Natal entra em estado de emergência por causa das chuvas e prefeito anuncia série de medidas

O prefeito Álvaro Dias instalou o gabinete de crise e decretou estado de emergência no Município de Natal, em função das fortes chuvas que castigam a capital potiguar desde a última quarta-feira (11). Segundo a Defesa Civil da cidade, já choveu cerca de 170 mm no período, o que provocou o transbordamento de lagoas e desabrigou famílias na Zona Norte natalense. Ficou determinado ainda um local para abrigo e o gestor agendou uma reunião para a tarde desta sexta-feira (13), no Palácio Felipe Camarão, com os prefeitos da Grande Natal.

“Determinei que o Centro de Convivência Ivone Alves, que fica no bairro de Nova Natal, seja preparado para receber os desabrigados. Uma equipe da Semtas (Secretaria Municipal de Trabalho e da Assistência Social) estará acolhendo essas pessoas. Muitas delas vêm do bairro de Nossa Senhora da Apresentação, que foi muito atingido”, explicou o prefeito. A equipe da Semtas ainda está realizando um levantamento para saber o número real de desabrigados no local.

Preocupado com a situação em toda a Grande Natal, onde as chuvas foram sentidas com mais força, o prefeito Álvaro Dias convidou os prefeitos da região. “A intenção é que tomemos medidas em conjunto. São Gonçalo sofreu muito, inclusive com uma criança como vítima fatal, Macaíba teve problemas e de Parnamirim temos informações de muitos estragos. Vamos trabalhar juntos para resolver tudo”, propõe Álvaro Dias.

Em relação aos trabalhos de escoamento das águas das quatro lagoas que transbordaram (Cidade da Esperança, Preá, Santarém e São Conrado), a Defesa Civil e a Secretaria de Obras de Natal (Semov) estão realizando, de forma emergencial, a compra de seis bombas de drenagem, sendo quatro fixas e duas móveis. A expectativa é para que, em 72 horas, as fixas já estejam instaladas e bombeando as águas excedentes, diminuindo os alagamentos.

A Prefeitura de Natal recomenda a utilização do aplicativo Natal Digital para que as pessoas possam registrar, em tempo real, ocorrências sobre problemas no tráfego ou outros danos que tenham sido causados pela precipitação pluviométrica. O aplicativo pode ser baixado pelas plataformas Apple e Android. Também está disponível o serviço telefônico 190 para a mesma finalidade.

Pedro Avelino: Inmet emite alerta de chuva com ‘perigo potencial’ e ventos de até 60 km/h em 105 municípios do RN; veja lista

Aviso do Instituto Nacional de Meteorologia aponta chuvas com volume de 20 e 30 milímetros por hora ou até 50 milímetros por dia.

Por G1 RN

01/03/2020 12h59  Atualizado há 6 horas


Alerta amarelo do Inmet — Foto: Reprodução
Alerta amarelo do Inmet — Foto: Reprodução

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) publicou aviso com alerta que vale das 12h deste domingo (1º) até às 8h de segunda-feira (2) em uma área do Nordeste que abrange 105 municípios do Rio Grande do Norte.

O alerta aponta para a ocorrência de chuvas com volume de 20 e 30 milímetros por hora ou até 50 mm/dia, além de ventos intensos de 40 a 60 km/h. Municípios do Piauí, Ceará, Pernambuco, Paraíba e Bahia também foram listados no aviso.

Ainda de acordo com o Inmet, há baixo risco de corte de energia elétrica, queda de galhos de árvores, alagamentos e de descargas elétricas.

Em caso de rajadas de vento, o instituto orientou que a população não se abrigue debaixo de árvores e não estacione veículos próximos a torres de transmissão e placas de propaganda. Outra recomendação é evitar usar aparelhos eletrônicos ligados à tomada. Confira a lista dos municípios em alerta:

  • Água Nova
  • Acari
  • Afonso Bezerra
  • Alexandria
  • Almino Afonso
  • Alto Do Rodrigues
  • Angicos
  • Antônio Martins
  • Apodi
  • Areia Branca
  • Augusto Severo
  • Açu
  • Baraúna
  • Barcelona
  • Bodó
  • Caicó
  • Caiçara Do Rio Do Vento
  • Campo Redondo
  • Caraúbas
  • Carnaubais
  • Carnaúba Dos Dantas
  • Cerro Corá
  • Coronel Ezequiel
  • Coronel João Pessoa
  • Cruzeta
  • Currais Novos
  • Doutor Severiano
  • Encanto
  • Equador
  • Felipe Guerra
  • Fernando Pedroza
  • Florânia
  • Francisco Dantas
  • Frutuoso Gomes
  • Governador Dix-Sept Rosado
  • Grossos
  • Ipanguaçu
  • Ipueira
  • Itajá
  • Itaú
  • Janduís
  • Jardim De Piranhas
  • Jardim Do Seridó
  • Jaçanã
  • José Da Penha
  • João Dias
  • Jucurutu
  • Lagoa De Velhos
  • Lagoa Nova
  • Lajes
  • Lajes Pintadas
  • Lucrécia
  • Luís Gomes
  • Macau
  • Major Sales
  • Marcelino Vieira
  • Martins
  • Messias Targino
  • Mossoró
  • Olho-D’Água Do Borges
  • Ouro Branco
  • Paraná
  • Paraú
  • Parelhas
  • Patu
  • Pau Dos Ferros
  • Pedro Avelino
  • Pendências
  • Pilões
  • Portalegre
  • Porto Do Mangue
  • Rafael Fernandes
  • Rafael Godeiro
  • Riacho Da Cruz
  • Riacho De Santana
  • Rodolfo Fernandes
  • Santa Cruz
  • Santana Do Matos
  • Santana Do Seridó
  • Serra Caiada
  • Serra Do Mel
  • Serra Negra Do Norte
  • Serrinha Dos Pintos
  • Severiano Melo
  • São Bento Do Trairí
  • São Fernando
  • São Francisco Do Oeste
  • São José Do Seridó
  • São João Do Sabugi
  • São Miguel
  • São Rafael
  • São Tomé
  • São Vicente
  • Sítio Novo
  • Taboleiro Grande
  • Tangará
  • Tenente Ananias
  • Tenente Laurentino Cruz
  • Tibau
  • Timbaúba Dos Batistas
  • Triunfo Potiguar
  • Umarizal
  • Upanema
  • Venha-Ver
  • Viçosa

Rio Grande do Norte terá chuvas de até 533 milímetros para março, abril e maio

Fev 2020 | REDAÇÃO

Crédito da foto: Divulgação

Os padrões climáticos indicam a ocorrência de chuvas distribuídas em todas as regiões

A Empresa de Pesquisa Agropecuária do RN – Emparn confirmou na manhã desta quarta-feira, 19, a previsão de chuvas acima da média histórica para o trimestre de março, abril e maio próximos. De acordo com o meteorologista Gilmar Bistrot, os padrões climáticos indicam a ocorrência de chuvas distribuídas em todas as regiões do Estado, sendo 479 milímetros na região Oeste, 376 na região Central, 342 na região Agreste e 533 milímetros na região Leste. Em todo o ano de 2019 a média de chuvas foi de 840 milímetros.

“A previsão climática, a partir das condições observadas desde janeiro deste ano indicam chuvas normais ou acima da média histórica para o Rio Grande do Norte”, afirma o meteorologista. Ele explica que explica que “as análises consideram parâmetros de temperatura na superfície dos oceanos, ventos e pressão atmosférica”. Segundo Bistrot há aquecimento no Atlântico Sul e temperatura baixa no Pacífico e isto favorece ocorrências de chuvas no Nordeste brasileiro nos próximos três meses. “Hoje há essa tendência”, reforçou.

A conclusão apresentada pela Emparn resulta das análises também de meteorologistas dos principais centros de previsão climática da região Nordeste que promoveram em Parnamirim, nesta terça-feira, 18, a III Reunião de Análise Climática para o Semiárido Nordestino – Etapa Rio Grande do Norte.

Os especialistas fizeram o balanço dos primeiros meses do ano, análises de modelos meteorológicos, condições atuais dos oceanos e elaboração de boletins para o período.

A governadora Fátima Bezerra participou da apresentação do boletim de análise e previsão climática, ocorrido no auditório da Governadoria, e avaliou o quadro como animador. Ela registrou que o Governo do RN tomou providências em apoio ao homem do campo como a distribuição de sementes no período certo para aproveitar o período das chuvas. “Inclusive”, destacou Fátima Bezerra, “este ano entregamos também sementes crioulas, que são adaptadas às condições de clima e solo de cada região do Estado, oferecendo assistência técnica pela Emater e apoio à agricultura familiar”.

O RN é o primeiro Estado no Brasil a implantar o sistema de aquisição e distribuição de sementes crioulas. Este ano foram investidos R$ 600 mil na compra de grãos produzidos pela agricultura familiar. “São produtos certificados pelo Mapa, de qualidade e com germinação garantida. E já estamos trabalhando para ampliar as compras para R$ 2 milhões em 2021, mais do que triplicando o investimento deste ano”, informou a Governadora.

A presença de técnicos da Paraíba, Bahia, Alagoas, Pernambuco e do Distrito Federal no RN para tratar do clima mostra que temos uma “integração regional dos estados que enfrentam as intempéries da seca e do semiárido. Isto é muito bom e produtivo por que estamos somando conhecimento e buscando soluções efetivas”.

O secretário de Estado do Desenvolvimento Rural e da Agricultura Familiar – SEDRAF, Alexandre Oliveira, disse que a ocorrência de chuvas regulares “beneficia o agricultor e a produção com garantia de colheita do milho e feijão principalmente, por que assegura a alimentação animal e humana, o que tem forte impacto econômico e social, mantendo as famílias produtivas. Temos no Rio Grande do Norte 60 mil cisternas e, com as chuvas, elas serão abastecidas, irão garantir o consumo humano, a segurança alimentar e a produção de forragem para as criações”.

César Oliveira, diretor geral da Emater, afirma que a chuva é insumo indispensável para as ações no campo. A ocorrência de precipitações regulares anima os agricultores e movimenta a economia principalmente para os pequenos e médios produtores”.

Também participaram da apresentação do relatório o coordenador da Defesa Civil estadual, tenente-coronel Marcos Carvalho, diretor do Instituto de Gestão das Águas do Estado do RN – Igarn, Mário Manso, e meteorologistas dos estados que participaram da III Reunião de Análise Climática para o Semiárido Nordestino.

defato.com

Meteorologista explica ‘nuvem rolo’ que apareceu no interior do RN; veja imagens

Nuvem deixou moradores de Upanema e Caraúbas ficaram impressionados. Fenômeno é provocado por rajadas de ventos de aproximadamente 60 quilômetros por hora atuando em direções contrárias, segundo especialista.

Por G1 RN

21/02/2020 11h52  Atualizado há 2 horas


Morador de Upanema registrou ‘nuvem rolo’ na cidade de Upanema, Oeste potiguar — Foto: Cedida

Moradores do interior do Rio Grande do Norte registraram um fenômeno natural que aconteceu nesta quinta-feira (21), nas cidades de Caraúbas e Upanema, Oeste potiguar. Trata-se de uma novem mais baixa e arredondada, que chamou a atenção das comunidades dos dois municípios. É a nuvem do tipo rolo.

‘Nuvem rolo’ chamou a atenção de moradores de Upanema

De acordo com o meteorologista José Espínola, o fenômeno é mais comum nas regiões Sul e Sudeste do país. “A nuvem do tipo rolo forma uma espécie de rolo e se desloca horizontalmente. São nuvens que têm uma altura muito baixa. A base dela tem de um a dois quilômetros de altura e ela pode ter até mil quilômetros de extensão”, detalha.

Ainda segundo Espínola, a nuvem rolo é provocada por rajadas de ventos de aproximadamente 60 quilômetros por hora atuando em direções contrárias. “É uma combinação de ventos em altitudes diferentes e soprando também em direções contrárias. É o vento que dá essa configuração para ela”, acrescenta.

Fenômeno da nuvem do tipo rolo também foi registrado em Caraúbas, na região Oeste — Foto: Cedida

Alerta de chuvas com perigo potencial para Pedro Avelino e mais 120 cidades

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) publicou aviso de chuvas com perigo potencial para Natal e outros 120 municípios potiguares. O alerta é válido até as 9h15 desta sexta-feira (14) e prevê chuva entre 20 e 30 millímetros por hora, ou até 50 mm por dia com ventos intensos de até 60 quilômetros por hora.

Ainda de acordo com o Inmet, há baixo risco de corte de energia elétrica, queda de galhos de árvores, alagamentos e de descargas elétricas. Além do Rio Grande do Norte, o alerta é válido para estados vizinhos como Ceará, Paraíba e Pernambuco.

Ainda de acordo com o alerta, em caso de rajadas de vento a população não deve se abrigar debaixo de árvores, “pois há leve risco de queda e descargas elétricas”. Também é necessário evitar estacionar veículos próximos a torres de transmissão e placas de propaganda.

Outra recomendação é evitar o uso de aparelhos eletrônicos ligados à tomada.

Veja as cidades do RN sob alerta

  1. Acari
  2. Afonso Bezerra
  3. Alto do Rodrigues
  4. Angicos
  5. Apodi
  6. Areia Branca
  7. Arês
  8. Augusto Severo
  9. Assu
  10. Baraúna
  11. Barcelona
  12. Baía Formosa
  13. Bento Fernandes
  14. Bodó
  15. Bom Jesus
  16. Brejinho
  17. Caicó
  18. Caiçara do Norte
  19. Caiçara do Rio do Vento
  20. Campo Redondo
  21. Canguaretama
  22. Caraúbas
  23. Carnaubais
  24. Carnaúba dos Dantas
  25. Ceará-Mirim
  26. Cerro Corá
  27. Coronel Ezequiel
  28. Cruzeta
  29. Currais Novos
  30. Equador
  31. Espírito Santo
  32. Extremoz
  33. Felipe Guerra
  34. Fernando Pedroza
  35. Florânia
  36. Galinhos
  37. Goianinha
  38. Governador Dix-Sept Rosado
  39. Grossos
  40. Guamaré
  41. Ielmo Marinho
  42. Ipanguaçu
  43. Itajá
  44. Jandaíra
  45. Januário Cicco
  46. Japi
  47. Jardim de Angicos
  48. Jardim do Seridó
  49. Jaçanã
  50. João Câmara
  51. Jucurutu
  52. Jundiá
  53. Lagoa D’Anta
  54. Lagoa de Pedras
  55. Lagoa de Velhos
  56. Lagoa Nova
  57. Lagoa Salgada
  58. Lajes
  59. Lajes Pintadas
  60. Macau
  61. Macaíba
  62. Maxaranguape
  63. Montanhas
  64. Monte Alegre
  65. Monte das Gameleiras
  66. Mossoró
  67. Natal
  68. Nova Cruz
  69. Nísia Floresta
  70. Parazinho
  71. Paraú
  72. Parelhas
  73. Parnamirim
  74. Passa e Fica
  75. Passagem
  76. Pedra Grande
  77. Pedra Preta
  78. Pedro Avelino
  79. Pedro Velho
  80. Pendências
  81. Porto do Mangue
  82. Poço Branco
  83. Pureza
  84. Riachuelo
  85. Rio do Fogo
  86. Ruy Barbosa
  87. Santa Cruz
  88. Santa Maria
  89. Santana do Matos
  90. Santana do Seridó
  91. Santo Antônio
  92. Senador Elói de Souza
  93. Senador Georgino Avelino
  94. Serra Caiada
  95. Serra De São Bento
  96. Serra do Mel
  97. Serrinha
  98. São Bento do Norte
  99. São Bento do Trairí
  100. São Gonçalo do Amarante
  101. São José de Mipibu
  102. São José do Campestre
  103. São José do Seridó
  104. São Miguel do Gostoso
  105. São Paulo do Potengi
  106. São Pedro
  107. São Rafael
  108. São Tomé
  109. São Vicente
  110. Sítio Novo
  111. Taipu
  112. Tangará
  113. Tenente Laurentino Cruz
  114. Tibau
  115. Tibau do Sul
  116. Touros
  117. Triunfo Potiguar
  118. Upanema
  119. Vera Cruz
  120. Vila Flor
  121. Várzea

Por G1 RN

Número de mortes em razão das chuvas em Minas Gerais sobe para 47

Publicado em 27/01/2020 – 21:37

Por Jonas Valente – Repórter Agência Brasil Brasília

Chuvas em  Minas Gerais

O número de mortes por conta das fortes chuvas em Minas Gerais subiu para 47, conforme boletim da Defesa Civil estadual divulgado no início da noite de hoje (27). As mortes ocorreram em 14 municípios, com maior número (13) na capital, Belo Horizonte. Há quatro desaparecidos, nas cidades de Conselheiro Lafaiete e Luisiburgo, além de 65 feridos.

No total, 18.111 mil pessoas foram atingidas até agora pelos temporais. Destas, 14.609 ficaram desalojadas e 3.386 estão desabrigadas. A maior parte dos desalojados encontra-se no interior (7.530), enquanto outra parcela (7 mil) está na Região Metropolitana de Belo Horizonte. No tocante aos desabrigados, 2.294 são moradores do interior e 1 mil da região metropolitana.

Os desalojados são as pessoas que tiveram de deixar suas casas, mas que não necessariamente precisam do auxílio do governo. Os desabrigados são os que perderam seus lares e necessitam de auxílio do poder público.

Chuvas em  Minas Gerais

NESTA SEGUNDA-FEIRA, O GOVERNO DE MINAS GERAIS EDITOU DECRETO COLOCANDO 101 MUNICÍPIOS EM ESTADO DE EMERGÊNCIA – DIVULGAÇÃO/PMMG

Nesta segunda-feira, o governo estadual editou decreto colocando 101 municípios em estado de emergência, ampliando a listagem do dia anterior, que elencava 47 cidades. Mais 20 municípios anunciaram esta condição por meio de suas administrações municipais. Três cidades entraram em estado de calamidade pública: Orizânia, Ibirité e Catas Latas. Nas duas primeiras houve mortes.

O reconhecimento da situação de emergência permite ao governo estadual engajar os demais órgãos e empresas ligadas ao Poder Executivo para priorizarem o atendimento e a reparação dos estragos causados pelas chuvas, sob a coordenação da Defesa Civil mineira. Além disso, prefeituras e o próprio Poder Executivo estadual podem contratar serviços temporários e efetuar compras consideradas essenciais para o enfrentamento da situação sem a obrigatoriedade de realizar processo licitatório.

Saiba mais

Edição: Fábio MassalliTags: chuvaMinas Geraischuva em Minas GeraistemporaisBelo Horizonte

Rio Doce deve inundar Colatina nas próximas horas, afirma prefeito

Até o início da noite deste domingo (26), o nível do rio subiu consideravelmente atingindo a chamada cota de alerta, quando o volume das águas ultrapassa os 5,70 metros

João Henrique Castrojhcastro@redegazeta.com.br

Publicado em 26/01/2020 às 19h34 Atualizado em 26/01/2020 às 19h34

Rio Doce em Colatina neste domingo. Crédito: João Henrique Castro

O município de Colatina, no Noroeste do Espírito Santo, deve ter áreas inundadas pelo Rio Doce ainda neste domingo (26) ou na madrugada de segunda-feira (27). A informação é do prefeito, Sérgio Meneguelli (sem partido). “Acredito que ainda nesta noite alguma área da cidade já vão ter a chegada da água”, afirmou o chefe do Executivo.

Até o início da noite deste domingo o nível do rio subiu consideravelmente, atingindo a chamada cota de alerta, quando o volume das águas ultrapassa os 5,70 metros. Quando atingir os 6,20 metros já é considerada cota de inundação.

De acordo com o capitão Douglas, do Corpo de Bombeiros, a população que reside em áreas baixas e mapeadas pela Defesa Civil Estadual já deve procurar um abrigo adequado ou entrar em contato com a corporação em caso de emergências.

O capitão dos Bombeiros destacou ainda que já existe uma equipe da corporação pronta, inclusive com barcos, para atender a população em caso necessários.

Emparn prevê céu nublado e chuvas em todas as regiões potiguares ao longo da semana

Análise climática aponta para céu nublado com possibilidade de chuvas no interior do estado e fim de semana com chuvas mais fortes na região Leste.

Por G1 RN

14/01/2020 08h40  Atualizado há 3 horas


Chuva deve seguir em Natal no fim de semana (arquivo) — Foto: Fernanda Maribondo
Chuva deve seguir em Natal no fim de semana (arquivo) — Foto: Fernanda Maribondo

A previsão climática é de céu nublado com possibilidade de chuvas espalhadas pelo interior do estado, durante a semana, e com intensidade maior no fim de semana na região Leste do Estado, segundo informou a Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn).

Após as chuvas da última semana, bem distribuídas nas regiões do Rio Grande do Norte, a análise foi elaborada pela Unidade Instrumental de Meteorologia da estatal.

“No interior, mesmo com índices que superaram os 100 milímetros (mm) em alguns municípios, as chuvas favoreceram a retomada das pastagens nativas e começo no armazenamento de água em alguns reservatórios do Estado. No caso da capital, Natal, as chuvas causaram grandes transtornos em vários pontos devido à falta de estrutura para escoamento das águas”, avaliou o chefe da Unidade, Gilmar Bristot.

O sistema da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) permanece próxima ao litoral nordestino e associada as águas superficiais mais aquecidas no Oceano Atlântico, favorecem a ocorrência das chuvas, conforme a empresa.

As temperaturas máximas e mínimas, segundo Bristot, deverão se manter próximas das normais para o período. “Na capital, a temperatura deve variar entre a mínima de 24º C e a máxima de 32º C. Para o interior, nas regiões serranas, a mínima poderá chegar a 22ºC e a máxima ultrapassar 35ºC”, disse.

Nesta terça (14), a previsão é de céu parcialmente nublado a claro em todo o Estado com pancadas de chuvas nas regiões Oeste, Costa Branca e Litoral Leste.

A quarta-feira (15) também será de céu parcialmente nublado a claro em todo o Estado com pancadas de chuvas no Oeste, Costa Branca e Litoral Leste, segundo a Emparn.

Já a quinta-feira (16) tem previsão de céu parcialmente nublado em todo o Estado com pancadas de chuvas nas regiões Oeste, Vale do Assú e litoral Leste.

Ainda de acordo com a Emparn, a sexta-feira (17) será de céu parcialmente nublado em todo o Estado com pancadas de chuvas em todo o Estado.

O fim de semana deverá ser de céu parcialmente nublado em todo o Estado com pancadas de chuvas em todas as regiões. Há possibilidade de chuvas fortes durante a noite de sábado (18) no setor Leste do Estado. No domingo (19), há possibilidade de chuvas fortes durante a madrugada e na manhã setor Leste do Estado.

Boletim Pluviométrico

O município de São Francisco do Oeste, localizado na mesorregião Oeste Potiguar foi o que registrou o maior volume de chuvas – de sexta (10) às 7h da manhã, até a manhã de segunda-feira (13), às 7h, com 23,7 milímetros. A EMPARN registrou a ocorrência de chuvas em 22 dos 173 postos instalados no estado.

O segundo município com maior volume de chuvas foi Venha Ver, também no Oeste, com 22 mm. A capital potiguar não registrou chuvas.

Alerta: Pedro Avelino esta entre as 49 cidades com risco de chuvas intensas

O Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) aumentou em um grau o nível dos riscos das chuvas em 49 municípios do Rio Grande do Norte, incluindo Natal. O novo alerta foi emitido nesta quinta-feira (9) e é válido até 11h da sexta-feira (10).

O alerta para as 49 cidades está com risco de “perigo”, o terceiro grau numa escala de quatro. Antes, as chuvas no estado eram alertada como de grau 2: perigo potencial. O alerta atual aponta para um acumulado de chuvas.

Segundo o INMET, as chuvas podem atingir de 30 a 60 milímetros por hora ou de 50 a 100 por dia. Dessa forma, o órgão alerta para o risco de “alagamentos, deslizamentos de encostas e transbordamentos de rios em cidades com tais áreas de risco”.

As instruções apontadas pelo Instituto são evitar enfrentar o mau tempo, observar alteração nas encostas e, se possível, desligar aparelhos elétricos e quadro geral de energia. Em caso de situação de inundação, ou similar, proteger os pertences da água envoltos em sacos plásticos. Esse alerta é válido para cidades do Rio Grande do Norte, do Ceará e do Piauí.

Entre esta quarta e quinta-feira, a Empresa de Pesquisas Agropecuárias do RN (EMPARN) registrou chuvas de até 157,7 mm no RN. Apenas em Natal, a Defesa Civil registrou 60 ocorrências nesta quinta-feira (9) entre crateras e alagamentos.

Além do aviso em um grau maior, o Inmet também deu novo alerta de chuvas intensas em outros 91 municípios do estado. O grau de risco é de perigo potencial, a segunda categoria na escala, com chuvas entre 20 e 30 mm/h ou até 50 mm/dia.

Confira as 49 cidades no novo alerta:

• Afonso Bezerra
• Alto do Rodrigues
• Angicos
• Apodi
• Areia Branca
• Açu
• Baraúna
• Bento Fernandes
• Caiçara do Norte
• Caiçara do Rio do Vento
• Carnaubais
• Ceará-Mirim
• Extremoz
• Galinhos
• Governador Dix-Sept Rosado
• Grossos
• Guamaré
• Ielmo Marinho
• Ipanguaçu
• Jandaíra
• Jardim de Angicos
• João Câmara
• Lajes
• Macau
• Macaíba
•Maxaranguape
• Mossoró
• Natal
• Nísia Floresta
• Parazinho
• Parnamirim
• Pedra Grande
• Pedra Preta
Pedro Avelino
• Pendências
• Porto do Mangue
• Poço Branco
• Pureza
• Riachuelo
• Rio do Fogo
• Santa Maria
• Serra do Mel
• São Bento do Norte
• São Gonçalo do Amarante
• São Miguel do Gostoso
• São Pedro
• Taipu
• Tibau
• Touros

Chuva causa alagamentos, abre crateras e altera trânsito em vários pontos da Grande Natal nesta quinta (9)

Defesa Civil emitiu alerta de chuvas intensas na manhã desta quinta. Carro caiu em buraco em Nova Natal, Zona Norte da cidade, e buraco fechado na quarta (8) voltou a se abrir na Zona Sul.

Por Douglas Lemos, G1 RN

09/01/2020 07h48  Atualizado há uma hora


Carro foi engolido por buraco em Nova Cidade, Zona Norte de Natal, após as chuvas desta quinta-feira (9) — Foto: Reprodução/Redes Sociais
Carro foi engolido por buraco em Nova Cidade, Zona Norte de Natal, após as chuvas desta quinta-feira (9) — Foto: Reprodução/Redes Sociais

As chuvas que atingem a Grande Natal desde a madrugada desta quinta-feira (9) causaram alagamentos e abriram crateras em vários pontos da cidade. Na manhã de quinta a Defesa Civil emitiu um alerta de chuvas intensas com alerta de alagamentos para os municípios da região metropolitana da capital potiguar. O trânsito sofreu alterações em vários pontos de Natal segundo a STTU.

Em uma rua do bairro Nova Natal, na Zona Norte da cidade, dois buracos se abriram e um carro chegou a ser engolido. No viaduto do Baldo, que fica no limite entre os bairros do Alecrim e Cidade Alta, na Zona Leste de Natal, alguns carros ficaram presos no alagamento.

Próximo ao viaduto, parte do muro da Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern) caiu. Postes também caíram e a fiação elétrica ficou comprometida. O trânsito está interrompido no local e motoristas que passariam pelo local precisam procurar rotas alternativas.

