Eleição 2020: Nilton Mendes deixa o grupo do prefeito Alexandre Sobrinho

Nem o COVID-19 deixou a política de Pedro Avelino em quarentena. Nesta sexta-feira, 20 de março, o ex-vice-prefeito Nilton Mendes anunciou seu rompimento político com o prefeito Alexandre Sobrinho.

Mais uma baixa no grupo político do prefeito de Pedro Avelino.

Eleição2020: José Adécio recebe o vereador Itamar

O presidente municipal do Democratas em Pedro Avelino, José Adécio e Neide Suely receberam nesta segunda-feira, 09 de março, o vereador Itamar de Fausto (Dem), em Natal.

Pauta: Sucessão Municipal e Nominata de Vereadores.

Janela partidária para quem vai disputar eleições começa na quinta (5)

Vereadores que serão candidatos poderão mudar de partido sem punições

Publicado em 01/03/2020 – 09:19 Por André Richter – Repórter da Agência Brasil – Brasília

A partir da próxima quinta-feira (5), os vereadores que pretendem disputar a reeleição ou a prefeitura de sua cidade podem mudar de partido sem sofrerem nenhuma punição da legenda. O prazo da chamada janela partidária termina no dia 3 de abril, seis meses antes do pleito. O primeiro turno será realizado em 4 de outubro e o segundo turno no dia 25 do mesmo mês.

Pelo calendário eleitoral, elaborado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), órgão responsável pela organização das eleições, o prazo é considerado para a justa causa necessária para a mudança partidária dos detentores do cargo de vereador que queiram concorrer às eleições majoritárias (prefeitura) ou proporcionais (reeleição).  Ao trocarem de partido, os parlamentares buscam mais recursos e apoio político para as campanhas. 

Calendário das eleições

Outras datas previstas no calendário eleitoral devem ser seguidas pelos candidatos e partidos que vão disputar o pleito. No dia 4 de abril, todos os partidos que pretendem disputar as eleições devem estar com registro aprovado pelo TSE. 

No mesmo mês, o tribunal vai lançar uma campanha nas emissoras de rádio e televisão para incentivar a participação das mulheres nas eleições e esclarecer o eleitor sobre o funcionamento do sistema eleitoral.

No dia 16 de junho, a Corte deve divulgar o valor corrigido do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC), criado pelo Congresso. Conforme o orçamento da União, R$ 2 bilhões estão previstos para o fundo.

Em julho, os partidos estão autorizados a promover as convenções internas para escolha de seus candidatos, que deverão ter os registros das candidaturas apresentados à Justiça Eleitoral até 15 de agosto.

No dia seguinte, a propaganda eleitoral está autorizada nas ruas e na internet até 3 de outubro, dia anterior ao primeiro turno.

Em setembro, a partir do dia 19, nenhum candidato poderá ser preso, salvo em flagrante. No caso dos eleitores, a legislação eleitoral também proíbe a prisão nos dias próximos ao pleito. No dia 29, eleitores só podem ser presos em flagrante.

A diplomação dos prefeitos e vices, além dos vereadores eleitos, deve ocorrer até 19 de dezembro.

Executiva do PT convida Charles Paiva e Sávio Antas para disputar a prefeitura de Pedro Avelino

A Executiva do Partido dos Trabalhadores no estado convidou o mestre em ciências animal Charles Paiva e o professor Sávio Antas para disputar a Prefeitura de Pedro Avelino na eleição de outubro.

Confira:

Aos companheiros Charles Paiva e Sávio Antas!

Nós sabemos de suas capacidades profissionais e financeiras, bem sucedidas, também sabemos que existe um compromisso com seus conterrâneos de Pedro Avelino, e, em virtude das pré candidaturas e chapas apresentadas para prefeito e vice prefeitos já postas na mesa no município de Pedro Avelino convocamos os companheiros a disporem seus nomes para pré-candidaturas do Mestre em Ciência Animal Charle Paíva como pré-candidato a prefeito e do Oficial de Justiça e professor Sávio Antas para pré-candidato a vice prefeito, respectivamente, cientes de suas compreensões em ajudar o PT de PA e do Estado do RN, e convocados pela governadora Fátima Bezerra, vamos apostar nos seus nomes, aguardamos suas respostas positivas para podermos nos mobilizar na disputa majoritária deste município.

Júnior Souto
Presidente Estadual do PT do RN.

Eleição 2020: Psol confirma pré-candidatura de Paulo Patrício a prefeito de Pedro Avelino

Em reunião nesta quarta-feira, 19, o Psol decidiu por unanimidade a pré-candidatura de Paulo Patrício a prefeito de Pedro Avelino. O nome do pré-candidato a vice-prefeito ficou para ser definido mais a frente.

A presidenta do Psol e seus membros

Paulo teve sua pré candidatura confirmada pela executiva do Psol.

