Caixa inicia pagamento do auxílio emergencial extensão

Parcelas de R$ 300 começam a ser pagas a 27 milhões de pessoas

Publicado em 30/09/2020 – 06:57 Por Pedro Rafael Vilela – Repórter da Agência Brasil – Brasília

A Caixa Econômica Federal começa a pagar a partir de hoje (30) o auxílio emergencial extensão (AEE), no valor de R$ 300 (ou R$ 600 para mães de família monoparentais). As informações sobre o calendário de pagamentos foram detalhadas ontem (29) pela Caixa em entrevista coletiva.

Ao todo, cerca de 3,6 milhões de beneficiários nascidos em janeiro terão o benefício creditado hoje na poupança digital da instituição, acessada pelo aplicativo Caixa TEM. Desse total, 1,4 milhão são de pessoas que ainda estão recebendo uma das cinco parcelas do auxílio de R$ 600, enquanto 2,2 milhões já fazem parte do grupo do auxílio residual de R$ 300. Ao todo, de outubro a dezembro, cerca de 27 milhões de beneficiários que se cadastraram por meios digitais ou que integram o Cadastro Único de Programas Sociais (CadÚnico) vão receber o benefício residual de R$ 300.

Veja o calendário completo, de acordo com o mês de nascimento, na tabela a seguir. As parcelas seguintes serão pagas também conforme calendário específico, já informado pela Caixa. 

Calendário de pagamentos – ciclo 3

Datanúmero de beneficiadosmês de nascimento
30 de setembro (quarta-feira)3,6 milhõesjaneiro
05 de outubro (segunda-feira)3,3 milhõesfevereiro
07 de outubro (quarta-feira)3,8 milhõesmarço
09 de outubro (sexta-feira)3,6 milhõesabril
11 de outubro (domingo)3,8 milhõesmaio
14 de outubro (quarta-feira)3,6 milhõesjunho
16 de outubro (sexta-feira)3,6 milhõesjulho
21 de outubro (quarta-feira)3,6 milhõesagosto
25 de outubro (domingo)3,7 milhõessetembro
28 de outubro (quarta-feira)3,6 milhõesoutubro
29 de outubro (quinta-feira)3,5 milhõesnovembro
01 de novembro (domingo)3,5 milhõesdezembro

O beneficiário do auxílio emergencial que pertence ao Bolsa Família, com final de NIS 0, também recebe a nova parcela nesta quarta-feira. Os demais integrantes do programa já receberam o pagamento da primeira parcela de R$ 300 nas últimas semanas e seguirão recebendo as novas parcelas no calendário habitual. 

Até agora, já foram pagos R$ 213,8 bilhões do auxílio emergencial para 67,2 milhões de brasileiros desde abril, quando o programa foi instituído. Esse número vai aumentar um pouco mais porque o governo também confirmou que 492 mil inscritos no programa tiveram o cadastro reavaliado e validado pelo Ministério da Cidadania. Com isso, o total de beneficiários do programa será de 67,7 milhões. Mais de 200 mil cadastros seguem em reavaliação e também poderão ser aprovados e incluídos posteriormente no calendário de pagamentos.

Regras

A extensão do auxílio emergencial começa a ser paga assim que a pessoa tiver recebido a quinta parcela do benefício original, seguindo o cronograma de depósitos e com a data limite de 31 de dezembro. Assim, quem se cadastrou pelo aplicativo ou site do banco e começou a receber o benefício em abril, receberá as nove parcelas, assim como todos os integrantes do Bolsa Família cujo valor do auxílio emergencial é maior que o recebido pelo programa de transferência de renda.

“Quem recebeu a primeira parcela em abril, já recebeu cinco parcelas do auxílio emergencial e são esses que começam a receber a extensão. Eles vão receber quatro parcelas da extensão do auxílio: setembro, outubro, novembro e dezembro. Quem recebeu em maio a primeira, só termina de receber a quinta parcela agora. Então receberá três parcelas da extensão. Assim sucessivamente. Quem está no Bolsa Família receberá nove parcelas, porque segue o calendário habitual do programa”, ressaltou o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, em entrevista.

Covid-19: Anvisa reduz exigências para análise de registro de vacinas

Documentação será analisada em até 20 dias

Publicado em 30/09/2020 – 14:38 Por Luciano Nascimento – Repórter da Agência Brasil – Brasília

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou uma nota técnica para simplificar o procedimento de análise de dados e registro de vacinas contra a covid-19 no país. A nota, reduz exigências para admissão do protocolo dos novos produtos. A proposta, apresentada ontem (29), determina que após a inclusão das informações, a equipe irá analisar documentação em até 20 dias.

O procedimento, chamado de submissão contínua, diz que a análise dos dados referentes aos imunizantes acontecerá na medida em que forem gerados e apresentados à Anvisa os resultados das pesquisas, “visando uma posterior submissão de registro quando do preenchimento dos requerimentos regulatórios necessários”.

“A partir da adoção desse procedimento, não será preciso aguardar a disponibilização de todos os dados e documentos técnicos, bem como o preenchimento dos requerimentos regulatórios, para realizar a submissão do registro junto à Anvisa. Ou seja, conforme os dados forem gerados, estes deverão ser apresentados à Agência, de modo que o processo regulatório seja agilizado”, informou a Anvisa.

De acordo com a agência reguladora, a estratégia tem como objetivo acelerar a disponibilização à população brasileira de vacinas contra o novo coronavírus, desde que garantidas a qualidade, a segurança e a eficácia.

Segundo a nota técnica, o pedido de registro da possível vacina deve ser protocolado com uma justificativa e conter informações sobre o status regulatório mundial, histórico de interações prévias do requerente com a Anvisa e um cronograma de submissão da documentação técnica a ser avaliada.

A cada nova etapa deverá ser feito um aditamento com informações sobre a pesquisa. Caberá à Anvisa analisar a documentação em até 20 dias, “a depender da quantidade de dados submetida, contados a partir da data do protocolo.”

O procedimento será repetido a cada nova submissão de informações. O número de ciclos de aditamentos dependerá do número de pacotes a serem submetidos pela empresa interessada, não havendo limite imposto pela Anvisa para este número.

“Os produtos que tiverem sua análise iniciada pelo procedimento de submissão contínua poderão ter submetido seu pedido de registro formal após a conclusão do último aditamento protocolado e após avaliação pela empresa quanto à suficiência dos dados de qualidade, eficácia e segurança para o estabelecimento de uma relação de benefício-risco positiva e robusta, considerando a indicação terapêutica pleiteada e as discussões prévias com a Anvisa”, diz a nota técnica.

José Adécio consegue manutenção da BR 104 em Pedro Avelino

A pedido de José Adécio, o governo do estado através do departamento de estradas de rodagem (DER), está fazendo a manutenção do trecho da BR 104 que liga o município de Pedro Avelino/RN, A BR 304.

As fotos foram enviadas pelo próprio diretor do  DER, o Sr. Manoel Marques.

CSA, Avaí e Juventude vencem na Série B do Brasileirão

Os alagoanos venceram fora de casa

Publicado em 29/09/2020 – 22:24 Por Rodrigo Ricardo, da Rádio Nacional – Rio de Janeiro

Três partidas abriram a 12ª rodada da Série B do Campeonato no início desta terça (29) à noite. O visitante vencedor foi o CSA, que enfrentou o Vitória em Salvador e ganhou por 1 a 0.

No clássico catarinense entre Avaí e Figueirense, no estádio da Ressacada, melhor para os anfitriões que também venceram por 1 a 0.  Em Caxias do Sul, o Juventude superou por 1 a 0 o Operário-PR.

No Barradão, os alagoanos surpreenderam os donos da casa. Aos 14 minutos do primeiro tempo, Paulo Sergio recebeu livre dentro da área e mesmo desequilibrado, conseguiu marcar o gol da vitória. Foi o terceiro triunfo consecutivo do CSA que chegou a 13 pontos e já respira próximo do meio da tabela.

Em Santa Catarina, o clássico local começou com poucas emoções. Na segunda etapa, o Avaí passou a criar mais, porém, finalizava sem precisão, errando muitos chutes em direção à meta do Figueirense. O jogo caminhava para o empate, quando aos 42 minutos, Gáston Rodriguez acertou o gol. O zagueiro Alemão perdeu a cabeça e foi expulso, por pouco o jogador não agride o árbitro.

No Alfredo Jaconi, o time da casa sofreu, mas também levou a melhor. Aos 18 minutos do segundo tempo, Dalberto recebeu cruzamento pela esquerda e com um toque colocado venceu o goleiro Thiago Braga. O resultado levou provisoriamente os gaúchos ao G-4 com 19 pontos.

Edição: Liliane Farias

Brasil tem, em média, menos de 1 computador para 4 alunos de 15 anos

País é penúltimo em ranking de computador por aluno no Pisa

Publicado em 29/09/2020 – 18:33 Por Mariana Tokarnia – Repórter da Agência Brasil – Rio de Janeiro

No Brasil, há, disponível nas escolas, em média, menos de um computador para cada quatro estudantes de 15 anos. Essa situação coloca o país em penúltimo lugar em um ranking de 78 países e regiões com respostas para esta questão disponíveis no quinto volume de análise dos resultados do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa) 2018, divulgado hoje (29) pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). 

Aplicado a cada três anos, o Pisa avalia o desempenho de estudantes de 15 anos em leitura, matemática e ciências. Além das provas, as escolas respondem a questionários que ajudam a entender melhor a situação de cada país participante. Na última avaliação, de 2018, foram 79 países e regiões. O estudo divulgado nesta terça-feira, Políticas Eficazes, Escolas de Sucesso, é o quinto de seis volumes previstos com análises dos resultados do Pisa.   

De acordo com o relatório, em média, os países da OCDE possuem cerca de um computador por estudante para fins educacionais. Países como Áustria, Islândia, Luxemburgo, Macau (China), Nova Zelândia, Reino Unido e Estados Unidos, possuem até mesmo mais de um computador, chegando a uma média de 1,25 ou mais aparelho por estudante de 15 anos.

Na outra ponta, em países como Albânia, Brasil, Grécia, Kosovo, Montenegro, Marrocos, Turquia e Vietnã, havia apenas um computador ou menos disponível para cada quatro alunos. 

O estudo mostra que a relação entre um melhor desempenho dos estudantes e a disponibilidade de computadores varia. Nem sempre estudantes com maior acesso vão melhor nas provas. Mas, no Brasil, assim como, por exemplo, na Estônia, Cazaquistão, Malásia, Nova Zelândia e Ucrânia, estudantes de escolas com mais computadores pontuaram mais em leitura.

Desigualdades 

Apesar de os resultados serem de 2018, antes da pandemia do novo coronavírus, de acordo com a OCDE, já é possível notar desigualdades entre países, regiões e entre escolas mais ou menos favorecidas economicamente dentro de um mesmo país que podem ter impacto neste período. Em média, entre os países da OCDE, 27% dos estudantes estavam matriculados em escolas cujos diretores relatam que a aprendizagem é prejudicada pela falta de professores e a falta de pessoal. “Aqueles que podiam, continuaram ensinando e aprendendo online; aqueles que não tinham computadores ou acesso à internet tiveram mais dificuldade”, diz o texto. 

Segundo o relatório, garantir que todas as escolas tenham recursos adequados e de alta qualidade, e o apoio apropriado, é fundamental para que os alunos de todas as origens tenham oportunidades iguais de aprender e ter sucesso na escola.

Os resultados mostram que, em casa, assim como na escola, o ambiente de estudos nem sempre favorece a aprendizagem. Em média, entre os países da OCDE, 9% dos estudantes de 15 anos não têm um lugar silencioso para estudar. Essas porcentagens variam entre os países. Na Indonésia, Filipinas e Tailândia, por exemplo, mais de 30% dos alunos não têm um local para estudar.

O estudo remoto, que passou a ser amplamente difundido por conta do fechamento das escolas devido a pandemia, requer também, muitas vezes, um computador. O relatório mostra que, enquanto na Áustria, Dinamarca, Islândia, Lituânia, Holanda, Noruega, Polônia, Eslovênia e Suíça, mais 95% dos alunos relataram que têm um computador em casa para usar nos trabalhos escolares, essa porcentagem é 34% entre os alunos na Indonésia. 

Já a conexão da Internet varia entre estudantes com maiores vantagens e desvantagens econômicas. Essas porcentagens chegam, no México, por exemplo, a 94% dos estudantes com maiores vantagens econômicas com acesso a internet contra apenas 29% daqueles economicamente em desvantagem. 

Pisa 2018

O Pisa 2018 foi aplicado em 79 países e regiões a 600 mil estudantes de 15 anos. No Brasil, cerca de 10,7 mil estudantes de 638 escolas fizeram as provas. O Brasil teve uma leve melhora nas pontuações de leitura, matemática e ciências, mas apenas dois a cada 100 estudantes atingiram os melhores desempenhos em pelo menos uma das disciplinas avaliadas

O desempenho na avaliação posicionou o Brasil no 57ª lugar entre os 77 países e regiões com notas disponíveis em leitura, na 70ª posição em matemática e na 64º posição em ciências, junto com Peru e Argentina, em um ranking com 78 países. China e Singapura lideram os rankings das três disciplinas. O Brasil, nos três, fica atrás de países latino americanos como Costa Rica, Chile e México. Supera, no entanto, Colômbia e Peru em leitura e a Argentina em leitura e matemática. 

Câmara aprova crédito de R$ 20 bilhões para empresas na pandemia

Matéria segue para o Senado e precisa ser votada até quinta-feira (1º)

Publicado em 29/09/2020 – 20:03 Por Heloisa Cristaldo – Repórter da Agência Brasil – Brasília

A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (29) a Medida Provisória (MP) 977/20, que abre crédito extraordinário de R$ 20 bilhões para concessão de garantia da União a empréstimos feitos pelos bancos a empresas com receita bruta entre R$ 360 mil e R$ 300 milhões. 

A matéria segue para o Senado e precisa ser votada até quinta-feira (1º) para não perder a validade. O texto foi aprovado da forma como foi editada pelo governo em junho, sem modificações. 

“Em razão do ambiente de incertezas, os modelos de riscos adotados pelas instituições financeiras não são suficientemente precisos na previsão de taxas de inadimplência nesses próximos meses, levando a posturas conservadoras na concessão de crédito, especialmente para empresas de menor porte, devido à ausência de histórico de crédito, maior risco e custo transacional mais elevado”, justificou o governo, ao publicar a MP.

Além das pequenas e médias empresas, poderão ter acesso ao empréstimo com garantia também as associações, as fundações de direito privado e as sociedades cooperativas, exceto as de crédito.

Os recursos são oriundos da emissão de títulos públicos e reforçará o Fundo Garantidor para Investimentos (FGI), gerenciado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Prorrogação de IPI

Os parlamentares também aprovaram a Medida Provisória (MP) 987/20, que prorroga o prazo para empresas automotivas instaladas nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste apresentarem projetos de novos produtos para contarem com crédito do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). A matéria segue para o Senado.

O texto define o prazo em 31 de outubro de 2020. Inicialmente, o texto editado pelo governo prorrogava o prazo de 30 de junho até 31 de agosto deste ano. A estimativa da renúncia fiscal com a mudança é de R$ 150 milhões.

O crédito poderá ser usado para descontar o valor a pagar a título de PIS e Cofins em vendas realizadas entre 1º de janeiro de 2021 e 31 de dezembro de 2025. Durante esse período, as empresas precisam respeitar patamares mínimos de investimentos em pesquisa, desenvolvimento e inovação tecnológica na região.

A proposta aprovada prevê a cobrança de Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro, e Relativas a Títulos e Valores Mobiliários (IOF), entre 2021 e 2025, sobre as operações de crédito realizadas com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) como compensação à renúncia fiscal com a prorrogação dessa isenção. 

Caixa detalha calendário de pagamentos do auxílio emergencial extensão

Beneficiários começam a receber parcelas de R$ 300 a partir do dia 30

Publicado em 29/09/2020 – 18:27 Por Pedro Rafael Vilela – Repórter da Agência Brasil – Brasília
Atualizado em 29/09/2020 – 19:01

A Caixa Econômica Federal começa a pagar a partir desta quarta-feira (30) os beneficiários do auxílio emergencial extensão (AEE) no valor de R$ 300 (ou R$ 600 para mães de família monoparentais). As informações sobre o calendário de pagamentos foram detalhadas pelo presidente do banco público, Pedro Guimarães, em coletiva de imprensa, na tarde desta terça-feira (29), no Palácio do Planalto. 