Imagem aérea mostra ruas que ficam próximas a lagoa de captação, em Cidade da Esperança, totalmente alagadas — Foto: Divulgação/Redes Sociais
Imagem aérea mostra ruas que ficam próximas a lagoa de captação, em Cidade da Esperança, totalmente alagadas — Foto: Divulgação/Redes Sociais

Ruas do bairro Cidade da Esperança, na Zona Oeste de Natal, também ficaram alagadas. A avenida Rio Grande do Norte, que fica próxima a uma lagoa de captação, foi tomada pela água da chuva. Moradores retiravam água das casas na manhã desta quinta.

Na manhã desta quinta uma cratera voltou a se abrir na esquina das ruas Euclides da Cunha e Dr. Júlio de Castilho em Pitimbu, Zona Sul de Natal. Na quarta-feirta (8), o buraco se abriu e assustou alguns moradores que foram orientados pela Defesa Civil a deixar os imóveis.

O buraco tinha sido fechado nesta quarta pela Secretaria Municipal de Obras e Viação (Semov) da Prefeitura de Natal. Em entrevista, um secretário adjunto de obras da Semov definiu o caso como “fatalidade” e prometeu uma solução definitiva em duas semanas.

Em Parnamirim, na Grande Natal, o portão do cemitério público São Sebastião, que fica na avenida Presidente Getúlio Vargas, foi empenado pelas ondas formadas por carros que passavam na rua. O interior do local ficou alagado.

Interior do cemitério público São Sebastião em Parnamirim, na Grande Natal, ficou alagado — Foto: Lucas Cortez/Inter TV Cabugi
Interior do cemitério público São Sebastião em Parnamirim, na Grande Natal, ficou alagado — Foto: Lucas Cortez/Inter TV Cabugi

Trânsito

Trânsito foi interrompido no cruzamento da avenida Afonso Pena e rua Mossoró, no Tirol, Zona Sul de Natal, na manhã desta quinta-feira — Foto: Divulgação/STTU
Trânsito foi interrompido no cruzamento da avenida Afonso Pena e rua Mossoró, no Tirol, Zona Sul de Natal, na manhã desta quinta-feira — Foto: Divulgação/STTU

Segundo a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU), o trânsito teve alteração em vários pontos da cidade. No cruzamento das avenidas Romualdo Galvão e Bernardo Vieira, na Zona Sul de Natal, há um ponto de alagamento transitável.

Na avenida Salgado Filho, na altura do IAP Cursos, há um alagamento transitável com lentidão no trânsito no sentido centro. Já no cruzamento das avenidas Prudente de Morais e Nascimento de Castro, em Lagoa Nova, zona Sul da capital potiguar, há um alagamento que deixa o local intransitável. Motoristas que precisam passar pelos locais devem procurar vias alternativas.

De acordo com a Secretaria, no encontro das avenidas Hermes da Fonseca e Alexandrino de Alencar, Zona Sul da capital potiguar, o fluxo está interrompido no sentido centro. No bairro Tirol, também na Zona Sul, há um ponto de alagamento intransitável na esquina da avenida Afonso Pena e da rua Mossoró.

A STTU também informou que o trânsito está lento na região da Ponte de Igapó, que liga as Zonas Leste e Norte da cidade. A recomendação é que motoristas utilizem a Ponte Newton Navarro para o acesso às Zonas Leste e Sul de Natal.

Por volta das 8h, o semáforo do cruzamento das avenidas Salgado Filho e Bernardo Vieira não funcionava. A situação se repetiu nos cruzamentos da rua Apodi com a avenida Prudente de Morais e também com a rua Campos Sales, no Tirol. Agentes da STTU organizavam o trânsito nos locais.

Inmet

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um alerta de chuvas intensas, com perigo potencial, em 128 municípios do Rio Grande do Norte. O alerta é válido das 10h30 desta quarta-feira (8) até as 9h30 da quinta-feira (9).

Segundo o Inmet, as chuvas terão entre 20 e 30 mm por hora ou até até 50 mm por dia. Além disso, os ventos serão intensos, atingindo de 40 a 60 quilômetros por hora. Na ocasião, o Instituto alertou que havia baixo risco de corte de energia elétrica, queda de galhos de árvores, alagamentos ou descargas elétricas.