Valeixo diz que Bolsonaro queria trocá-lo por alguém com “mais afinidade

Declarações do ex-diretor-geral da Polícia Federal complicam a situação do presidente Jair Bolsonaro no inquérito aberto pelo Supremo para investigar as declarações de Moro


RS Renato Souza postado em 11/05/2020 16:31 / atualizado em 11/05/2020 19:42

(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)

O delegado Maurício Valeixo, ex-diretor-geral da Polícia Federal, afirmou que o presidente Jair Bolsonaro queria tirá-lo do comando da corporação para colocar no lugar alguém com quem ele tivesse “mais afinidade”. Em depoimento à PF nesta segunda-feira (11/5), ao qual o Correio teve acesso, Valeixo declarou que o chefe do Executivo não apresentou motivos técnicos para fazer a troca.

depoimento durou quase sete horas. Valeixo foi ouvido por dois delegados e três procuradores. Ele confirmou que não pediu demissão, o que complica a situação do presidente Jair Bolsonaro, acusado por Sergio Moro de tentar interferir na PF.

O presidente afirmou que Valeixo tinha pedido a exoneração e essa informação chegou a ser publicada no Diário Oficial da União. Além de Valeixo, que foi ouvido em Curitiba, prestam depoimento também, mas em Brasília, os delegados Ricardo Saadi, ex-superintendente do Rio; e Alexandre Ramagem, que é próximo da família Bolsonaro e chegou a ser nomeado para o comando da corporação, mas que teve a posse barrada por decisão do ministro Alexandre de Morares, do Supremo Tribunal Federal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *