Novo exame aponta que empresário que participou de festa no interior do RN e teve resultado de covid-19 confirmado nunca esteve infectado

Uma reviravolta que tem todos os componentes de erro médico deu uma guinada na história do empresário Chagas Neto, de Carnaubais.

No último final de semana de março, ele participou de festa com amigos após ter sido suspeito de contrair covid-19. Chagas teve resultado positivo confirmado pela autoridade médica de Carnaubais no dia seguinte à festa de que participou.

Agora, após novo exame, ele testou negativo.

O novo exame que Chagas Neto fez, e cuja cópia do laudo foi obtida pelo Blog do Dina, aponta que ele não tem anticorpos contra coronavírus.

Se não tem anticorpo, ele nunca teve o vírus.

“Estou procurando meu direito de resposta. Eu fui humilhado em rede nacional. Cometi o erro de ter descumprido decreto, mas fui injustiçado porque me crucificaram como se eu fosse um criminoso e isso não aconteceu”, afirmou Chagas Neto em entrevista ao Blog do Dina.

Desconfiança

Chagas Neto começou a desconfiar que seu exame estava errado porque nenhuma das pessoas com as quais ele teve contato desenvolveu algum sintoma de covid-19.

Além disso, ele narrou resistência da secretaria municipal de saúde em entregar o laudo com o exame dele, para o qual pediu contraprova.

“Na época alegaram que não tinham material para novo exame. Então vim pra Natal e a primeira coisa que procurei fazer aqui foi um novo exame porque estava muito estranho ninguém que teve contato comigo tinha a doença”, explicou.

Em Natal, ele fez um exame de sangue para detecção de anticorpos e testou negativo.

“Sendo que o o que foi positivo foi aqueles que recolhem amostra da saliva. Eu fiz agora o de sangue para detectar os anticorpos e não há anticorpos”, explicou o empresário.

Chagas Neto pretende fazer novo exame para confirmar o negativo e pretende buscar reparação à sua imagem na Justiça.

Informações blog do Dina

MPE protocolou ação de investigação judicial eleitoral contra o prefeito de Carnaubais, Thiago Meira, Rogério Marinho e George Soares

Por G1 RN
 

 

Na ação, o MP Eleitoral aponta a prática de abuso de poder político e conduta vedada em razão de reunião que o prefeito realizou, em prédio público, com servidores vinculados à Prefeitura de Carnaubais, antes e durante a campanha, para beneficiar os então candidatos George Soares e Rogério Marinho.

A assessoria de imprensa do prefeito Thiago Meira disse que as reuniões aconteceram, porém com o intuito de prestar contas sobre o trabalho da administração. Não havia, segundo ele, qualquer cunho eleitoral. “Fotos e informações sobre os encontros podem inclusive ser encontrados nas redes sociais da prefeitura”, alega a assessoria. Além disso, a assessoria frisou que o prefeito está à disposição para prestar qualquer esclarecimento à Justiça, assim como as pessoas que já foram ouvidas. Os deputados Rogério Marinho e George Soares não responderam à reportagem.

Deputado estadual do RN George Soares também é alvo da ação — Foto: João Gilberto/Ascom ALDeputado estadual do RN George Soares também é alvo da ação — Foto: João Gilberto/Ascom AL

Deputado estadual do RN George Soares também é alvo da ação — Foto: João Gilberto/Ascom AL

De acordo com o MP, em agosto, durante a campanha eleitoral, Thiago Meira convocou reunião na Câmara de Vereadores de Carnaubais com servidores da prefeitura, sob o pretexto de realizar uma prestação de contas da sua gestão à frente do Município. “A pauta inicialmente apresentada era apenas uma cortina de fumaça, pois aquele encontro tinha como último e principal objetivo cobrar o apoio dos servidores públicos lá presentes em favor dos candidatos a deputado estadual e deputado federal que o prefeito estava apoiando nas eleições de 2018”, afirma a ação.

Além de vídeo do evento encaminhado ao Ministério Público, ao serem ouvidas pelo promotor Augusto Carlos Rocha de Lima, da Promotoria Eleitoral da 47ª Zona, testemunhas confirmaram que o prefeito utilizou a reunião para pedir voto para os candidatos. “Aquele encontro, realizado em prédio público, que deveria restringir-se a questões administrativas, transformou-se em um verdadeiro, autêntico e sobretudo ato de campanha eleitoral em favor dos citados candidatos, ora investigados”.

Rogério Marinho (PSDB-RN) é deputado federal e foi anunciado como membro da equipe do Governo Federal para 2019 — Foto: Luis Macedo/Câmara dos DeputadosRogério Marinho (PSDB-RN) é deputado federal e foi anunciado como membro da equipe do Governo Federal para 2019 — Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

Rogério Marinho (PSDB-RN) é deputado federal e foi anunciado como membro da equipe do Governo Federal para 2019 — Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

A ação destaca ainda que o fato de a maioria dos presentes na reunião ser composta por servidores com vínculo temporário com a prefeitura (cargos comissionados ou contratados temporariamente) é “sintomático”.“Assim, é logicamente dedutível a pressão implícita resultante da relação funcional existente entre superior e subordinados – a maior parte vinculada ao município por meros contratos temporários – isso para não mencionar o flagrante aproveitamento dessa audiência cativa – convocada pelo prefeito e secretários para a reunião – para a apresentação dos melhores candidatos para o município”.

Se forem condenados, os envolvidos podem ser declarados inelegíveis, ter o diploma cassado mais pagamento de multa.