Rio Grande do Norte registra 53 crianças esperando na fila de adoção

Na Semana Nacional de Adoção, Pedro Bruno Fernandes mostra o que o Projeto Acalanto vem fazendo e o que fará em parceria com a justiça pessoas que querem adotar crianças

O presidente do Projeto Acalanto, Pedro Bruno Fernandes, em entrevista ao programa Manhã Agora, apresentado pelo jornalista Tiago Rebolo, na rádio Agora FM (97,9), disse que o trabalho em prol da garantia dos direitos da crianças e adolescentes que vivem em instituições de acolhimento está cada vez melhor, mas que muita burocracia precisa acabar.

Em plena Semana Nacional da Adoção, Pedro Bruno diz que é importante deixar claro que é preciso conscientizar os setores de saúde e assistência social quando se trata de adoção. Fernandes disse ainda que o contato com magistrados que militam na Vara da Infância está intenso e que o diálogo é cada vez maior. “Estamos discutindo muito sobre as instituições de acolhimento das comarcas, pelo fato de a adoção começar no judiciário”, explicou Fernandes.

Hoje, o tempo de processo a tornar-se apto para adotar crianças e adolescentes leva cerca de sete meses, sendo três de preparação e quatro de processo – isso fora o tempo da chegada até a casa da pessoa postulante à adoção, que não precisa ser casada nem rica. Segundo Pedro Bruno Fernandes, basta ter afeto e condições dignas para criar.

Na avaliação de Fernandes, este número discrepante ainda é fato porque há uma luta grande do judiciário em torcer para a família biológica da criança ou adolescente querê-los de volta, no sentido de recuperar uma melhor condição social e econômica, o que dificilmente ocorre.

Há muitos casos que uma criança passa até oito anos esperando ser adotada e outras situações em que os adolescentes atingem a maior idade e são obrigados a cair no mundo, tendo estrutura ou não. Pedro Bruno Fernandes explica que, no primeiro caso, a busca por crianças aumentou e também se elevou a idade na busca por crianças para a adoção, que antes era de até dois, e hoje já chega a cinco. No caso dos adolescentes, Fernandes deixa claro que é preciso criar condições para que estes jovens possam fazer cursos profissionalizantes, além de qualificação e capacitação.

No Rio Grande do Norte existem hoje 53 crianças e adolescentes para a adoção e o número de pretendentes é bem maior: 500. Entretanto, há centenas de crianças que precisam ser adotadas e que anda não estão com a situação jurídica consolidada. Quem quiser tirar dúvidas ou ajudar o Projeto Acalanto em processos de adoção, basta ligar para 3219-3523 ou 99117-7732.

Agora RN

Bilionária que doou R$ 88 milhões ao Notre Dame, fez doação generosa no RN

Ela já veio ao RN conferir o resultado de sua doação

28 de abril de 2019 | 11:18

LILY SAFRA – REPRODUÇÃO

A bilionária Lily Safra, que ganhou o noticiário neste mês, devido a uma doação de R$ 88 milhões que fez para a recuperação da Catedral de Notre Dame, em Paris, tem sua marca no Rio Grande do Norte devido, também, a uma generosa doação que fez ao Instituto Internacional de Neurociências, localizado em Macaíba, na Grande Natal, tanto que o local recebeu o nome dela e do seu último marido (já falecido), passando a se chamar  Instituto Internacional de Neurociências de Natal – Edmond e Lily Safra (IINN-ELS).

A doação foi considerada a maior já feita a um centro de pesquisa brasileiro. O Instituto de Ensino e Pesquisa Alberto Santos Dumont, responsável pelo Instituto de Neurociências, informou ao Portal NoAr que em 2007, o Instituto Internacional de Neurociências recebeu o nome “Edmond e Lily Safra” em função de uma doação de Lily Safra, devido ao seu interesse na área de neurociências.

“O valor doado ao projeto não pode ser divulgado por questões contratuais. Lily Safra visitou o Instituto em sua fase
inicial, quando ainda estava sediado em Natal. Desde 2014 o Instituto Internacional de Neurociências Edmond e Lily Safra é mantido por meio de um contrato de gestão com o Ministério da Educação”, informou.

O diretor do instituto, Miguel Nicolelis, neurocientista brasileiro radicado nos Estados Unidos, assegurou, ao ser noticiada a doação em 2006, que esta viabilizaria uma série de atividades de pesquisa e projetos sociais na capital potiguar e no município vizinho de Macaíba. Nicolelis foi considerado pela revista americana Scientific American um dos 20 cientistas mais influentes do planeta.

Foi do IINN-ELS que saiu o projeto que fez um jovem paralisado, usando um exoesqueleto, dar o ‘pontapé inicial’ na abertura da copa do mundo de 2014, no Brasil, usando robô comandado pelo cérebro.

Em reportagem publicada pelo jornal “O Estado de São Paulo”, em 2006,  Lily Safra disse estar há muitos anos, envolvida com as pesquisas na área da neurociência em institutos de renome em todo o mundo, apoiando os cientistas em sua busca pela cura de enfermidades devastadoras como a doença de Parkinson e o mal de Alzheimer. Disse ainda que a doação era parte de uma extraordinária parceria com o Instituto Internacional de Neurociências de Natal Edmond e Lily Safra que tem o potencial de promover impacto significativo nessa busca e que considerava um dos principais laboratórios do mundo.

“Esse projeto chamou minha atenção porque também aborda uma outra área dentre aquelas em que tenho atuado por tanto tempo: oferecer oportunidades educacionais para crianças desfavorecidas e suas famílias”, esclareceu a doadora ao jornal.

A fortuna de Lily, que vive entre Londres e Nova York hoje em dia, é avaliada em torno de R$ 5 bilhões. Só a mansão Villa Leopolda, que possui na Côte Dazur, na Riviera Francesa, vale quase R$ 2 bilhões. Todo esse patrimônio foi herdado.

Portal no Ar

FNF Lança campanha para doação de sangue entre torcedores do RN

“Torcedômetro da Vida. Doe e marque um golaço!” pretende atingir meta de mil bolsas por mês junto ao Hemonorte. Clubes e torcedores envolvidos vão concorrer a prêmios.

Um simples gesto de amor e de solidariedade, mas que pode salvar uma vida. É com essa ideia que a Federação Norte-rio-grandense de Futebol lança nesta quinta-feira (17) o “Torcedômetro da Vida. Doe e marque um golaço!”, campanha social em parceria com o Hemonorte e a Arena das Dunas, para incentivar a doação de sangue entre as torcidas dos clubes do Rio Grande do Norte. Para isso, a ação vem reforçar que a rivalidade no futebol é somente dentro de campo e que fora dele todos lutam pela mesma causa: doar sangue e salvar vidas. No Hemonorte, o estoque de bolsas de sangue está longe da meta, que é de mil bolsas por mês.

O lançamento será a partir das 11h, no Hemonorte, em Natal, com a presença de jogadores de ABC, América-RN e do mascote do Campeonato Potiguar, o Cajulino. Os 30 primeiros torcedores que doarem sangue até sexta-feira (18), ganharão um ingresso para o “Clássico Rei da Paz”, que acontece no próximo domingo (20), às 16h, no Frasqueirão. Além disso, também estarão concorrendo a participação de uma ação no intervalo do jogo, em campo, com o Cajulino.

De acordo com José Vanildo da Silva, presidente da FNF, a iniciativa vai além da realização dos jogos do Campeonato Potiguar, buscando o envolvimento de toda a sociedade para que o simples gesto de doar sangue reforce uma atitude de solidariedade.

“A FNF cria essa iniciativa buscando parceiros, como o Hemonorte, numa forma de salvar vidas. Falar de futebol é muito mais do que uma partida em campo, mas fomentar o alcance social para a solidariedade. Em razão da força que o futebol possui para a sociedade, gerando o bem-estar ao público, a Federação lança essa campanha para que o torcedor de cada clube do Rio Grande do Norte contribua com um gesto de amor e que vai salvar uma vida. O ‘Torcedômetro’ vai mostrar que o futebol potiguar para ajudar o nosso Estado”, conta José Vanildo.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde, no Brasil, cerca de 1,6% da população doa sangue – 16 a cada mil habitantes. Embora o percentual fique dentro dos parâmetros da OMS – de pelo menos 1% da população – o Ministério da Saúde tem trabalhado para aumentar o número de doadores. Para a coordenadora do Serviço Social do Hemonorte, Miriam Mafra, a expectativa da campanha é atingir a meta e tornar o ato de doação de sangue rotineiro entre os potiguares.

“A importância dessa campanha é o fato de que a doação seja um sentimento de união entre as torcidas. O foco da doação é salvar vidas, mesmo diante das preferências de cores e times. Por isso, é importante essa sensibilidade para criarmos essa rede de solidariedade. Atualmente, nosso estoque de sangue está baixo, em decorrência das férias e do período da alta estação, em que muitas pessoas estão fora de capital. Nossa meta é atingirmos cerca de mil bolsas por mês. Dessa forma, contamos com a doação de todos os clubes e dos seus torcedores para estarmos juntos nessa grande ação”, espera Miriam.

Torcedômetro da Vida. Doe e marque um golaço!

A campanha medirá a paixão da torcida pelo clube de coração através da doação de sangue. Ao final do Campeonato Potiguar 2019, o clube campeão em doações, segundo a medição do Torcedômetro, ganhará um troféu comemorativo e os torcedores do clube estarão concorrendo a 20 vagas para participar do 1º torneio “Torcedômetro da Vida”, na Arena das Dunas, em data a ser divulgada posteriormente. Além disso, os torcedores concorrerão a uma temporada de ingressos para o Campeonato Potiguar 2020.

O clube que atingir a segunda colocação em doações de sangue, também ganhará um troféu comemorativo e os torcedores concorrerão a 15 vagas no torneio e uma camisa oficial do clube, autografada pelo elenco. Já o clube que chegar à terceira colocação, também ganhará um troféu e os torcedores que doaram sangue concorrerão a cinco vagas no torneio e uma bola oficial do Campeonato Potiguar 2019. Outras quatro vagas para o torneio serão sorteadas entre os participantes da campanha.

Quanto mais as torcidas dos clubes potiguares abraçarem a causa da doação de sangue, mais chances os clubes terão de subir no ranking do “Torcedômetro da Vida. Doe e marque um golaço”.

Para realizar a doação de sangue, com a retirada máxima 450 ml, o torcedor precisa atender aos seguintes requisitos:

– Ter idade entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos (menores de 18 anos devem possuir consentimento formal do responsável legal);

– Pesar no mínimo 50 kg;

– Estar alimentado. Porém, evitar alimentos gordurosos nas três horas que antecedem a doação;

– Caso seja após o almoço, aguardar duas horas;

– Ter dormido pelo menos seis horas nas últimas 24 horas;

– Apresentar documento de identificação com fotografia, emitido por órgão oficial. (Carteira de Identidade, Carteira Nacional de Habilitação, Carteira de Trabalho, Passaporte, Registro Nacional de Estrangeiro, Certificado de Reservista ou Carteira Profissional emitida por classe);

– A frequência máxima é de quatro doações anuais para o homem e de três doações anuais para a mulher. O intervalo mínimo deve ser de dois meses para os homens e de três meses para as mulheres.

FNF

Garibaldi e Walter Alves recebem doações milionárias do MDB nacional

O senador Garibaldi Alves e o seu filho, o deputado federal Walter Alves, receberam da direção nacional do MDB, um total de R$ 3,5 milhão do fundo partidário para bancar a campanha eleitoral.

Com essa espécie de prêmio de Mega Sena partidário, o pai e o filho buscam garantir a permanência da família Alves, no Senado e Câmara dos Deputados.

Não satisfeita, o clã dos Alves quer também o Governo do RN para o ex-prefeito de Natal e candidato a governador pelo PDT Carlos Eduardo Alves, numa concentração de poder desmedido e ganancioso.

Vt