Pentacampeão do mundo, Denilson diz o que Flamengo precisa fazer para vencer o River na Libertadores

Ídolo do Real Bétis e com passagens marcantes por São Paulo e Palmeiras, Denilson diz para o time carioca não cair na provocação dos argentinos

EFE

Campeão mundial pela seleção brasileira em 2002, o ex-atacante Denilson alertou o Flamengo nesta quinta-feira para o risco de se deixar abalar psicologicamente durante a final da Taça Libertadores contra o River Plate, no próximo dia 23, e disse considerar o Rubro-Negro melhor na parte técnica.

“O Flamengo não pode cair na provocação. Se cair na provocação dos argentinos, perde o jogo. Quanto à qualidade com a bola, o Flamengo está um pouco à frente”, afirmou o ex-jogador em entrevista à Agência Efe em São Paulo.

Atualmente comentarista de televisão e embaixador do Campeonato Espanhol, Denilson teve passagem rápida pelo Fla em 2000, emprestado pelo Betis, do qual é ídolo até hoje.

“O River é um time que joga muito parecido com o Flamengo, mas tem uma diferença: a garra característica dos clubes da Argentina. Os argentinos gostam de falar muito durante os jogos, deixar os jogos muito brigados, com e sem a bola”, comentou o ex-atleta, que ficou conhecido como ‘Denilson Show’ devido aos dribles.

O time dirigido pelo português Jorge Jesus não perde desde 4 de agosto, quando foi derrotado pelo Bahia por 3 a 0. Desde então, foram 17 vitórias e quatro empates, o que, além de levá-lo à decisão da Libertadores pela segunda vez na história, a primeira desde o título de 1981, o levou à liderança do Campeonato Brasileiro com oito pontos de diferença para o segundo colocado.

“É uma sequência muito positiva, com muitas vitórias e um bom futebol. Tem times que vencem jogos e os torcedores não ficam satisfeitos, mas no caso do Flamengo é um futebol rápido, com qualidade e muitos gols”, elogiou.

Do elenco estrelado à disposição de Jesus, Denilson destacou o atacante Gabriel Barbosa, o Gabigol, artilheiro do Brasileirão, com 20 gols, e da Libertadores, com sete. O centroavante não conseguiu deslanchar na Europa, onde defendeu Inter de Milão e Benfica, mas tem ido bem no Brasil desde o ano passado, quando voltou ao Santos.

“Teve a oportunidade de jogar na Europa e não triunfou, e aqui há dois anos é o maior goleador da temporada”, enalteceu o comentarista, para depois mencionar o também atacante Bruno Henrique.

“É outro jogador que certamente dentro de pouco tempo jogará fora do país, porque é jovem e tem vontade de crescer”, comentou sobre o atacante de 28 anos, que defendeu o Wolfsburg, da Alemanha, de 2015 a 2017.

Denilson expressou admiração também por Jorge Jesus, que assumiu o campeão intercontinental de 1981 em um momento difícil e com parte da torcida irritada com o antecessor, Abel Braga.

“Quando um time começa a vencer jogos, traz a torcida para o seu lado, e é isso que aconteceu. Os torcedores falam muito bem do seu trabalho e com razão, porque o Flamengo vem jogando muito bem”, declarou.

Crédito: Fábio Guinalz/ Fotoarena

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *