Divaneide Basílio tomará posse no próximo dia (01) como vereadora de Natal

Divaneide Basílio: a nova vereadora do PT em 2019 é negra, cristã e da periferia

 

A Câmara Municipal de Natal está prestes a receber uma vereadora negra, militante da juventude, cristã e, em breve, doutora. Em 2019, a socióloga Divaneide Basílio substituirá a vereadora Natália Bonavides, eleita deputada federal. Diva, como também é conhecida, recebeu 2.236 votos em 2016 e ficou na primeira suplência do Partido dos Trabalhadores, do qual é secretária estadual de mulheres.

O desejo da futura vereadora é construir um mandato participativo, com caráter fiscalizador e muitas proposições.

Filha de trabalhadores rurais, nascida no município de Pedro Avelino, mudou-se para Natal aos quatro anos de idade. Na capital, o pai virou operário – “um caminho comum a quem sai do sertão”, diz ela.

Aos sete se mudou para o conjunto Santa Catarina, onde vive até hoje, na mesma casa que a viu crescer. Agora, com companheiro Luciano e os filhos, mas preservando costumes antigos como o de colocar cadeiras na calçada para conversar com a família e a vizinhança.

Maternidade

Para Divaneide, cada um dos quatro filhos trouxe uma nova bandeira de luta a sua vida. Primeiro foi mãe solo de Gabi, hoje com nove anos e adotada pelo companheiro Luciano. A segunda filha, Maria Rita, faleceu durante o parto. O terceiro é José, adotado pelo casal e que levou Divaneide a conhecer melhor e colaborar com o projeto Acalanto. E o caçula, Mateus, tem síndrome de down.

Além disso, a gravidez de Mateus foi de alto risco devido à trombofilia, acarretada pela anemia falciforme, que é própria da comunidade negra.

“Minhas lutas sempre existiram, mas é lógico que a chegada do meu filho me ensinou muito mais, me trouxe muito mais pra perto de outras minorias que eu conhecia, mas não sabia exatamente o que acontece, o que as mães passam. A gente está numa maratona de descobertas, estímulos, emoções”.

Trajetória política

A trajetória política de Divaneide Basílio começou quando era criança, nos movimentos culturais e comunitários do bairro Santa Catarina e da Igreja Católica na Paróquia Santa Maria Mãe, zona Norte de Natal.

Diva tem 40 anos e está no PT há 22, em uma trajetória que descreve como sendo de “diálogo e posicionamento”. Ela diz que começou a entender como a sociedade se divide de forma desigual ainda menina, participando de grupos da igreja que têm viés espiritual, mas também político. Lá aprendeu ainda a assumir liderança e a se comunicar melhor.

Ao se filiar no partido, participou de uma escola de formação de liderança juvenil no México, representando tanto o PT e como a Pastoral de Juventude do Meio Popular (PJMP). Na volta, circulou o Nordeste junto com Rildo Veras em um movimento de articulação que originou a Rede de Jovens do Nordeste.

Nessa Rede teve a oportunidade de promover campanhas de políticas públicas para a juventude, que envolveram principalmente primeiro emprego, protagonismo juvenil e acesso à educação.

“A gente queria falar de protagonismo coletivo, da história de luta da juventude. Retomar o que foi a juventude no passado, que era muito ligada a movimentos estudantis, e dizer que tínhamos novas bandeiras, como a juventude rural. Não se discutia muito o ser jovem”, explicou como o assunto se tornou tema de sua própria identidade, militância e estudo, desde a monografia de sua graduação em Ciências Sociais até a tese que conclui no final de 2018 para o doutorado, que aborda também gênero e comunidade rural.

Foto: Vlademir Alexandre

Naquela época, em paralelo à Rede, começou a atuar na Escola de Formação dos Quilombos dos Palmares, de onde hoje é sócia. Trata-se de uma ONG que busca fortalecer os movimentos sociais da região Nordeste.

“Esse processo formativo foi e é muito importante pra mim. E é o que nos forjou na luta”, ressalta, ao lembrar de um encontro com o padre Sabino Gentille, em que ele falou sobre trabalhar por uma sociedade mais justa.

“Perguntaram no final de uma dessas rodas de formação qual seria a oração para encerramento do encontro e ele disse ‘nós já passamos o dia em oração’. Aí a gente se tocou que aquele pensar a ação social era de fato a materialização da nossa ação de fé, que só tem sentido com o gesto concreto. E isso segue conosco até hoje”.

Entrou no Conselho Nacional de Juventude e participou, em 1999, da Conferência das Nações Unidas. Com feministas de todo o país, participou do Fórum do Cone Sul de Mulheres Jovens Políticas, apelidado de Forito e ligado à Fundação Friedrich Ebert.

Em um projeto coletivo de candidaturas jovens, foi lançada candidata a vereadora em Natal, em 2004, tendo recebido pouco mais de 1.500 votos. Algumas contemporâneas do Forito são a vereadora belo-horizontina eleita deputada federal Áurea Corlina (PSOL) e Severine Macedo, que foi secretária nacional da Juventude do Governo Lula. Nessa época, Divaneide chegou a ser chefe de gabinete da Secretaria, em Brasília, onde viveu de 2008 a 2012 e também foi consultora nacional para a juventude do Ministério de Desenvolvimento Agrário.

Durante esse período, importantes decisões foram tomadas no setor, como a incorporação do Projovem Urbano ao Ministério da Educação. “Não era sempre que as direções das escolas abriam à noite para o programa. Ele ficava um pouco à margem ainda e fizemos a transição dele para o MEC, foi muito importante, porque ele passou a contar no censo escolar”, disse, lembrando que criaram também programas de incentivo como Estação Juventude, Juventude Viva.

De volta a Natal, em 2012, coordenou a também jovem candidatura de Raoni Fernandes a vereador, atual presidente do PT Natal.

Em 2015 foi secretária estadual de Juventude do governo Robinson Faria, quando criou o Conselho Estadual de Juventude e realizou eventos como semana estadual, uma conferência estadual bem estruturada, acampamento em parceria com outros órgãos. Além disso, a gestão aprovou no estado o Programa Estação Juventude, que oferece serviços para promover a inclusão e emancipação dos jovens, mas após sua saída o governo não licitou e devolveu a verba. Divaneide critica: “a secretaria não tinha dinheiro. Conseguimos dinheiro e devolveram!”.

“A juventude morre na periferia porque não tem alternativa. Não dá pra imaginar a pessoa que vive em um lugar que não tem luz, transporte, que o direito ao território é de ficar lá isolado, não de circular. Vide os rolezinhos: a pessoa não pode entrar em um espaço público, não pode entrar em um shopping. É um apartheid social”, explica, contando que sabe do que se trata porque é também das periferias.

De acordo com Divaneide, a candidatura de 2016 não lhe renderá apenas o cargo. Os grupos virtuais temáticos formados para discutir pautas para a cidade continuam ativos até hoje e é como pretende construir o seu mandato, com participação popular e ouvindo novos segmentos, além do partido.

“A gente traz uma identidade coletiva. Temos compromisso em enfrentar intolerância religiosa e LGBTfobia”, cita ainda questões relacionadas à defesa de servidores públicos, a política de drogas, saúde mental, proteção aos animais, além de, claro, mulheres e juventude.

Feminismo

“Vamos continuar defendendo a pauta das mulheres de modo geral, mas precisamos entender que no debate das mulheres tem que ter um debate interseccional de mulheres, raça e classe. A preta de periferia e a que está em situação de rua tem uma realidade diferente das demais”, alerta.

Divaneide participou da terceira onda feminista, na década de 1990, que começou a abordar a condição feminina considerando a diversidade de etnias, origens culturais, religiões. O eixo norteador era “Onde encontro o meu feminismo?”.

De acordo com a futura vereadora, a terceira onda está se consolidando na quarta e entra em novos feminismos, como o ciberfeminismo. “Ali a gente tava falando das jovens feministas que lutaram pela institucionalidade. A gente foi acumulando questões e agora volta para o privado na quarta onda, com o direito de ir pra rua e o de voltar pra casa”, contextualiza, e acompanhada do bebê recém-nascido Mateus, pede reflexão sobre quais suportes as instituições dão às mães para ocuparem espaços na sociedade, em qualquer que seja ele, inclusive nas Câmaras.

Saibamais.com

O que fez RN ter mês de janeiro menos violento dos últimos cinco anos

Gestores da segurança explicam porquê criminalidade diminuiu

Por Guilherme Arnaud

31 de janeiro de 2019 | 11:52

FOTO: DIVULGAÇÃO/PM

O Governo do Rio Grande do Norte divulgou que o número de homicídios no estado, no mês de janeiro de 2019, foi menor dos últimos cinco anos. Os dados foram divulgados em reunião nesta quinta-feira (31), pelo titular da Coordenadoria de Informações Estatísticas e Análises Criminais (Coine), Ivênio Hermes.

Os números apresentados pela Coine apontam que as Condutas Violentas Letais Intencionais (CVLIs) diminuíram 46% na região metropolitana de Natal e 30% no interior em relação a janeiro de 2018.

Para os gestores da segurança pública do estado, a diminuição se dá, principalmente pela integração das forças de segurança e a utilização da inteligência na atuação, além da valorização dos profissionais da área e da atuação direta dos gestores com os servidores.

“A participação dos gestores na rotina de trabalho dos policiais, participando das ações, e o pagamento das diárias operacionais, como motivação, é essencial para a efetividade dos trabalhos”, afirmou o Comandante da Polícia Militar, Coronel Alarico Azevedo.

Ele ainda afirmou que foram prometidos cerca de R$ 2,5 milhões para o pagamento de diárias operacionais da PM, de um total de R$ 4 milhões destinados para as diárias de toda a Segurança Pública. No entanto, como o orçamento estadual ainda não foi definido, não há data para que esse pagamento seja feito.

Na avaliação da Delegada-geral da Polícia Civil, Ana Cláudia Saraiva, a união das forças de segurança e a utilização da inteligência foram essenciais para a redução nos números da violência. “A integração das Polícias Civil e Militar, com o Corpo de Bombeiros, a Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc) e a colaboração da sociedade garantiram a efetividade dos trabalhos”, afirmou.
“Todo resultado positivo só é possível quando todos colaboram e este resultado só foi possível graças à conjugação das forças”, destacou.

“A partir do momento em que você mapeia a mancha criminal, com trabalho integrado das forças de segurança, não tem como dar errado. A tendência é melhorar se tiver continuidade dessa política. O incentivo do policial e valorização do profissional é também essencial”, concluiu a delegada.

O secretário adjunto Osnir Montes, da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Sesed), destacou que a governadora, Fátima Bezerra (PT), orientou a atuação conjunta dos gestores. “O governo fez uma integração das forças, motivou os profissionais para realizarem diárias operacionais e participa diretamente da atuação na segurança”, afirmou.

“A melhora nos números se deve às condições proporcionadas pela governadora”, disse o secretário.

Gestores da Segurança Pública apresentaram e comentaram os dados da violência no RN – Foto: Guilherme Arnaud

Números

Os números são do relatório parcial da Coine, que divulgará o relatório completo ao final do mês, e se separam em duas categorias: as Condutas Violentas ao Patrimônio (CVPs), que inclui roubos e furtos, registrados de 1 a 28 de janeiro, e Condutas Violentas Letais Intencionais (CVLIs), que inclui crimes de homicídio, com dados levantados nos primeiros 30 dias do ano.

As CVPs do relatório foram coletadas a partir de dados da Coine e da Delegacia Virtual da Polícia Civil e se referem apenas à região metropolitana de Natal.

Dentre os números, está a desarticulação de uma quadrilha, dez barreiras itinerantes por dia, captura de 12 foragidos, 326 pessoas conduzidas a delegacias e 325 veículos capturados e a prisão de 54 pessoas pelas causas que configuram CVPs.

Já os dados sobre CVLIs foram coletados com números da Coine e do Observatório da Violência do RN (Obvio). Os destaques são dados para as cidades de São Gonçalo do Amarante, que teve redução de 90% em comparação com janeiro de 2018, Ceará Mirim, com -85% e Extremoz, -83%.

Portal no Ar

O que é o MDB sem a força de Henrique…

O maior erro do MDB foi não permitir o crescimento do movimento jovem do partido para eleger nomes na capital e no interior, além de tratar os demais como vassalos de Henrique, Garibaldi e Walter Alves.

Enquanto Henrique podia manter os vassalos e garantir que, além de uma hegemonia eleitoral, o partido elegesse boas bancadas, o MDB se sustentou.

Sem a força de Henrique, nem Garibaldi sobreviveu politicamente. Daqui pra frente, o partido tentará se reerguer do pó.

Robson Pires

Estado tem aumento de 33% nos Royalties de Petróleo e Gás em 2018

O Estado do Rio Grande do Norte recebeu um total de R$ 186,2 milhões em royalties de petróleo e gás no ano passado, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). O crescimento é de 33% em relação a 2017, quando o governo recebeu R$ 139,1 milhões.

O governo estadual quer antecipar os royalties previstos até 2022 e receber os valores ainda neste ano, para pagar salários atrasados. O Poder Executivo já conta com uma autorização da Assembleia Legislativa para antecipar os valores relativos a 2019, mas quer estendê-la para os demais anos da atual gestão. Há três folhas salariais em aberto, que custam juntas quase R$ 1 bilhão.

Apesar do crescimento nos valores repassados pelo governo federal, o estado ainda recebeu recursos de royalties abaixo do valor de 2014, quando alcançou o auge de uma crescente que vinha experimentando. Naquele ano, a administração pública embolsou R$ 275 milhões.

As prefeituras também registraram acréscimo nos repasses de royalties no ano passado, ao longo do ano passado – inclusive maior que do estado. A diferença foi de quase 37% em relação ao ano anterior. Foram R$ 250,7 milhões contra R$ 183,1 milhões no ano anterior.

Mossoró, Macau e Guamaré, respectivamente, foram os municípios que mais receberam repasses de Royalties no ano passado. No acumulado do ano, a primeira cidade recebeu R$ 26,2 milhões, a segunda, R$ 20,2 milhões e a última, R$ 18,3 milhões.

Antecipação

As antecipações de royalties funcionam como empréstimo realizado pelo governo junto com um banco contratado pelo estado. O banco repassa o valor estimado para determinado período e recebe o pagamento, conforme o estado vá recebendo o repasse federal.

No estado, uma lei foi aprovada ainda durante o governo anterior, autorizando o estado a antecipar os royalties de 2019. Entretanto, o caso foi parar na Justiça, que proibiu o financiamento por considerar que a gestão não poderia antecipar recursos de outra administração que não fosse a sua.

Em janeiro, após um pedido do estado, sob a nova administração, a Justiça liberou o recurso. O governo discute a liberação com bancos oficiais. Segundo a secretária de Administração, Virgínia Ferreira, o Executivo também quer que os deputados estaduais aprovem uma lei autorizando a antecipação de royalties até do ano 2022 e negociação com bancos privados, para aumentar a concorrência.

O que são royalties

O royalty é uma compensação financeira paga à União, estados e municípios pelas empresas que produzem petróleo e gás no território nacional. Segundo a ANP, “uma remuneração à sociedade pela exploração desses recursos não renováveis”.

O valor incide sobre o valor da produção e é recolhido mensalmente pelas empresas concessionárias. A Secretaria do Tesouro Nacional (STN) recebe o pagamento e distribui os valores.

Fonte: G1 RN

Ministro autoriza Lula a sair da prisão após morte do irmão

Ex-presidente encontrá familiares em São Bernardo do Campo

Por André Richter/Agência Brasil

30 de janeiro de 2019 | 12:10

FOTO: JOSÉ CRUZ/AGÊNCIA BRASIL

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, aceitou pedido para que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixe a prisão e compareça ao velório do irmão, Genival Inácio da Silva, conhecido como Vavá, que morreu ontem (29), em decorrência de câncer no pulmão. O sepultamento será realizado em São Bernardo do Campo (SP). Será a primeira vez que o ex-presidente deixará a prisão desde abril do ano passado.

Segundo a decisão, Lula só poderá ter contato com parentes durante o velório e está proibido de dar declarações públicas.

A defesa do ex-presidente recorreu ao STF após a decisão da juíza federal Carolina Lebbos, da 12ª Vara Criminal em Curitiba, que rejeitou o mesmo pedido na madrugada de hoje, confirmada pelo desembargador federal Leandro Paulsen, do Tribunal Regional Federal (4ª Região).

Na despacho, a juíza entendeu que a decisão final cabe à Polícia Federal (PF), que alegou dificuldades logísticas para realizar a viagem da superintendência da corporacão em Curitiba, onde Lula está preso, até o Cemitério Pauliceia, em São Bernardo do Campo). O enterro está previsto para hoje (30), às 13h.

A PF também alegou que a presença do ex-presidente poderia tumultuar a ordem pública, em razão de manifestações de simpatizantes.

A defesa de Lula alegou que a Lei de Execução Penal (LEP) prevê que presos possam deixar as unidades para comparecer ao velório de um parente próximo.

Lula está preso desde 7 de abril do ano passado por ter sua condenação no caso confirmada pelo TRF4, que impôs pena de 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá (SP).

Morador grava vídeo para alertar as autoridades sobre a situação da Barragem das Traíras

Um morador faz um vídeo de alerta sobre uma barragem que corre o risco de rompimento no RN chamando a atenção de todos e principalmente as altoridades.

 

A Barragem Passagem das Traíras é uma das mais importantes barragens do Rio Grande do Norte. Faz parte do conjunto de barragens da bacia do rio Piranhas-Açu, tendo barrado o rio Seridó. Situa-se na fronteira dos municípios de São José do Seridó, Jardim do Seridó e Caicó. Ela é o quarto maior reservatório da região do Seridó. Seu nome faz referência a um peixe comum na caatinga, a traíra.

A barragem é utilizada para abastecimento de água para a zona urbana de Jardim do Seridó e zona norte de Caicó; irrigação, defesa contra as cheias, atividades recreativas e criação de peixes.

Data de inauguração: 1994
Altura: 25,5 m
Cota de coroamento: 458,00 m
Capacidade total: 49.720.393,65
Pleno armazenamento: 193,32 m
Uso: abastecimento, irrigação, lazer

Dados via; Wikipédia

Fonte: Chuvas no sertão

RN tem cinco barragens com danos estruturais considerados ‘preocupantes’, diz ANA

Cinco barragens do Rio Grande do Norte estão em situação de vulnerabilidade, ou seja, apresentam danos em suas estruturas e preocupam os órgãos fiscalizadores. A informação está no Relatório de Segurança das Barragens (RSB) 2017 da Agência Nacional de Águas (ANA), que foi divulgado (19/11/2018) há 2 meses.

Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1

As barragens em risco são a Passagem das Traíras, Calabouço e o Açude Gargalheiras (públicas); além das barragens Barbosa de Baixo e Riacho do Meio (privadas).

A Agência Nacional de Águas alertou que a barragem Passagem das Traíras, que fica em Jardim do Seridó, apresenta desagregação do concreto e descontinuidade no maciço rochoso na ombreira direita. O reservatório está operando com restrição limitando a cota de operação em 185m, de acordo com a ANA. O valor estimado para o conserto é de R$ 1.170.000

O Açude Gargalheiras ou Marechal Dutra (nome oficial), em Acari, um dos mais populares do Rio Grande do Norte, tem fissuras ao longo da sua galeria e do maciço. Para a recuperação, o investimento necessário estimado pela Agência é de R$ 2.840.000.

Já a barragem Calabouço, esta na cidade de Passa e Fica, apresenta trincas ao longo do coroamento e não tem estrutura de descarga de fundo. O relatório apontou que a situação de manutenção é precária, contudo não estumou os custos para reparar os danos.

Privadas

Barbosa de Baixo de Riacho do Meio são duas barragens particulares que também foram inspecionadas pelo Instituto de Gestão das Águas do RN (Igarn) e que têm danos na estrutura. A primeira está com erosão entre o maciço e o muro lateral direito, e a segunda com percolação na fundação. Para estas também não foi apresentada estimativa do valor para a recuperação estrutural.

Números no Brasil

Desde o ano passado, a ANA passou a incluir nos questionários que envia aos órgãos fiscalizadores quais são as barragens que mais preocupam. O número de barragens apontadas como mais vulneráveis no país subiu de 25 em 2016 para 45 em 2017. A maioria dos casos apresenta problemas de baixo nível de conservação, mas há outros motivos como insuficiência do vertedor e falta de documentos que comprovem a estabilidade da barragem. Das 45 barragens, 25 pertencem a órgãos e entidades públicas.

G1/RN

130 militares de israel chegam hoje para reforçar buscas em Brumadinho

Por G1

 

Militares israelenses embarcam para o Brasil para ajudar em Brumadinho
Militares israelenses embarcam para o Brasil para ajudar em Brumadinho

Militares israelenses embarcam para o Brasil para ajudar em Brumadinho

Um avião com 130 soldados saiu de Jerusalém, Israel, em direção ao Brasil às 6h da manhã deste domingo (27), no horário de Brasília, para ajudar nas buscas em Brumadinho (MG). A delegação chega à noite.

Soldados da Forças de Defesa de Israel — Foto: Reprodução/Twitter/Forças de Defesa de IsraelSoldados da Forças de Defesa de Israel — Foto: Reprodução/Twitter/Forças de Defesa de Israel

Soldados da Forças de Defesa de Israel — Foto: Reprodução/Twitter/Forças de Defesa de Israel

De acordo com a embaixada de Israel no Brasil, o avião chegará às 21h30 deste domingo. Já o aeroporto de Confins, em Belo Horizonte, diz que a chegada está prevista para às 23h.

Além do grupo de soldados, Israel enviou ao Brasil cães farejadores e sonares usados em submarinos para localizar pessoas em grandes profundidades, com alta qualidade de recepção de imagem e detectores de vozes e ecos. São cerca de 16 toneladas de equipamentos.

Delegação de Israel reunida momentos antes do embarque em direção a Brumadinho, MG — Foto: Reprodução/Twitter/Forças de Defesa de IsraelDelegação de Israel reunida momentos antes do embarque em direção a Brumadinho, MG — Foto: Reprodução/Twitter/Forças de Defesa de Israel

Delegação de Israel reunida momentos antes do embarque em direção a Brumadinho, MG — Foto: Reprodução/Twitter/Forças de Defesa de Israel

O governo israelense deverá enviar também uma equipe médica, especialistas e engenheiros.

A missão é chefiada pelo embaixador de Israel no Brasil, Yossi Shelley. Ele estava acompanhando a visita a Israel do ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, mas foi encarregado pelo premiê Benjamin Netanyahu para comandar a delegação.

Yossi Shelley, embaixador de Israel no Brasil, e soldados das Forças de Defesa de Israel posam antes de voo para ajudar nas buscas em Brumadinho, MG — Foto: Divulgação/Ministérios das relações exteriores de IsraelYossi Shelley, embaixador de Israel no Brasil, e soldados das Forças de Defesa de Israel posam antes de voo para ajudar nas buscas em Brumadinho, MG — Foto: Divulgação/Ministérios das relações exteriores de Israel

Yossi Shelley, embaixador de Israel no Brasil, e soldados das Forças de Defesa de Israel posam antes de voo para ajudar nas buscas em Brumadinho, MG — Foto: Divulgação/Ministérios das relações exteriores de Israel

Funcionários da embaixada israelense em Brasília também estão a caminho de Minas Gerais para apoio logístico ao grupo que chegará durante a noite no aeroporto de Confins, em Belo Horizonte. A comunidade judaica de São Paulo e do Rio de Janeiro se mobilizam para enviar ajuda às vítimas da tragédia.

Em uma publicação feita no Twitter, as Forças de Defesa de Israel disseram que “a distância não importa quando há vidas para serem salvas, mas sim o quanto se está disposto a ir salvá-las”.

Militares de Israel embarcam para ajudar em Brumadinho
Jornal GloboNews
Militares de Israel embarcam para ajudar em Brumadinho

Militares de Israel embarcam para ajudar em Brumadinho

Yossi Shelley, embaixador de Israel no Brasil, e parte da delegação israelense enviada a Brumadinho, MG — Foto: Divulgação/Ministério das Relações Exteriores de IsraelYossi Shelley, embaixador de Israel no Brasil, e parte da delegação israelense enviada a Brumadinho, MG — Foto: Divulgação/Ministério das Relações Exteriores de Israel

Yossi Shelley, embaixador de Israel no Brasil, e parte da delegação israelense enviada a Brumadinho, MG — Foto: Divulgação/Ministério das Relações Exteriores de Israel

Telão mostra destino e número do vôo que traz os 130 soldados de Israel ao Brasil para ajudarem nas buscas em Brumadinho, MG — Foto: Divulgação/Ministério das Relações Exteriores de IsraelTelão mostra destino e número do vôo que traz os 130 soldados de Israel ao Brasil para ajudarem nas buscas em Brumadinho, MG — Foto: Divulgação/Ministério das Relações Exteriores de Israel

Telão mostra destino e número do vôo que traz os 130 soldados de Israel ao Brasil para ajudarem nas buscas em Brumadinho, MG — Foto: Divulgação/Ministério das Relações Exteriores de Israel

Rompimento da barragem em Brumadinho

O rompimento da barragem 1 da Mina Córrego do Feijão, da Vale, ocorreu no início da tarde da última sexta-feira. Um mar de rejeitos destruiu casas da região e a área administrativa da empresa.

Há ao menos 37 mortos, 81 desabrigados e 23 feridos em hospitais, segundo os bombeiros. A Vale divulgou uma lista com mais de 250 nomes de funcionários com os quais não conseguiram contato (veja).

Neste domingo, as sirenes foram acionadas por volta das 5h30 após ser detectado um aumento dos níveis de água nos instrumentos que monitoram a barragem VI, de acordo com a Vale.

Rompimento de barragem da Vale no Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG) — Foto: G1 Rompimento de barragem da Vale no Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG) — Foto: G1

Rompimento de barragem da Vale no Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG) — Foto: G1

Brumadinho: Foto de bombeiro abraçando homem que viralizou nas redes sociais é de 2011

Imagem é de um agricultor que caiu em uma cisterna de 17 metros e foi salvo por um bombeiro militar de Patos de Minas.

Machucado e sujo de lama, um homem sem camisa abraça apertado o bombeiro que o salvou.A imagem, creditada a Aislan Henrique, do próprio Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, viralizou nas redes sociais depois que a barragem da Vale rompeu em Brumadinho (MG), na sexta-feira. Ao menos 34 pessoas morreram e 299 estão desaparecidas após o rompimento, de acordo com o mesmo Corpo de Bombeiros.

Muita gente compartilhou a imagem em solidariedade às vítimas e em homenagem aos que prestam socorro na região atingida por um mar de lama.

Mas esse resgate da foto aconteceu 2011, quando um agricultor caiu em uma cisterna de 17 metros e foi salvo por um bombeiro militar de Patos de Minas.

Agricultor e bombeiro se reencontraram cinco anos depois do resgate, segundo o jornal Estado de Minas.

A imagem foi republicada no Twitter dos Bombeiros na quarta-feira, dois dias antes do desastre em Brumadinho. “Aquele abraço de gratidão que dispensa as palavras, enobrece nosso trabalho e nos faz pessoas melhores. Bombeiro Militar, o amigo certo nas horas incertas!”, dizia o post que acompanha a foto que havia sido recordada.

Ao publicar novamente a imagem, o fundo onde aparece um caminhão dos Bombeiros, pessoas e uma casa foi cortado e deixaram apenas a cena do abraço.

No Twitter oficial dos bombeiros, a imagem ganhou 359 curtidas e foi compartilhada 83 vezes. Mas, no dia do rompimento da barragem, a imagem apareceu na timeline do Twitter de políticos como o senador Álvaro Dias, do deputado Eduardo Bolsonaro e do ministro Marcos Pontes – este num retuíte do filho de Bolsonaro. O surfista Gabriel Medina, que tem sete milhões de seguidores no Instagram, foi um dos famosos que compartilharam a foto. A postagem teve mais de 144 mil curtidas.

Até onde a lama chegará?

O presidente da Vale disse que o impacto ambiental do acidente em Brumadinho será menor do que o de Mariana, quando uma avalanche de lama percorreu 633 km de cursos d’água, atingindo 39 municípios em dois Estados – o maior desastre ambiental da história do Brasil.

A lama do desastre em Brumadinho já chegou ao rio Paraopeba, que é um afluente do São Francisco. Este, por sua vez, é o rio mais importante da região Nordeste, responsável pelo abastecimento de dezenas de milhões de pessoas.

Para chegar ao São Francisco, a lama terá de atravessar outras barragens que não estão em sua capacidade máxima e que podem diluí-la, atenuando seus impactos na bacia.

O alcance da lama também poderá ser influenciado pelo clima: caso chova forte nos próximos dias, o volume da lama despejada nos rios poderá aumentar.

Rompimento de barragem em Brumadinho deixou centenas de desaparecidos
Rompimento de barragem em Brumadinho deixou centenas de desaparecidos

Foto: EPA / BBC News Brasil

Como ocorreu em Brumadinho?

Os rejeitos liberados pelo rompimento de uma barragem no município de Brumadinho, que faz parte da região metropolitana de Belo Horizonte (MG), atingiram residências e a área administrativa da empresa no local, conhecido como Mina Córrego do Feijão. Ao menos 299 pessoas estão desaparecidas, segundo o Corpo de Bombeiros.

A mineradora Vale, dona da barragem, afirmou que havia funcionários da empresa no refeitório no momento do rompimento. A distância entre a sede da mineradora e a barragem que se rompeu é de cerca de 1,6 km.

À BBC News Brasil o secretário-adjunto de Saúde da cidade, Geraldo Rodrigues do Carmo, disse que a chamada Vila Ferteco, também atingida, abriga casas e sítios, mas não é muito populosa. A região foi evacuada.

O rompimento em Brumadinho ocorre três anos depois que outra barragem da Vale na região de Mariana, se rompeu. Morreram 19 pessoas e três distritos – Bento Rodrigues, Paracatu de Baixo e Gesteira – ficaram destruídos. Administrada pela Samarco, subsidiária da Vale, a barragem de Fundão liberou 34 milhões de metros cúbicos de rejeito de minério, que desceram 55 km pelo rio Gualaxo do Norte até o Rio do Carmo e outros 22 até o Rio Doce.

A avalanche de lama percorreu 663 km de cursos d’água e atingiu 39 municípios em Minas Gerais e no Espírito Santo – o maior desastre ambiental do país.

Portal Terra.com.br

Governo de Minas Gerais decreta estado de calamidade pública após desastre

Por G1 Minas — Belo Horizonte

 

Helicóptero sobrevoa área do desastre do rompimento da barragem em Brumadinho, neste sábado (26) — Foto: Douglas Magno/AFPHelicóptero sobrevoa área do desastre do rompimento da barragem em Brumadinho, neste sábado (26) — Foto: Douglas Magno/AFP

Helicóptero sobrevoa área do desastre do rompimento da barragem em Brumadinho, neste sábado (26) — Foto: Douglas Magno/AFP

O governador Romeu Zema (Novo) decretou situação de calamidade pública neste sábado (26) após rompimento de barragem da Vale em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, ocorrido nesta sexta-feira (25).

O decreto autoriza a mobilização de todos os órgãos estaduais para atuarem sob coordenação da Defesa Civil e a convocação de voluntários para reforçar as ações propostas.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, mais de 200 pessoas estão desaparecidas. Nove mortos foram confirmados.