Paciente morreu 6 dias após apresentar os primeiros sintomas de coronavírus

Homem de 62 anos foi a primeira vitima fatal da doença no país

17.mar.2020 às 15h08 Alana Ambrosio

O primeiro paciente morto por coronavírus no Brasil faleceu em São Paulo seis dias após sentir os primeiros sintomas da doença. Segundo o Governo do Estado, o homem de 62 anos começou a se sentir mal no último dia 10 de março, foi internado no dia 14 e morreu na última segunda-feira (16),

Ele estava sendo tratado no Hospital Sancta Maggiore, no Paraíso (Centro), da rede Prevent Senior, e apresentava outras doenças crônicas pré-existentes, como hipertensão e diabetes. A vítima não havia viajado para o exterior, confirmando a contaminação comunitária.

Outras quatro mortes na rede de hospitais da Prevent Senior estão sendo investigadas como suspeitas de coronavírus.

Pacientes com coronavírus internados em UTI de hospital da Lombardia, na Itália – Piero Cruciatti/AFP

David Uip, coordenador do centro de contingência do coronavírus de São Paulo, afirmou que já eram esperadas mortes e que o ocorrido não muda a forma de combate à pandemia: “O óbito não muda a postura. Temos que trabalhar com os dados, foi uma evolução rápida. Isso já nos diz muito para tratar a doença.”

Cerca de 5% dos infectados com o vírus apresentam quadro de saúde grave, conforme números preliminares passados em coletiva de imprensa nesta terça-feira. A comitiva considera a pandemia no Brasil desde a última sexta-feira (13).

Com os casos confirmados de covid-19, as equipes de saúde estão tendo novas informações sobre o vírus: ainda conforme Uip, o tempo de encubação varia de três a oito dias. Por isso será sugerida para o Ministério da Saúde a redução de quatorze para dez dias o tempo de quarentena para quem apresentar suspeita da doença.

Cerca de 80% dos infectados não precisam de atendimento hospitalar, enquanto 20% dos quadros necessitam de terapia intensiva como consequência da dificuldade respiratória.

O Governo de São Paulo já adotou medidas para tentar conter a doença. Como a suspensão gradual e por tempo indeterminado das aulas na rede de ensino pública e particular e o fechamento de museus, teatros, bibliotecas. Além disso, os funcionários públicos estaduais com mais de 60 anos, com exceção dos que atuam nas áreas de segurança pública e saúde, deverão trabalhar de casa.

Fonte: São Paulo Agora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *