Açude Dourado, em Currais Novos, agora tem garantia hídrica até o final de 2019.

 

O açude Dourado, em Currais Novos, Seridó Potiguar, atingiu 30% de sua capacidade após as chuvas que vêm ocorrendo no Rio Grande do Norte. O reservatório estava seco desde novembro de 2017, de acordo com o Instituto de Gestão das Águas do Estado (Igarn), e agora tem garantia hídrica até o final de 2019.

Açude Dourado, em Currais Novos, agora tem garantia hídrica até o final de 2019 — Foto: Anderson de Almeida


A Companhia de Águas e Esgotos do RN (Caern) informou que, diante da retomada da capacidade hídrica do açude, será possível retomar o sistema de captação de água do manancial. A Caern disse ainda que vai voltar a operar no reservatório em um prazo de 15 dias. O Açude Dourado tem capacidade de 10 milhões de m³.

Barragem: Ainda de acordo com a Companhia, o maior reservatório do Rio Grande do Norte, a barragem Armando Ribeiro Gonçalves, também registrou um “significativo aumento” de volume durante o feriado. A barragem fica na mesma região do açude Dourado.

Fonte; G1RN

Açude Mendubim ‘sangra’ e região Oeste potiguar chega a cinco açudes 100% cheios; veja vídeo

Por Anderson Barbosa, G1 RN

 

00:00/00:23
Açude Mendubim sangra no RN

Açude Mendubim sangra no RN

Um dos maiores reservatórios do Oeste potiguar sangrou na madrugada desta quinta-feira (4). O açude Mendubim fica em Assu, e tem capacidade para 76,3 milhões de metros cúbicos de água. O vídeo acima mostra o momento em que a água transborda sobre a parede do açude e também escorre pelo sangradouro. Agora são cinco os reservatórios da região 100% cheios. São eles:

  • Açude Mendubim, em Assu / Capacidade: 76.349.500 m³ / volume atual: 100%.
  • Açude Beldroega, em Paraú / Capacidade: 8.057.520 m³ / volume atual: 100%.
  • Açude Encanto, em Encanto / Capacidade: 5.192.538 m³ / volume atual: 100%.
  • Açude Riacho da Cruz II, em Riacho da Cruz / Capacidade: 9.604.200 m³ / volume atual: 100%.
  • Açude Pataxó, em Ipanguaçu / Capacidade: 15.017.379 m³ / volume atual: 100%.

A sangria do Açude Mendubim é motivo para festa na região. Com as cascatas de água que se formam nas escadarias do sangradouro, o local vira ponto de lazer e já começa a receber muitos visitantes em busca de um banho refrescante.

Açude Mendubim vira ponto de lazer e já começa a receber muitos visitantes — Foto: Jalisson Ferreira/Assú NotíciaAçude Mendubim vira ponto de lazer e já começa a receber muitos visitantes — Foto: Jalisson Ferreira/Assú Notícia

Açude Mendubim vira ponto de lazer e já começa a receber muitos visitantes — Foto: Jalisson Ferreira/Assú Notícia

Escadarias do sangradouro viram piscinas  — Foto: Jalisson Ferreira/Assú NotíciaEscadarias do sangradouro viram piscinas  — Foto: Jalisson Ferreira/Assú Notícia

Escadarias do sangradouro viram piscinas — Foto: Jalisson Ferreira/Assú Notícia

Açude Mendubim fica em Assu, e tem capacidade para 76,3 milhões de metros cúbicos de água — Foto: Sueldo Araújo Açude Mendubim fica em Assu, e tem capacidade para 76,3 milhões de metros cúbicos de água — Foto: Sueldo Araújo

Açude Mendubim fica em Assu, e tem capacidade para 76,3 milhões de metros cúbicos de água — Foto: Sueldo Araújo

A capacidade hídrica total do Rio Grande do Norte é de 4,4 bilhões de metros cúbicos de água. Até esta quarta-feira (3), segundo o Instituto de Gestão das Águas do RN (Igarn), o acumulado nas bacias do estado somavam pouco mais de 1,1 bilhão de metros cúbicos – o que representa 25,67% da capacidade total de armazenamento.

Feita por drone, foto aérea mostra o Açude Mendubim — Foto: Bruno Andrade/BaDroneRNFeita por drone, foto aérea mostra o Açude Mendubim — Foto: Bruno Andrade/BaDroneRN

Feita por drone, foto aérea mostra o Açude Mendubim — Foto: Bruno Andrade/BaDroneRN

Seca histórica

Os últimos sete anos foram castigantes no interior do Rio Grande do Norte. Com chuvas abaixo da média histórica, o estado enfrenta a seca mais severa de todos os tempos. As chuvas que caem desde o início do ano aliviam o sofrimento do sertanejo, mas ainda não são suficientes para reabastecer os grandes reservatórios e os efeitos ainda são preocupantes.

Dos 167 municípios potiguares, 148 estão em situação de emergência por causa da escassez de água – o que representa 88% do estado. Na lavoura e pecuária, por exemplo, os prejuízos somaram R$ 2,5 bilhões em 2018, segundo o governo do estado.