Pré-candidatura à reeleição do Prefeito Marcão, de Lajes, está totalmente assegurada

Realizando inúmeras obras pela cidade, entre elas; as reformas do estádio municipal Severino Moura do Vale, reformas dos ginásios do centro e da comunidade de firmamento, reforma da secretaria de saúde, UBS de Boa Vista em fase final, programa Moradia Cidadã, que entrega mensalmente uma unidade habitacional reconstruída ou construída para famílias de baixa renda, o Prefeito Marcão segue firme e muito bem avaliado para sua reeleição.

O município de Lajes segue avançando, seguindo os passos do ex-prefeito Benes Leocádio, o Prefeito Marcão conseguiu evoluir na educação, na saúde, nos programas sociais, esporte e agricultura. O município de Lajes foi apontado pelo Conselho Federal de Administração como o 2º melhor do estado no índice de governança. Na saúde, pelo segundo ano consecutivo recebe avaliação máxima do Tribunal de Contas do Estado na avaliação dos serviços de saúde. Além de ser um amigo leal, o Prefeito Marcão conta com a admiração e total confiança do Deputado Benes Leocádio. Sua pré-candidatura à reeleição está tranquilamente assegurada.

Aproveitamos para reforçar que são falsas as notícias que circulam em alguns blogs, afirmando que o Prefeito Marcão abriu mão do seu direito à reeleição. Especula-se que pessoas com interesse em outras pré-candidaturas vêm plantando a notícia fake.

IVAN JÚNIOR lidera corrida para voltar a Prefeitura do Assú

Próximo de 2020, ano de eleições municipais, o ex-prefeito da cidade do Assú, Ivan Júnior e sua esposa, Drª Vanessa Lopes lideram todos os cenários para próximas eleições.

O levantamento feito pelo Instituto Teledata, realizado entre os dias 21 e 22 de dezembro, aponta Ivan Júnior com ampla vantagem sobre o atual Prefeito Gustavo Soares e demais concorrentes. Nas últimas eleições estaduais Ivan Júnior foi candidato a Deputado Estadual e já superou o Deputado George Soares (irmão do prefeito), sendo o candidato a Dep. Estadual mais votado do Assú e levando Benes Leocádio a ser também o Deputado Federal mais votado.

Cenário 1 ( Estimulada)
Ivan Júnior – 47,82
Gustavo Soares – 38,21

Cenário 2( Estimulada)
Ivan Júnior – 44,32
Gustavo Soares – 32,52
Fabielle Bezerra – 11,14

Cenário 3( Estimulada)
Ivan Júnior – 36,90
Gustavo Soares – 31,00
Dr Vanessa – 8,08
Fabielle Bezera – 5,68

Cenário 4( Estimulada)
Dr Vanessa – 42,37
Gustavo Soares – 37,99

A pesquisa ainda aponta que para mais de 40% dos da população de Assú, Ivan Júnior foi o melhor prefeito dos últimos 30 anos e o atual prefeito Gustavo Soares, com a maior rejeição entre todos os pré-candidatos.

Partidos de oposição começam a se articular para 2020 em Pedro Avelino

Sexta-feira, 23/08/2019 – 14h56 – Pedro Avelino

O tempo em política costuma ser mais dinâmico que o presente. Termina um pleito, vitorioso ou derrotado, os partidos já se articulam, a partir dos cenários criados e os que poderão existir, para o próximo pleito. E é o que já está sendo feito pelas lideranças partidárias.

Reprodução

A novidade para a próxima eleição é que os partidos não poderão se coligar mais com outras legendas para as eleição de vereador. A regra é que os mais votados conquistem a vaga. Será assim no Brasil.

Com isso, chega ao fim os candidatos “escadas” ou “degraus”, que entravam para, literalmente, catar votos para os nomes mais votados das legendas e coligações.

Na prática, acredita-se que cada sigla deve trabalhar para colocar os melhores nomes à disposição, a fim de garantir um bom perfil político para a escolha dos eleitores.

TSE propõe voto distrital para vereador já nas eleições de 2020

Grupo de trabalho defende mudança na eleição de representantes municipais; alterações teriam de passar no Congresso até setembro

Rafael Moraes Moura – O Estado de S.Paulo13 de julho de 2019 | 05h00

BRASÍLIA – Um grupo de trabalho coordenado pelo vice-presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, propõe mudar radicalmente a forma de eleger vereadores no ano que vem. Em documento entregue no mês passado para o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o tribunal defende adotar, já em 2020, o sistema distrital misto em cidades com mais de 200 mil habitantes. A ideia é separar os município em distritos, que elegeriam seus representantes isoladamente (veja detalhes da proposta ao fim do texto).

O modelo distrital misto, inspirado no sistema adotado na Alemanha, prevê a divisão dos Estados e municípios em distritos eleitorais – dessa forma, os candidatos a vereador em um bairro da zona sul de São Paulo, por exemplo, seriam diferentes daqueles dos eleitores de um bairro na zona norte. A divisão de cada cidade em distritos seria feita pelo próprio TSE, que convocaria audiência pública com representantes dos partidos políticos para definir os critérios e os limites de cada um.

Luis Roberto Barroso, ministro do STF e vice-presidente do TSE; magistrado coordena grupo de trabalho na Corte eleitoral
Luis Roberto Barroso, ministro do STF e vice-presidente do TSE; magistrado coordena grupo de trabalho na Corte eleitoral Foto: Dida Sampaio/Estadão

Questionado, o TSE não informou até a conclusão desta edição sobre previsão para a audiência nem sobre estudos envolvendo a divisão das cidades em distritos. Um dos receios é de que a definição dos limites geográficos de cada região beneficie candidatos e leve a distorções no resultado das eleições – nos Estados Unidos, a polêmica chegou à Suprema Corte, que concluiu que não cabe ao tribunal decidir sobre a divisão dos mapas.

No sistema proposto pelo grupo de trabalho do TSE, metade das cadeiras na Câmara Municipal, assembleias legislativas e da Câmara dos Deputados seria definida conforme o voto distrital – ou seja, o voto nos candidatos de cada região. A outra metade seria eleita pelo chamado voto em legenda, em lista fechada, em que os candidatos de cada partido são informados em uma lista predeterminada, que já definiriam a ordem em que as vagas serão preenchidas. Neste caso, o eleitor escolhe uma lista, e não um candidato.

‘Não sei se tem voto para passar no Congresso’, afirma Rodrigo Maia

Rodrigo Maia, no entanto, disse ao Estadoque vê a mudança no sistema eleitoral como difícil de ser aprovada a tempo de valer para o ano que vem. “É uma proposta muito boa. Não sei se tem voto (para passar no Congresso), porque mudar o sistema eleitoral é difícil”, afirmou.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ)
O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) Foto: Dida Sampaio/Estadão

Para o presidente da Câmara, o sistema atual vem gerando uma pulverização do quadro político, o que atrapalha a “governabilidade e a relação do Executivo com o Legislativo” pelo número excessivo de partidos.

As críticas ao atual sistema são endossadas por Barroso, que assumirá o comando do tribunal em 2020. Para o ministro, o Brasil precisa de uma reforma política capaz de baratear o custo das eleições e facilitar a governabilidade. “Numa democracia, só a própria política pode se autotransformar. Muitos, como eu, creem que o sistema distrital misto oferece essa oportunidade. Esta será uma atuação patriótica do Congresso, que irá reaproximar a representação política da sociedade. Como quase tudo na vida, ninguém pode garantir de antemão que vá dar certo. Mas o sistema atual não está sendo bom para o País”, disse Barroso ao Estado.

A adoção do distrital misto encontra resistência entre parlamentares – para entrar em vigor em 2020, seria necessário aprovar as mudanças até o fim de setembro, um ano antes das próximas eleições. “Teríamos dois meses apenas, é impossível chegar a um acordo”, afirmou o presidente do Solidariedade, deputado Paulinho da Força (SP). 

O debate ainda dividiria as atenções no Congresso com as articulações em torno da reforma da Previdência. “A Câmara tem de conseguir discutir diversas matérias ao mesmo tempo”, disse a deputada Carla Zambelli (PSL-SP). “Não gosto do distrital misto porque tem a parte da lista, que é completamente antidemocrática e dá muito poder para o dirigente partidário”, afirmou Zambelli, que prefere o distrital “puro”.

Na opinião do deputado Marcelo Freixo(PSOL-RJ), o distrital misto pode criar problemas em algumas cidades, como o Rio. “As áreas de milícia no Rio são enormes, você pode estar legitimando e viabilizando que aqueles grupos que têm o controle territorial tenham o controle também político.”

Veja qual é a proposta do TSE para as eleições

  • Modelo

Como é: A eleição de deputado federal, estadual, distrital e de vereador depende da votação do partido ou coligação – é o sistema eleitoral proporcional.

Como ficaria: As cidades com mais de 200 mil habitantes adotariam o sistema distrital misto. O modelo, inspirado na Alemanha, prevê a divisão dos Estados e municípios em distritos eleitorais.

  • Candidatos

Como é: Os candidatos são os mesmos para os eleitores de regiões distantes, como Jardim Ângela, na zona sul de São Paulo, e Santana, na zona norte, por exemplo.

Como ficaria: Por esse modelo, os candidatos do Jardim Ângela, por exemplo, seriam diferentes daqueles dos eleitores de Santana. A divisão em distritos seria feita pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

  • Votação

Como é: O eleitor pode escolher votar tanto no candidato de sua preferência, como no número de sua legenda preferida.

Como ficaria: Modelo combina voto proporcional e voto majoritário. O eleitor tem dois votos: um para candidatos no distrito e outro para as legendas (partidos).