Dando sequência ao mecanismo de pagamentos do benefício anterior, os beneficiários receberão as novas parcelas ao auxílio extensão ao longo de quatro ciclos de crédito. Ao todo, eles somam 43,2 milhões e são aquelas que pessoas que se cadastram pelo aplicativo ou estavam inscritos o Cadastro Único de programas sociais do governo federal (CadÚnico).

O beneficiários do auxílio emergencial que pertencem ao Bolsa Família vão receber no calendário habitual, que já começou a ser pago no último dia 17 e seguirá até amanhã (30), contemplando um público de cerca de 16 milhões de famílias

Até agora, já foram pagos R$ 213,8 bilhões do auxílio emergencial para 67,2 milhões de brasileiros, desde abril, quando o programa foi instituído. Esse número vai aumentar um pouco mais porque o governo também confirmou hoje que 492 mil inscritos no programa tiveram o cadastro reavaliado e validado pelo Ministério da Cidadania. Com isso, o total de beneficiários do programa será de 67,7 milhões. Outros mais de 200 mil cadastros seguem em reavaliação e também poderão ser aprovados e incluídos posteriormente no calendário de pagamentos.

“Neste novo ciclo que começa amanhã, o ciclo 3, são 16,2 milhões que continuam recebendo o auxílio emergencial e 27 milhões que irão receber o auxílio emergencial extensão, totalizando 43,2 milhões de pessoas”, afirmou Pedro Guimarães. Segundo ele, quem teve o cadastro aprovado em abril, terá direito a até quatro parcelas do auxílio emergencial extensão. Quem recebeu a partir dos meses seguintes, receberá até três parcelas do novo auxílio.

“Quem recebeu, em abril, a primeira parcela, estes já receberam as cinco parcelas do auxílio emergencial, e e são esses que começarão a receber, agora, o auxílio extensão, e vão receber as quatro parcelas do auxílio extensão: setembro, outubro, novembro e dezembro. Quem recebeu em maio só irá terminar de receber a quinta parcela agora, no próximo ciclo, então receberão três parcelas do auxílio extensão. E assim por diante”.

Além disso, segundo presidente da Caixa, houve uma redução no número de pessoas que receberam o auxílio emergencial na primeira fase e os que receberão agora pelo programa residual. No auxílio emergencial de R$ 600, cerca de 31 milhões de beneficiários que se inscreveram pelo aplicativo estão recebendo os pagamentos, mas agora esse número baixou para cerca de 27 milhões. “Foi realizada mais uma análise, algumas pessoas já voltaram a trabalhar, então há uma redução e algumas pessoas voltaram a trabalhar e não têm mais direito ao auxílio”, disse Guimarães.

O benefício foi criado em abril deste ano e estendido até 31 de dezembro por meio da Medida Provisória (MP) nº 1000.

Calendário por ciclos

O calendário do ciclo 3 começa nesta quarta-feira (30) apenas para quem nasceu em janeiro. Ao todo, serão 12 datas de pagamento que se estendem até o dia 1º de dezembro. Neste caso, o dinheiro estará disponível apenas na poupança digital, e pode ser movimentado para para o pagamento de contas e compras online, por meio do aplicativo Caixa TEM. 

Calendário de pagamentos – ciclo 3

Datanúmero de beneficiadosmês de nascimento
30 de setembro (quarta-feira)3,6 milhõesjaneiro
05 de outubro (segunda-feira)3,3 milhõesfevereiro
07 de outubro (quarta-feira)3,8 milhõesmarço
09 de outubro (sexta-feira)3,6 milhõesabril
11 de outubro (domingo)3,8 milhõesmaio
14 de outubro (quarta-feira)3,6 milhõesjunho
16 de outubro (sexta-feira)3,6 milhõesjulho
21 de outubro (quarta-feira)3,6 milhõesagosto
25 de outubro (domingo)3,7 milhõessetembro
28 de outubro (quarta-feira)3,6 milhõesoutubro
29 de outubro (quinta-feira)3,5 milhõesnovembro
01 de novembro (domingo)3,5 milhõesdezembro

Em seguida, o governo inicia o pagamento do ciclo 4, em que 8,1 milhões recebem parcelas do auxílio emergencial de R$ 600 e 35,1 milhões recebem o auxílio extensão de R$ 300 que recebem o AEE. O calendário de pagamentos desta etapa vai do dia 30 de outubro (nascidos em janeiro) até o dia 20 de novembro (nascidos em dezembro), também para movimentação exclusiva na conta digital. Veja:

Calendário de pagamentos – ciclo 4

Datanúmero de beneficiadosmês de nascimento
30 de outubro (sexta-feira)3,6 milhõesjaneiro
04 de novembro (quarta-feira)3,3 milhõesfevereiro
05 de novembro (quinta-feira)3,8 milhõesmarço
06 de novembro (sexta-feira)3,6 milhõesabril
08 de novembro (domingo)3,8 milhõesmaio
11 de novembro (quarta-feira)3,6 milhõesjunho
12 de novembro (quinta-feira)3,6 milhõesjulho
13 de novembro (sexta-feira)3,6 milhõesagosto
15 de novembro (domingo)3,7 milhõessetembro
16 de novembro (segunda-feira)3,6 milhõesoutubro
18 de novembro (quarta-feira)3,5 milhõesnovembro
20 de novembro (sexta-feira)3,5 milhõesdezembro

Os calendário de crédito em poupança digital prossegue no ciclo 5, que começa a partir do dia 22 de novembro (nascidos em janeiro) e vai até 12 de dezembro (nascidos em dezembro). O último ciclo de pagamentos (ciclo 6) começa em 13 de dezembro (nascidos em janeiro) e vai até o dia 29/dezembro (nascidos em dezembro). Veja nas  tabelas:

Calendário de pagamentos – ciclo 5

Datanúmero de beneficiadosmês de nascimento
22 de novembro (domingo)3,6 milhõesjaneiro
23 de novembro (segunda-feira)3,3 milhõesfevereiro
25 de novembro (quarta-feira)3,8 milhõesmarço
27 de novembro (sexta-feira)3,6 milhõesabril
29 de novembro (domingo)3,8 milhõesmaio
30 de novembro (segunda-feira)3,6 milhõesjunho
02 de dezembro (quarta-feira)3,6 milhõesjulho
04 de dezembro (sexta-feira)3,6 milhõesagosto
06 de dezembro (domingo)3,7 milhõessetembro
09 de dezembro (quarta-feira)3,6 milhõesoutubro
11 de dezembro (sexta-feira)3,5 milhõesnovembro
12 de dezembro (sábado)3,5 milhõesdezembro

Calendário de pagamentos – ciclo 6

Datanúmero de beneficiadosmês de nascimento
13 de dezembro (domingo)6,9 milhõesjaneiro/fevereiro
14 de dezembro (segunda-feira)3,8 milhõesmarço
16 de dezembro (sábado)3,6 milhõesabril
17 de dezembro (quinta-feira)3,8 milhõesmaio
18 de dezembro (sexta-feira)3,6 milhõesjulho
20 de dezembro (domingo)7,2 milhõesjulho/agosto
21 de dezembro (segunda-feira)3,7 milhõessetembro
23 de dezembro (quarta-feira)3,6 milhõesoutubro
28 de dezembro (segunda-feira)3,5 milhõesnovembro
29 de dezembro (terça-feira)3,5 milhõesdezembro

Calendário para saques e transferências

Para o beneficiário que optar pelo saque em dinheiro ou transferência bancária, o governo elaborou um calendário específico, que começa do dia 7 de novembro (nascidos em janeiro) e vai até 5 de dezembro (nascidos em dezembro), válidos para os ciclos 3 e 4. Confira:

Ciclo de saque 3 e 4

Datanúmero de beneficiadosmês de nascimento
07 de novembro (sábado)6,9 milhõesjaneiro/fevereiro
14 de novembro (sábado)3,8 milhõesmarço
21 de novembro (sábado)7,4 milhõesabril/maio
24 de novembro (terça-feira)3,6 milhõesjunho
26 de novembro (quinta-feira)3,6 milhõesjulho
28 de novembro (quinta-feira)7,3 milhõesagosto/setembro
01 de dezembro (terça-feira)3,6 milhõesoutubro
05 de dezembro (sábado)7,0 milhõesnovembro/dezembro

Já no caso dos dois últimos ciclos (5 e 6), o calendário inicia-se a partir do dia 19 de dezembro (nascidos em janeiro) e vai até 27 de janeiro de 2021 (nascidos em dezembro). Veja na tabela abaixo:

Ciclo de saque 5 e 6

Datanúmero de beneficiadosmês de nascimento
19 de dezembro de 2020 (sábado)6,9 milhõesjaneiro/fevereiro
04 de janeiro de 2021 (segunda-feira)3,8 milhõesmarço
06 de janeiro de 2021 (quarta-feira)3,6 milhõesabril
11 de janeiro de 2021 (segunda-feira)3,8 milhõesmaio
13 de janeiro de 2021 (quarta-feira)3,6 milhõesjunho
15 de janeiro de 2021 (sexta-feira)3,6 milhõesjulho
18 de janeiro de 2021 (segunda-feira)3,6 milhõesagosto
20 de janeiro de 2021 (quarta-feira)3,7 milhõessetembro
22 de janeiro de 2021 (sexta-feira)3,6 milhõesoutubro
25 de janeiro de 2021 (segunda-feira)3,5 milhõesnovembro
27 de janeiro de 2021 (quarta-feira)3,5 milhõesdezembro

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

TRE emite nota sobre as aglomerações em ato de campanha política no RN

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE-RN) emitiu uma nota sobre aglomerações em atos da campanha eleitoral, após diversos registros em municípios potiguares. O órgão disse que cabe aos Poderes Executivos estadual e municipal a definição e fiscalização de regras sanitárias, conforme reconhece o Supremo Tribunal Federal (STF).
A nota diz ainda que a Justiça Eleitoral apresentou o Plano de Segurança Sanitária para as Eleições Municipais de 2020 e reforça a recomendação para que as medidas sejam colocadas em prática.

Confira a nota na íntegra:

NOTA À IMPRENSA

A respeito das imagens de registros de aglomerações em atos da campanha eleitoral em municípios potiguares, o Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE-RN) esclarece que:

1. Conforme reconhece o Supremo Tribunal Federal, os Poderes Executivos estadual e municipal têm autonomia e dever de definir, e principalmente, de fiscalizar, o cumprimento das regras sanitárias estabelecidas por cada ente;

2. A Justiça Eleitoral está dando sua contribuição, a título de recomendação, ao apresentar à sociedade o Plano de Segurança Sanitária para as Eleições Municipais de 2020, cujo objetivo é definir as medidas de proteção à saúde pública a serem implementadas durante a campanha eleitoral e as eleições municipais de novembro, no contexto da pandemia da COVID-19, e está à disposição para consulta pública no portal do TSE;

3. No último sábado (26), véspera da largada da campanha eleitoral, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Luís Roberto Barroso, fez pronunciamento em rede nacional de rádio e televisão em que reforçou as recomendações da Justiça Eleitoral para o período de campanha.

Apesar de o dever de fiscalizar as infrações de biossegurança – nas regras atualmente em vigor – não ser da Justiça Eleitoral, o TRE-RN reforça as recomendações mencionadas e expressa preocupação e profunda consternação com as imagens divulgadas, orientando candidatos e partidos políticos para que se adequem às normas sanitárias, e solicitando ao Poder Executivo que tome as medidas cabíveis e de sua competência no que se refere à fiscalização do cumprimento de tais normas.

Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE-RN).

Fluminense goleia Coritiba e encosta no G4

Tricolor espanta má fase e aproveita fragilidade do adversário

Publicado em 28/09/2020 – 22:12 Por Maurício Costa – Repórter da Rádio Nacional – Rio de Janeiro

Em noite de estreia de terceiro uniforme, o Fluminense espantou a má fase, goleou o Coritiba por 4 a 0, nesta segunda (28) no estádio Nilton Santos, e encostou no G4 do Campeonato Brasileiro. Com a vitória, o Tricolor chegou a 17 pontos, na 7ª posição. O Coritiba permanece com 11 pontos, na 16ª colocação.

Fragilidade do Coritiba, Intensidade do Tricolor

O Fluminense começou a todo vapor e abriu o placar logo aos 7 minutos. Wellington Silva tocou para Michel Araújo. O camisa 15 acertou um foguete de perna esquerda, no ângulo do goleiro Wilson e fez um golaço. Foi o primeiro gol do uruguaio em partidas oficiais pelo Fluminense, justamente no dia de seu aniversário de 24 anos.

Aos 13 minutos, o Tricolor quase ampliou. Escanteio cobrado pela esquerda e Nino cabeceou, livre, à direita do gol do Coritiba. Quatro minutos depois, Wellington Silva arriscou de fora da área e obrigou Wilson a fazer boa defesa em dois tempos.

Depois da blitz tricolor, o Coritiba começou a assustar. Aos 29 minutos, Matheus Bueno chutou de perna esquerda no cantinho de Muriel, que espalmou para escanteio. A chance do empate veio aos 41 minutos. Robson recebeu cruzamento da esquerda e, na cara do gol, chutou para fora.

O Coritiba voltou melhor no segundo tempo e quase empatou aos 9 minutos, novamente com Robson. O camisa 30 arriscou de fora da área e a bola explodiu na trave esquerda de Muriel. No pior momento do Fluminense na partida, o Tricolor ampliou.

Igor Julião lançou Felippe Cardoso, que havia acabado de entrar no lugar de Fred. O atacante dominou, driblou Wilson e rolou para marcar o segundo. O Coritiba sentiu e o Fluminense aproveitou.

O terceiro gol saiu de bola parada, aos 26 minutos. Nenê cobrou falta da intermediária pela direita, Matheus Ferraz escorou para trás e Nino, sozinho na pequena área, completou para o gol. A equipe visitante quase diminuiu aos 33 minutos, novamente com Robson. Ele tentou de cobertura de fora da área e a bola bateu no travessão tricolor.

A resposta do Fluminense foi com mais um gol. Em contra-ataque puxado por Dodi, Natanael derrubou o volante dentro da área, cometeu pênalti, e recebeu cartão vermelho. Ganso foi para cobrança e fez o quarto, aos 41 minutos, para fechar a goleada.

Na próxima rodada, o Fluminense enfrenta o Botafogo, domingo (4) às 11h no estádio Nilton Santos. O Coritiba recebe o São Paulo, no mesmo dia às 16h no Couto Pereira.

Veja a classificação atualizada da Série A do Brasileiro.

Prova de vida de servidores aposentados é suspensa até 31 de outubro

Quem teve benefício suspenso pode pedir para restabelecer pagamento

Publicado em 28/09/2020 – 15:20 Por Wellton Máximo – Repórter da Agência Brasil – Brasília

Os servidores federais aposentados, pensionistas e anistiados políticos civis não precisarão fazer a prova de vida anual (recadastramento) até 31 de outubro. O prazo, que acabaria na próxima quarta-feira (30), foi prorrogado por instrução normativa publicada hoje (28) no Diário Oficial da União.

Segundo a Secretaria de Gestão e Desempenho de Pessoal do Ministério da Economia, o adiamento teve como objetivo reduzir a possibilidade de contágio dos beneficiários pelo novo coronavírus. De acordo com a pasta, a medida foi necessária porque a maioria desses servidores são idosos e integram o grupo de risco para a covid-19.

A prova de vida dos servidores federais está suspensa desde 18 de março. Inicialmente, o recadastramento tinha sido suspenso por 120 dias, até 16 de julho. O prazo tinha sido estendido para 30 de setembro por outra instrução normativa.

Os beneficiários que excepcionalmente tiveram o pagamento das aposentadorias e pensões suspensos antes de 18 e março podem pedir o restabelecimento do benefício. Basta acessar o Sistema de Gestão de Pessoas(Sigepe) e pedir, no campo “Requerimento”, o documento “Restabelecimento de Pagamento – Covid-19”. O servidor receberá um comunicado do deferimento ou não do seu requerimento por e-mail enviado automaticamente pelo Sigepe.

A Secretaria de Gestão e Desempenho de Pessoal estabelecerá posteriormente o prazo e a forma para realização da comprovação de vida dos servidores contemplados na suspensão da prova de vida anual, assim como dos que tiveram o pagamento excepcionalmente restabelecido por solicitação via Requerimento do Sigepe. A partir da confirmação do deferimento, caberá à Unidade de Gestão de Pessoas de cada órgão restabelecer o pagamento, obedecendo ao cronograma mensal da folha.

Mais informações estão disponíveis no Portal do Servidor.