é desenvolvida pelas Forças Armadas em parceria com instituições e órgãos de segurança pública e fiscalização, como Força Nacional, Corpo de Bombeiros Militares, equipes de prevenção e combate a incêndios do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Polícia Militar Ambiental, Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam) e ICMBio.

Saiba mais

Mais 30 bombeiros vão para Patu, combater incêndio; ‘Acesso é difícil’, diz comandante

Coronel Luiz Monteiro da Silva diz que incêndio já é considerado de “grandes proporções” e está próximo do santuário localizado na Serra do Lima.

Por G1 RN

17/09/2019 19h31  Atualizado há 4 horas

Fogo está a cerca de 60 metros do santuário de Patu — Foto: Bruno Campelo
Fogo está a cerca de 60 metros do santuário de Patu — Foto: Bruno Campelo

O Prefeito de Patu, Rivelino Câmara, esteve em Natal na tarde desta terça-feira (17) para pedir auxílio ao Governo do RN no combate ao incêndio florestal que atinge um área de densa vegetação em Patu, no Oeste potiguar, desde a tarde de segunda-feira. Ao todo, mais 30 bombeiros foram enviados para a cidade nesta tarde para ajudar a debelar as chamas.

Segundo o prefeito, ficou acordado que será montado um gabinete de gestão de crise no Santuário de Nossa Senhora dos Impossíveis, igreja que fica no alto da Serra do Lima, principal ponto turístico da região. “Nós chegamos a uma unificação das ações. O coronel Monteiro (comandante geral do Corpo de Bombeiros) vai para município para comandar pessoalmente as operações lá”, disse.

Segundo o coronel Luiz Monteiro da Silva, comandante geral do Corpo de Bombeiros, o incêndio já é considerado de “grandes proporções” e está em uma situação crítica. “É um incêndio de grandes proporções, que já devastou uma área considerável. Nós estamos combatendo e fazendo o que qualquer outro Corpo de Bombeiros de todo o país faria, que é combater no corpo a copo, batendo o fogo literalmente pra isolar outras áreas, pra que elas não sejam queimadas. É assim que se combate incêndio florestal”, disse.

Prefeito de Patu Rivelino Câmara se encontrou com comandante geral do Corpo de Bombeiros Luiz Monteiro da Silva em Natal — Foto: Acson Freitas/Inter Tv Cabugi
Prefeito de Patu Rivelino Câmara se encontrou com comandante geral do Corpo de Bombeiros Luiz Monteiro da Silva em Natal — Foto: Acson Freitas/Inter Tv Cabugi

Os 30 bombeiros vão ajudar no combate principalmente no turno da noite, quando aumenta a umidade, baixa a temperatura e diminui a intensidade dos ventos.

Mais 30 de bombeiros foram enviados para Patu — Foto: Divulgação
Mais 30 de bombeiros foram enviados para Patu — Foto: Divulgação

De acordo com o comandante geral, a dificuldade da operação neste momento está no acesso aos focos do incêndio. “O maior desafio é o acesso, que é muito difícil. A topografia é uma variável que dificulta muito o combate, uma vez que o acesso é dificultoso e a gente tem que ir a pé realmente. As viaturas não chegam nos locais onde poderíamos dar um combate mais efetivo e temos que combater realmente no corpo a corpo”, explica.

No início da noite desta terça-feira, o prefeito Rivelino Câmara disse que o fogo estava a cerca de 60 metros do Santuário de Nossa Senhora dos Impossíveis, na Serra do Lima.

O comandante geral do Corpo de Bombeiros Luiz Monteiro da Silva diz que o uso do helicóptero neste momento seria ineficaz, já que, segundo ele, a tentativa por terra é a alternativa mais correta para combater um incêndio florestal. “O apoio aéreo nesse momento seria ineficaz. Um helicóptero para fazer um combate do plano elevado com o equipamento que se usa seria ineficaz. O combate terrestre é a forma mais eficaz de combater o incêndio florestal nesse tipo de topografia”, frisou.

Do Santuário do Lima já é possível ver os focos de incêndio  — Foto: Tercle Pereira/TV Patu
Do Santuário do Lima já é possível ver os focos de incêndio — Foto: Tercle Pereira/TV Patu

Desde segunda-feira (16), 14 militares do Corpo de Bombeiros e três viaturas de combate a incêndio tem atuado na tentativa de debelar as chamas. Policiais militares e equipes da prefeitura de Patu auxiliam nos trabalhos.

