Biografia do saudoso Padre Antas

Filho de Pedro   Antas  e Cecília Genuína Antas , o garoto Antonio Antas  , nasceu em 10 de março de 1918  e foi batizado no dia 18 de maio do mesmo ano,O sacramento do batismo lhe foi conferido pelo vigário de Angicos, Monsenhor Julio Alves Bezerra,na Capela de Gaspar Lopes.

 Antonio Antas,começou , seus estudos,no colégio Padre Félix, terminados os primeiros anos de estudo ,sendo ele   Membro de uma tradicional família católica, logo cedo despertou a vocação sacerdotal e em 1930 , ingressou no Seminário São Pedro , onde fez o seu curso ginasial.

   Cursou Filosofia e Teologia no seminário de Prainha, em Fortaleza, Foi Tonsurado em 29 de maio de 1938 ,  as primeiras ordens menores em em 26 de abril, as segundas ordens a 03 de  de dezembro de 1939 , ,na igreja do Pequeno Grande  e na capela do seminário. e Foi sub diácono em 29 de março de 1941, estas ordens lhe foram ministradas pelo arcebispo Dom Manuel da Silva Gomes ,Já em Natal ,Dom Marcelino, lhe fez diácono  em 07 de setembro e presbítero em 26 de outubro de 1941. Já no dia seguinte a sua ordenação, celebrou sua primeira missa  na Capela do Seminário São Pedro.  Sua missa solene foi celebrada em 28 de outubro de 1941 em Pedro Avelino, sua terra Natal.

   Sua primeira nomeação  aconteceu no dia 15 de novembro de 1941 ,  Coadjuntor do Cônego Pedro Braulino, em São José do Mipimbú.

   Em 1º de janeiro do ano de 1942 foi nomeado vigário de São Gonçalo, e em dezembro de 1943 , vigário de São Rafael.

  Em 1944 coadjuntor de Angicos, já de 1945 a 1947, foi vigário de Touros e Taipú.  

     Entre os anos de 1947 e 1949, passou por um tratamento de saúde em São Paulo e Belo Horizonte.

    Recebeu convite para ser capelão militar no Rio de Janeiro, no entanto, na ocasião da emancipação política do município, veio ser vigário da nova paróquia.   Sendo nomeado em 17 de abril de 1952.

Foi justamente na sua terra, onde pode desenvolver o seu sacerdócio: cuidando das almas, cuidando da educação do povo e preparando gerações.

    Padre Antas era polivalente: conhecia o latim; o grego; a língua portuguesa; a literatura; a medicina; a música, em todas as dimensões; a mecânica e a pedagogia.

    Em 1959 Pe Antas , através de uma campanha feita junto aos pais de alunos, e com uma mão de obra voluntária, ele construiu um quadra oficial toda de tijolo branco

  Em 1966, celebrando as bodas de prata , recebeu o titulo de CÔNEGO ,isso no mês de outubro

  Sua obra social foi muito abrangente: cuidava da velhice, da infância e da adolescência. Abria espaço para os jovens pobres se projetarem sem cobrar nada, somente pelo seu apostolado.

  Padre Antas, se destacou por várias razões , a vocação religiosa , o talento musical, e principalmente o amor ao próximo, ele foi o grande responsável pela formação de uma grande parte jovens dessa cidade. 

      A sua obra literária é voltada para a poesia. Algumas são musicadas por ele mesmo. Podemos citar : o Caboclo Nordestino, a Casa da Fazenda, o hino ao Bom Jesus dos Navegantes (Touros), o hino a São Paulo, o hino do município .

Muitas de suas composições estão eternizadas nas vozes de Raimundo e Tica Flor, que gravaram um CD, somente com musicas de sua autoria.

 Sua  mais importante  poesia é a ‘Princesa do Sertão’. Essa  joia  foi composta na madrugada do dia 23/12/48, dia da emancipação política do município, e foi oferecida ao grande pai da pobreza: Pedro Alves Bezerra.

Busto em homenagem a Cônego Antas, inaugurado em 1995

 O Eterno Cônego Antonio Antas,  se foi no fatídico  dia 18 de  outubro de 1975 , vitima de um acidente automibilístico,57 anos de idade, e com 34 de vida sacerdotal.

Em sua homenagem temos a praça Cônego Antas, localizada na frente da igreja matriz  e a Escola Municipal Municipal Cônego Antas.

 Com informações de: Marcos Calaça , Jornal informativo do JS, 3ª edição, professor Bosco