Musica: Shows de MC Loma são cancelados em PE por cantora não frequentar escola

Reprodução/Google

O trio pernambucano MC Loma e as Gêmeas da Lacracão

Dois shows de MC Loma e as Gêmeas Lacração foram cancelados porque a cantora pernambucana, que tem 15 anos, não frequenta aulas e não está matriculada em uma escola, o que a impede de se apresentar em toda a região metropolitana de Recife.

A determinação é da Vara Regional da Infância e Juventude da 1ª Circunscrição Judiciária, do Tribunal de Justiça de Pernambuco, que prevê uma série de exigências em casos de apresentações e campanhas publicitárias que envolvem crianças e adolescentes.

Os shows aconteceriam no dia 15 de setembro, no Clube Metrópole, e no dia 17, na 16ª edição da Parada da Diversidade de Pernambuco. O próprio Clube Metrópole oficializou a situação da jovem em nota.

“Após um mês de incessantes e-mails, telefonemas e mensagens com os produtores da artista, fomos informados pela Start Music que MC Loma não conseguiria regularizar as suas condições de trabalho, exigências estabelecidas pela portaria nº 004/2011, da Vara Regional da Infância e Juventude da 1ª Circunscrição Judiciária-TJPE, que disciplina a participação de criança e adolescente em espetáculos públicos, pois não está sequer frequentando a escola e nem está matriculada, o que lamentamos muitíssimo”, afirmou a casa.

Segundo a juíza Anamaria Borba, do Núcleo Pedagógico da Vara, responsável pela fiscalização nesses casos, o alvará nem chegou a ser solicitado. “A própria advogada da boate teve acesso à portaria e pediu ao produtor de MC Loma. O produtor informou que ela realmente não está estudando e que essa exigência da portaria não poderia ser cumprida no momento.”

No início do ano, duas casas de shows na capital pernambucana onde Loma havia se apresentado foram autuadas pela mesma exigência. A multa varia entre 3 a 20 salários mínimos.

MC Loma e as Gêmeas Lacração apareceram para o Brasil em fevereiro, quando emplacaram o brega funk entre as músicas mais ouvidas na internet. Antes mesmo do hit “Envolvimento” viralizar no Carnaval, o trio estava sob os cuidados da produtora de funk Start Music, situada em São Paulo.

O UOL entrou em contato com a produtora, mas não obteve retorno até o fechamento da matéria.

Do UOL, 31 de julho são paulo

Tragédia: Idoso comete suicídio após matar o próprio neto em Natal

(crédito: Julianne Barreto/inter tv cabugi)

As mortes aconteceram em um condomínio que fica em Barro Vermelho

Um idoso de 80 anos matou o neto, de 22, no início da tarde desta terça-feira (31). O homem se suicidou logo em seguida ao saltar do sétimo andar de um condomínio localizado na Rua desembargador Felipe Guerra, no Barro Vermelho, zona Leste de Natal. As informações são da Polícia Militar.

Os nomes das vítimas ainda não foram divulgados. A Polícia Militar foi acionada por moradores do condomínio que ouviram gritos que vinham de dentro do apartamento onde o idoso morava com a esposa e o neto. A mulher teria saído do imóvel quando a briga começou para buscar ajuda. Segundo os policiais que atenderam a ocorrência, quando a guarnição da PM chegou ao local, as vítimas já estavam mortas.

Informações preliminares dão conta de que o idoso matou neto com uma facada. Os dois teriam se desentendido e o avô desferiu um golpe na altura do pescoço do neto, que faleceu em seguida. Após cometer o crime, o homem teria ido até a sacada do apartamento e se jogado. Uma perícia vai apurar o caso.

A Polícia Militar isolou a área. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi chamado para prestar socorro, mas não houve tempo para atender as vítimas. A remoção dos corpos foi feita pelo Instituto de Perícia Técnica (Itep). Policiais civis da Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) foram ao local e deram início às investigações

Portal no Ar

João Maia divulga nota sobre busca e apreensão em sua residência

Operação da Polícia Federal
(crédito: twitter)

Presença da PF na residência do ex-deputado faz parte da Operação Via Trajana

O ex-deputado federal João Maia (PR) divulgou uma nota à imprensa na qual afirma que soube por terceiros da motivação da busca e apreensão realizada pela Polícia Federal, nesta terça-feira (31), em sua residência, em Natal, e que está tranquilo, com fé na Justiça. A presença da PF na residência de João faz parte da Operação Via Trajana, um desdobramento da Operação Via Ápia.

Segundo o ex-deputado, que pretende retornar à Câmara Federal, às 6h, ele e sua família foram acordados por agentes da Polícia Federal com o mandado de busca e apreensão. “Espero que agora possa saber exatamente se sou acusado e, de que sou, para poder me defender na justiça, em quem acredito e sempre vou acreditar”, disse ainda João Maia na nota.

A Via Trajano foi deflagrada nesta terça na Grande Natal e em mais sete estados, com 27 mandados judiciais de busca e apreensão, cumpridos por 120 policiais federais. A Via Ápia apura possíveis desvios de recursos e lavagem de dinheiro nos anos de 2009 e 2010, a partir de contratos estabelecidos com a representação do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) no Rio Grande do Norte.

Leia a nota na íntegra:

À minha família, aos amigos e a todos os conterrâneos do Rio Grande do Norte: Hoje, às seis da manhã, minha família foi acordada com mandado de busca e apreensão. Soube por terceiros, como sempre, que se trata de desdobramento de uma delação sobre um processo que se desenrola desde 2009. Espero que agora possa saber exatamente se sou acusado e, de que sou, para poder me defender na justiça, em quem acredito e sempre vou acreditar. Avisaram-me, muitas vezes, que a proximidade do processo eleitoral poderia ensejar esse tipo de ação, não quis acreditar, mas estranhamente aconteceu. Continuo tranquilo, firme nos meus propósitos, com fé em Deus e na Justiça

Portal no Ar

Administradora de grupo no WhatsApp é condenada por não impedir bullying

 

Juiz do TJ-SP considerou que jovem, como administradora, deveria ter removido usuários que estavam ofendendo outro participante do grupo

Uma jovem que não impediu a violência verbal contra um rapaz em um grupo do WhatsApp foi condenada a pagar R$ 3 mil. A decisão é da 34ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP).

No ano do ocorrido, em 2014, a responsável pelo grupo era menor de idade, 15 anos, e reuniu amigos no aplicativo de mensagens para marcar um encontro para assistir a um dos jogos da seleção brasileira na Copa do Mundo daquele ano.

De acordo com a petição inicial da ação, impetrada em 2016 pelo pai do menino vítima de bullying virtual, o rapaz estava sendo ofendido há mais de dois anos pelos integrantes do grupo “jogo na casa da GIGI”. Segundo ele, o jovem era constantemente zombado no grupo, sendo chamado de “bicha”, “veado”, “gay”, “garoto especial”, “bichona”, entre outros.

Confira: Rapaz envia ofensas em grupo do WhatsApp e terá de indenizar mulher

A administradora do grupo não tinha praticado ofensa direta, mas teria concordado tacitamente com as acusações. Quando postaram “vai processar o que vava” a menina usou quatro emojis de risos. O pai do menino perdeu em primeira instância, vez que a juíza Andrea Schiavo entendeu que, por não ter postado nenhuma mensagem ofensiva, a garota não poderia ser responsabilizada. Ao recorrer, contudo, o pai do jovem ganhou a causa.

Relator do processo no TJ-SP, o juiz Soares Levada afirmou que “é inegável também que no aplicativo WhatsApp o criador de um grupo, em princípio, não tem a função de moderador nem pode saber, com antecedência, o que será dito pelos demais integrantes que o compõem”. Segundo ele, porém, o responsável pelo grupo é sempre denominado seu administrador “por uma razão simples: pode adicionar e remover – termos utilizados na rede – quem bem quiser e à hora em que quiser”.

Por isso, segundo o magistrado, a menina deveria ter removido quem ofendia os outros, ou até mesmo encerrar o grupo, o que não aconteceu. “Quando o encerrou [o grupo], ao criar outro grupo o teor das conversas permaneceu o mesmo, como [comprovam] as transcrições juntadas aos autos”.

Leia também: Mensagem de WhatsApp serve como prova na Justiça do Trabalho

Sendo assim, a moça, hoje maior de idade, foi considerada corresponsável pelo ocorrido, “com ou sem lei de bullying, pois são injúrias às quais anuiu e colaborou, na pior das hipóteses por omissão, ao criar o grupo e deixar que as ofensas se desenvolvessem livremente. Ao caso concreto basta o artigo 186 do Código Civil”. O artigo citado explica o que são atos ilícitos – aqueles que, por ação ou omissão, violam direito e causam dano a outros.

Como tinha 15 anos na época dos fatos, o juiz estipulou uma pena de caráter simbólico para coibir reincidências no futuro, de R$ 3 mil.

Gazeta do Povo

PSDB decide apoiar reeleição de Robinson Faria (PSD) ao governo do RN convenção foi neste domingo (29), em Natal.

(Foto: Ranniery Sousa/Inter TV Cabugi)

O PSDB realizou convenção neste domingo (29) e oficializou apoio à candidatura de Robinson Faria (PSD) ao governo do Rio Grande do Norte. O governador participou da convenção.

A convenção aconteceu no Hotel Holiday Inn, na Av. Senador Salgado Filho, em Natal, e reuniu correligionários e apoiadores. Ainda durante a convenção o partido oficializou o nome de Geraldo Melo para o senado e aprovou a formação das alianças majoritária e proporcional.

Na majoritária, a coligação Trabalho e Superação incluirá os partidos PRB, PSD, PSDB, PR, PTC, PROS, PTB, PPS, PRP, PMN, PMB e AVANTE. A aliança proporcional para federal, denominada Trabalho e Superação I, envolve PRB, PSD, PSDB, PR, PTC e PROS. Já a coligação Trabalho e Superação IV, para deputado estadual, caminhará com PRB e AVANTE.

Por G1 RN

Carlos Eduardo Alves ficou irritado com fracasso da sua visita ao município de Pau dos Ferros perguntando: Cadê o povo?

(Crédito: notícia do face)

 

O pré-candidato a governador Carlos Eduardo Alves não gostou e reclamou da recepção que ele teve em Pau dos Ferros na Tromba do Elefante.

Contando com o apoio do prefeito Leonardo Rego e do seu pai e deputado estadual Getúlio Rego, o ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves pensava em ser recebido apoteoticamente. Para tanto reservaram o pomposo salão do Edem Clube, local tradicional para as grandes manifestações políticas.

Mas, segundo uma fonte do Blog do Primo nem o povo e muito menos as lideranças políticas compareceram.. Nossa fonte, conhecido como ‘Gigante’, disse que só compareceram os servidores da Prefeitura de Pau dos Ferros, nem os evangélicos de Antônio Jácome se fizeram presentes.

O primo Gigante, nosso informante, disse que Carlos Eduardo Alves ficou irritado dizendo que estavam submetendo ele ao grande vexame e perguntou em voz alta: Cadê o povo?

Blog do Primo

Avião de pequeno porte caí em São Paulo e deixa 1 morto e 6 feridos

 

Aeronave de pequeno porte cai no Campo de Marte, em São Paulo

Bombeiros trabalham para apagar incêndio após aeronave cair em São Paulo

Uma aeronave de pequeno porte caiu, na tarde deste domingo (29), no aeroporto Campo de Marte, na zona norte de São Paulo. O acidente aconteceu por volta das 18h, segundo a Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária).

De acordo com o porta-voz do Corpo de Bombeiros, capitão Marcos Palumbo, seis vítimas (cinco passageiros e o co-piloto) foram socorridas com vida, e uma delas, o piloto do avião, morreu no local. Os nomes das vítimas ainda não foram divulgados oficialmente.

Um dos sócios da empresa Videplast, Eliandro Pazin, disse que o avião é da empresa. Segundo ele, estavam a bordo os dois fundadores da companhia, Nereu Denardi e Geraldo Denardi, que são irmãos, o coordenador da empresa, Aguinaldo Nunes, e o filho de Nereu, de 17 anos. O nome do piloto é Antonio Traversi, segundo Pazin.

Os cinco passageiros foram levados a hospitais da região, apresentando ferimentos leves. O co-piloto foi encaminhado ao Hospital das Clínicas, com apoio do helicóptero Águia.

A operação de tentar salvar o piloto, preso às ferragens da aeronave, levou cerca de uma hora, de acordo com Palumbo, mas a vítima não resistiu aos ferimentos.

O avião, do tipo BE9L, tentou fazer um pouso de emergência na área de pousos e decolagens do aeroporto, bateu na pista e chegou a pegar fogo, segundo os Bombeiros.

De acordo com a Infraero, a aeronave vinha de Videira, em Santa Catarina, para São Paulo.

Consta no registro da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) que o avião, um bimotor turbo-hélice, foi fabricado em 2008 pela Hawker Beechcraft, com capacidade para sete passageiros. A aeronave estava em situação regular de operação. A Anac vai investigar as causas do acidente

Do UOL, em São Paulo 29/07/2018 – 18h45 > Atualizada 29/07/2018 – 20h34

Aeronave de pequeno porte cai no Campo de Marte, em São Paulo

Reprodução via twiter

 

Uma aeronave de pequeno porte caiu, na tarde deste domingo (29), no aeroporto Campo de Marte, em São Paulo. O acidente foi confirmado pela assessoria de imprensa da Infraero.

De acordo com as primeiras informações, havia cinco pessoas a bordo, mas ainda não se sabe se alguma delas morreu. Há relatos de que algumas delas ficaram feridas.

O avião, do tipo BE9L, arremetou e caiu na pista de pouso e decolagem.

Mais detalhes em breve.
Do UOL, em São Paulo 29/07/2018 – 18h45

“Golpe do vômito” prejudica passageiros do aplicativo Uber

 

Motoristas notificam falsa sujeira no veículo durante viagem e passageiros são cobrados por uma taxa adicional na próxima corrida

Casos mais frequentes acontecem no México e Estados Unidos

Um novo ‘golpe’ de parte dos motoristas do aplicativo de mobilidade privada Uber esta prejudicando os passageiros dos Estados Unidos e México. Batizado de ‘golpe do vômito’, a ação consiste em notificar o aplicativo sobre uma suposta sujeira no veículo causada pelo passageiro durante a corrida. Para isso, é enviado à empresa uma notificação e fotos do carro sujo.

A questão é que não é possível identificar o dia em que a foto foi realizada.

Dessa forma, o motorista é reembolsado recebendo uma taxa adicional para limpeza e as eventuais corridas que a pessoa perderia enquanto o veículo estivesse sem condições de uso. Para o passageiro, é cobrada uma taxa entre U$ 80 e U$ 100 (aproximadamente R$ 400).

DEFESA

Para os passageiros se defenderem da situação, precisam enviar alguns e-mails e convencer a empresa de que não devem ser cobrados. A Uber investiga a situação e, se concordar com a alegação, devolve o valor da taxa cobrada anteriormente.

Uol