Pedro Avelino: Grupo investe R$ 3,5 bi em eólica no RN e apresenta tecnologia sustentável

A governadora Fátima Bezerra recebeu nesta segunda-feira (16) os representantes do grupo empresarial Geoterra, responsáveis pela construção de um parque eólico no município de Pedro Avelino. O complexo, cujo investimento inicial previsto é de R$ 3,5 bilhões, está situado em uma área de 20 mil hectares e, na sua construção, ao longo de quatro anos, deverá empregar cerca de 1.500 funcionários e, para a operação propriamente dita, irá oportunizar 100 empregos diretos.

Durante a reunião, o diretor-presidente do Idema (Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente), Leon Aguiar, informou que a licença ambiental para o complexo já foi emitida. “Estamos cumprindo mais uma vez a determinação da governadora, que é oferecer celeridade aos projetos que visem o desenvolvimento do Estado”, disse, fato confirmado pela governadora. “Nosso compromisso é oferecer condições de competitividade para as empresas no Rio Grande do Norte, a fim de consolidar os investimentos aqui existentes e atrair novas empresas”, declarou Fátima.

O executivo Paulo de Tarso, que representa também a empresa Biogeoenergy, um dos braços do grupo Geoterra, falou a respeito das tecnologias próprias desenvolvidas para geração de biocombustível através da indústria de reciclagem de lixo e também sobre tratamento de água para uso em irrigação. “Gostaria de interagir mais com a equipe de vocês para apresentar essas soluções, como o reuso da água de esgoto para agricultura. Tratar o lixo gera divisas para o RN”, disse.

O grupo Geoterra é proprietário de quatro empresas e gestor e controlador de investimentos da Aliança Fundo de Investimento e Participações Multiestratégia. No Rio Grande do Norte, está associado à empresa Case Consultoria, que fez o projeto do Complexo Eólico Pedro Avelino, representada na ocasião por Henderson Magalhães Abreu, e também irá investir em um parque eólico em Ceará-Mirim, que será construído após o de Pedro Avelino. “É bom frisar que somos genuinamente potiguares e que normalmente quem faz os projetos das eólicas são empresas de fora”, destacou Paulo.

O grupo atua nas áreas de energia hidráulica, energia eólica, energia solar, resíduos sólidos, meio ambiente e saneamento, óleo e gás, equipamentos de dessalinização e termoelétricas. Para o secretário do Desenvolvimento Econômico (Sedec), Jaime Calado, a possibilidade de aplicação de tecnologias da Biogeoenergy para projetos ecologicamente corretos de geração de bioenergia e água tratada para irrigação contempla o plano de desenvolvimento sustentável para o RN. “Sou sanitarista e ouvir alguém falar em tratamento do lixo e reuso de agua é música para meus ouvidos”, elogiou.

O secretário Guilherme Saldanha (Agricultura e Pesca/Sape) também participou da reunião e destacou que em breve o Estado será o maior exportador de frutas do Brasil, por causa da entrada da China no mercado dos melões, e que o incremento de tratamento de água para a agricultura com certeza representará um ganho para o segmento. “Temos muitos agricultores que vivem em regiões áridas e podem aumentar consideravelmente suas produções com a possibilidade de irrigação”, afirmou.

ATUAÇÃO DO IDEMA

O Governo do Estado tem entre suas diretrizes a formação de um ambiente favorável aos negócios.    Desde o início do ano, o Idema vem trabalhando para agilizar a concessão de licenças para empreendimentos. No mês de julho o Idema iniciou a emissão de licença ambiental eletrônica por meio de três plataformas online, com o objetivo de acelerar a última etapa do licenciamento e trazer economia para o Estado.

Apenas nos 100 primeiros dias de gestão foram emitidas mais de 500 licenças, concluindo processos que estavam abertos desde 2016. Um dos exemplos é a licença de instalação do projeto Borborema, emitida em abril, para a empresa Cascar Brasil Mineração iniciar a exploração de ouro em Currais Novos, investindo R$ 200 milhões na fase inicial e gerando de 200 a 300 empregos diretos.

No setor de energia, o Idema intensificou os trabalhos para habilitar 36 projetos ao leilão da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL).    Foram reemitidas 12 licenças com adequações, 7 licenças prévias para usinas fotovoltaicas, 15 licenças prévias e 2 licenças de instalação para projetos na área de energia eólica (alguns abertos desde 2013).

A previsão é que cinquenta novos parques sejam instalados no RN até 2023, gerando investimentos de R$ 4 bilhões. Atualmente o RN é o maior produtor de energia eólica do Brasil, com 151 parques e 1,5 mil aerogeradores em operação, com capacidade instalada de 4 gigawatts (três vezes mais que a demanda do RN).

CTGÁS-ER e Prefeitura de Pedro Avelino devem firmar parceria para formação profissional em energia renovável

8/05/2019   11h18

A Prefeitura de Pedro Avelino deve firmar parceria com o SENAI/CTGÁS-ER para que sejam oferecidos cursos de formação profissional no município, voltados à área de energia renovável.

O prefeito de Pedro Avelino, Alexandre Sobrinho, e a coordenadora da Unidade de Educação do CTGÀS, Cândida Amália, trataram desta parceria em reunião na sede da instituição.

“O município vai receber investimento de um parque eólico e, para a sociedade local ter os benefícios do desenvolvimento que serão proporcionados, é preciso que esteja preparada, capacitada”, destacou Alexandre Sobrinho.

Pedro Avelino está entre os municípios que receberão quatro complexos e vinte novos parques eólicos. A empresa portuguesa EDP Renováveis apresentou ao governo do Estado os projetos, que chegarão a Jandaíra, Touros, Lajes, São Tomé, Cerro Corá, Pedra Preta e Pedro Avelino. A empresa já opera oito parques eólicos no Rio Grande do Norte.

A coordenadora da Unidade de Educação do CTGÁS-ER destaca a importância da capacitação para que a população local esteja apta e possa aproveitar as oportunidades profissionais que devem se consolidar com a instalação destes projetos.

Ela afirma que, em Pedro Avelino serão oferecidos cursos para capacitar os trabalhadores locais nas áreas relacionados com a construção dos parques, manutenção, distribuição de energia e nos diversos setores que deverão se desenvolver no município. “Com isso, haverá o necessário desenvolvimento das pessoas que, com isso, poderão atuar no processo produtivo que será desencadeado a partir destes investimentos em energia renovável”, destaca.

SENAI/CTGÁS-ER

IDEMA emite licença ambiental para instalação de Parque Eólico em Lajes, Pedro Avelino e Jandaira

O Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente do Rio Grande do Norte (IDEMA), publicou no Diário Oficial do Estado a comunicação de concessão de “licença ambiental prévia” para instalação do Parque Eólico Monte Verde I que compreende os municípios de Lajes, Pedro Avelino e Jandaíra.

O documento tem validade até o dia 21 de Setembro de 2019.

Veja a publicação na integra http://diariooficial.rn.gov.br/dei/dorn3/docview_top.aspx#

Robson Cabugi

RN lidera a produção de energia eólica no Brasil

O Rio Grande do Norte atingiu novo recorde energético ao alcançar 4 GW em potência instalada a partir de parques eólicos. A marca foi alcançada na quinta-feira, 14, com a entrada em operação comercial de dois parques de propriedade da Companhia Paranaense de Energia (Copel), localizados no município de São Bento do Norte, no litoral potiguar.

Com a entrada em operação dos novos empreendimentos, o estado passa a ter 151 parques eólicos em funcionamento.

A geração de energia por fonte eólica já representa 86% de toda a potência instalada do estado potiguar. Uma conquista iniciada há mais de dez anos, a partir da atuação do senador Jean Paul Prates (PT-RN), que, à época, era secretário estadual de Energia do Rio Grande do Norte.

Nesta função, ele encabeçou uma campanha junto ao Ministério das Minas e Energia para que as fontes renováveis passassem a ser incluídas nos leilões de energia do Brasil.

A conquista dos 4 GW garante a manutenção do Rio Grande do Norte como líder absoluto em três quesitos: maior capacidade eólica instalada no Brasil, maior geração de energia por fonte eólica do país e a maior matriz eólica nacional.

A notícia foi bastante comemorada pelo senador Jean Paul Prates, que além de precursor das fontes renováveis no Rio Grande do Norte é também fundador e ex-presidente do CERNE (Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia), instituição de apoio e monitoramento do setor energético no Nordeste Setentrional.

“Considero que essa é uma marca histórica, mais uma que o Rio Grande do Norte atinge, sempre à frente nas conquistas do setor eólico nacional. Isso reforça a responsabilidade do Estado em ser o protagonista e o líder desse setor. Pretendo continuar perseverando, ajudando o RN a se organizar para receber novos empreendimentos, manter o status de melhor ambiente operacional e de investimentos para energia eólica do Brasil. Queremos manter o RN na frente”, ressaltou o Senador.

RN é destaque em leilão de energia da Aneel com 742,3 MW arrematados

O leilão de energia A-6 realizado nesta sexta-feira (31), pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) teve uma forte concorrência diante do grande número de projetos ofertados e da pouca demanda por parte das distribuidoras. O grande destaque foi o Rio Grande do Norte com 742,30 MW de um total de 1.250,70MW.

Foram viabilizados 48 projetos da fonte eólica, em um total de 1.250,7 MW de capacidade instalada, três termelétricas totalizando 391 MW e 11 usinas hidrelétricas somando 457,7 MW. O total contratado somou R$ 23,67 bilhões com prazos de 20 a 30 anos. Os destaques ficaram por conta do RN com 742,30 MW e Bahia com 508,4MW.

Xerife