Imagem de drone mostra as chamas na região próxima da Serra do Lima, em Patu — Foto: Redes Sociais
Imagem de drone mostra as chamas na região próxima da Serra do Lima, em Patu — Foto: Redes Sociais

Incêndio no centro de treinamento do Flamengo deixa dez mortos

Equipes dos bombeiros ainda trabalham no local

Por Vitor Abdala/Agência Brasil

8 de fevereiro de 2019 | 06:54

FOTO: REPRODUÇÃO/TV GLOBO

Um incêndio no centro de treinamento do Flamengo, na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro, deixou dez mortos e três feridos na madrugada de hoje (8). O Corpo de Bombeiros ainda não tem informação sobre os nomes das vítimas.

Equipes dos bombeiros ainda trabalham no local, conhecido como Ninho do Urubu, que fica no bairro da Vargem Grande.

As chamas atingiram principalmente os alojamentos onde dormiam os jogadores de base do time.

Fogo: Incêndio em mata interrompe trânsito na avenida Olavo Lacerda Montenegro

Fogo na vegetação gerou muita fumaça e deixou o trânsito lento no inicio da tarde deste sábado, 29, em Parnamirim; chamas foram debeladas por uma equipe do Corpo de Bombeiros  

Um incêndio registrado às margens da avenida Olavo Lacerda Montenegro, em Parnamirim, na região metropolitana de Natal, deixou o trânsito lento e foi alvo de uma série de boatos ao longo da tarde deste sábado, 29.

O registro de fogo aconteceu por volta do meio dia, já nas proximidades do conjunto Coophab, e ainda não há informações sobre o que causou o início das chamas. A fumaça interrompeu o trânsito por vários minutos.

Imagens do incêndio, por volta das 13h, foram compartilhadas nas redes sociais. Logo surgiu o boato de que a queimada foram iniciada após a queda de uma aeronave.

Uma guarnição do Corpo de Bombeiros foi acionado e o incêndio foi debelado. O que foi registrado no local foi a queima de parte da vegetação que margeia a avenida.

O trânsito na avenida Olavo Lacerda Montenegro está normalizado.

Incêndio atinge o Museu Nacional na Quinta da Boa Vista, em São Cristóvão

RIO – Um incêndio de grandes proporções atinge o Museu Nacional, na Quinta da Boa Vista, em São Cristóvão, na noite deste domingo. De acordo com o Corpo de Bombeiros, homens de três quartéis estão no local combatendo as chamas.

A assessoria do Museu Nacional informou que ainda não está claro o que deu início ao incêndio, sendo necessário esperar o trabalho dos bombeiros para obter mais informações. Embora domingo seja um dia de visitações frequentes, o museu fechou às 17h e, neste horário, não há mais ninguém no local além dos funcionários de segurança. No momento em que as chamas começaram a se alastrar, haviam quatro vigilantes no prédio.

Os três andares do palácio abrigam um acervo de 20 milhões de itens, incluindo documentos da época do Império; fósseis; coleções de minerais; e a maior coleção egípcia da América Latina. Trata-se da instituição científica e do museu mais antigos do Brasil, tendo em maio último completado 200 anos. A visitação média mensal é de 5 a 10 mil pessoas.

Incêndio no Museu Nacional, no Rio de Janeiro. – Uanderson Fernandes/ Agencia O Globo

– A gente não faz ideia de como começou! Tá chegando muita gente que trabalha aqui. É muito amor por essa instituição, são 200 anos do Museu, isso aqui é o trabalho da vida de muita gente, são coleções zoológicas, botânicas, tudo perdido, tudo perdido! – lamentou Lilian, bióloga e pesquisadora do museu, aos prantos.

O funcionário Henrique Barbosa, que há dois anos trabalha no setor financeiro do prédio, também não conseguiu esconder a tristeza.

– Eu soube que acabou o museu! É uma comoção muito grande!

Vera Tostes, museóloga que dirige o Museu do Instituto Histórico Nacional e já dirigiu um outro museu muito importante, o Museu Histórico Nacional, definiu a perda como incalculável.

– Eu estou arrepiada! É uma perda incalculável! Estas estruturas dos palácios mais antigos tem muita madeira, tudo pega fogo muito facilmente. Eu estou tão emocionada que não consigo falar. Parece que atingiu a sala dos embaixadores, a parte onde ficavam as múmias… Não tem como dizer em cifras o que está acontecendo! – disse, muito emocionada.

Leia mais: https://oglobo.globo.com/rio/incendio-atinge-museu-nacional-na-quinta-da-boa-vista-em-sao-cristovao-23032665#ixzz5PzdY7hPF
stest